O que é Café Especial e Como Começar a Tomar?

Publicado em Tags , ,

O café é a segunda bebida mais consumida no mundo (a primeira é a água). Para atender essa grande demanda de consumo, existem diversas qualidades de café disponíveis no mercado, como o tradicional, superior, gourmet e especial.

Aqui no Brasil, por exemplo, como a maioria dos cafés de qualidade são exportados, o mais consumido é um café de menor qualidade, conhecido como tradicional ou extra-forte.

Mas o café pode ir muito além de uma fonte de energia do dia a dia e não é preciso complicar a rotina para tomar um café de qualidade. Basta escolher um café que agrada o paladar e não ter medo de experimentar. 

Continue lendo o post ou assista ao vídeo para conferir o guia de introdução ao café especial que preparamos. O objetivo do guia é ajudar mais pessoas a tomarem um café gostoso e sem complicações. Ele possui dicas de como encontrar um café especial que seja saboroso ao paladar de cada um, além de contar um pouco sobre os motivos que tornam o café uma explosão de sabores.

 

De onde vem os sabores do café?

O café é fruto do cafeeiro e passa por muitos processos antes de chegar na xícara. Ele é um alimento naturalmente rico em sabores. Todos os cuidados realizados durante o plantio, colheita, pós colheita, torra e etc. afetam a qualidade, aromas e sabores que são encontrados no café.

O que diferencia o café especial do café de mercado são os cuidados em todas as etapas. O café especial é colhido no tempo certo e beneficiado de forma a destacar perfis de sabores únicos. E a torra é feita com muita técnica para mostrar aquilo que o café pode oferecer.

Assim, um mesmo café terá sabores diferentes dependendo do grau de torra (claro, médio e escuro). Ou ainda, uma mesma fazenda pode produzir cafés com sabores frutados e cafés com nuances de chocolate meio amargo, por exemplo. E tudo isso serve para ilustrar como o café especial é diversificado.

>> Aqui tem um post completo das diferenças dos cafés tradicionais e especiais.<<

Café especial é difícil de preparar? Precisa de muita coisa (equipamentos, balança, termômetro)?

Não! É possível preparar café especial do jeito que quiser e usando o que tem em casa. Uma cafeteria italiana herdada da avó ou um filtro de papel baratinho do mercado já são suficientes  para preparar um delicioso café em casa.

O mais importante na hora de fazer o café especial é a qualidade dos grãos e as proporções, ou seja, a quantidade de pó em relação a água que vai usar. Aqui tem um post com dicas para medir as proporções na hora de fazer café especial.

O legal do café especial é que ele pode ser tomado em diversos momentos, seja quente ou gelado, puro ou misturados nos drinks. Ele também pode ser preparado de diversas maneiras e cada forma de preparar vai trazer à tona uma característica sensorial diferente. É por isso que é comum ver os amantes de cafés especiais usando vários tipos de formas de preparo, pois quando você começa a se aprofundar nos cafés especiais, fazer ele de formas diferentes acaba virando um hobby bem divertido e com muitas descobertas.

Assim pode ser feito de diferentes formas, das mais inusitadas às mais simples. Veja Como Preparar Café De Diversas Formas Em Casa

Como começar a tomar café especial?

Não é preciso complicar a rotina para tomar café especial. E nem é necessário ter inúmeras formas de preparo em casa. Café de qualidade é para todo mundo, e tem café para todos os gostos no meio café especial. Veja algumas dicas de como encontrar aquele café que vai ganhar seu coração de vez e ainda economizar.

1ª dica – assinatura de cafés e café para compartilhar 

Nada como descobrir o café provando em casa. A assinatura de cafés especiais é uma forma de receber diferentes cafés em casa, sem ter que procurar em um monte de lugar e ir provando aos poucos e descobrir sabores. 

A assinatura na coffee&joy é personalizável, pode receber desde 250g até a quantidade que desejar, na frequência que quiser, sem fidelidade e com frete grátis nas opções com mais cafés.

Aqui, também é possível indicar amigos e familiares para assinar e ganhar cafés exclusivos. Tem mimo todo mês e na primeira caixinha já vem dicas de como preparar o café em casa. 

O legal é que dá para chamar os amigos e família para irem descobrindo juntos e até moldar uma assinatura compartilhada com mais cafés, para ter frete grátis. 

2ª dica – comprar um kit de degustação

O Kit de Degustação, além de ter a oportunidade de conhecer cafés diferentes, garante o frescor do café.

Este kit é pensado para sentir na xícara o quanto os cafés especiais podem apresentar diferentes sensações. Com quatro cafés exclusivos e que possuem perfil sensorial diferentes; do mais intenso ao mais exótico.

Com essa seleção é possível experimentar, de forma didática, quatro tipos diferentes de café especial, desde cafés com notas de chocolate ao café com notas de vinho espumante, o que vira uma viagem sensorial.

O legal, é que o kit acompanha dicas de preparo e também um card para guiar nessa aventura. Esta é uma ótima oportunidade para encontrar o perfil de café que mais combina com o seu gosto e para presentear uma pessoa que precisa de descobrir os cafés especiais.

>> Veja aqui opções de kits de café especial<<

 

3ª dica – Aprenda com o Especialista

O Teodoro é uma lhama especialista em cafés e mascote da coffee&joy. Ele tem como missão te ajudar a escolher cafés incríveis todos os meses. Basta dizer quais sabores de alimentos do dia a dia mais agradam seu paladar, que o Téo vai indicar alguns cafés que provavelmente vão te agradar.

Para fazer o teste, é só acessar este link aqui.

Não posso adoçar o café especial?

É muito comum ver as pessoas falarem que café especial não pode adoçar. Que tem que tomar sem açúcar e que adoçar “estraga” ele.

Normalmente, a necessidade de adoçar o café vem do amargor intenso que é encontrado no café tradicional. Esse amargor é derivado de uma torra muito escura e que queima o café. Por isso, é necessário colocar diversas colheres de açúcar, para que ele fique possível de tomar.

O café especial é naturalmente mais doce, o que para algumas pessoas, pode dispensar o uso do açúcar. O que acontece é que essa doçura natural do café é diferente do açúcar de cana normal e lembra mais aquele doce sutil de uma fruta madura.

Mas isso não quer dizer que seja errado adoçar o café especial. Muito pelo contrário – o principal é que o café esteja gostoso para quem vai tomar ele. Mas o ideal, é que adoce ele na hora de tomar, aí cada um adequa a quantidade de acordo com o seu gosto pessoal.

Agora, para quem está procurando diminuir o açúcar do dia a dia, consumir café especial já é um primeiro passo para uma alimentação mais saudável. E aqui tem 6 Dicas para Tirar o Açúcar do Café e Substituições Incríveis para quem Não Abre mão de Café Adoçado

No final das contas, o que mais importa é termos alimentos de qualidade e procedência na nossa casa e que também agrade a quem vai consumir.

Você já consome ou quer consumir cafés especiais? Que tal contar para os amigos o que descobriu sobre o café especial e que ele é para todo mundo? Compartilhe este post e bons cafés!

Ondas Do Café: Descubra O Que São E Como Elas Impactam O Consumo De Café

Publicado em

O mercado de cafés passou por muitas mudanças na busca de acompanhar e atender as demandas do consumidor. Por isso, a divisão em ondas ou fases ajuda a entender como a forma de tomar café foi ressignificada ao longo dos anos.

Podemos dizer que existem três fases ou ondas do café, que influenciam o mercado e o consumo de café a nível mundial. Cada onda conta com objetivos distintos. E isto permite uma certa coexistência entre elas e até mesmo a influência na próxima, ou seja, o surgimento de uma não causa o desaparecimento da anterior.

O conceito de ondas do café foi introduzido por Trish Rothgeb em meados de 2002, quando escreveu em um artigo sobre a “Third Wave Coffee” ou Terceira Onda de Café. Desde então o termo tem sido utilizado por profissionais da área e apreciadores de café para explicar como o café é consumido pelo mundo. Assista ao vídeo ou continue lendo o post para descobrir o que são as ondas do café.

 

Primeira Onda

Iniciada entre o final do século 19 e início do século 20, a primeira onda é caracterizada pelo aumento significativo do consumo de café em todo o mundo. 

A princípio, o consumo de café buscava o estímulo energético, melhoria na concentração e desempenho decorrentes da ingestão da cafeína, e era voltado para o uso doméstico.

Uma das características do café consumido na época era a torra extremamente escura, que por consequência produzia um café bem amargo. 

Café de torra média (esquerda) e café de torra escura (direita)

Veja a Diferença entre Café Tradicional e Café Especial

Podemos dizer que os representantes desse período são grandes corporações. As marcas americanas Folgers e Maxwell House, e também a suíça Nestlé, tinham força para influenciar na decisão de compra por meio do marketing de massa, e com a utilização de slogans muito conhecidos, como “a melhor parte de acordar”.

Assim, a Primeira Onda foi marcada pela industrialização da torra e da produção de café. As inovações em relação ao processamento, embalagem e marketing também contribuíram para o aumento do consumo do café. 

Fonte: Google Imagens

Antes das mudanças geradas pela Primeira Onda, o café era adquirido em pequenas quantidades pelos consumidores, geralmente de torrefações locais ou grãos in natura que eram torrados e moídos em casa, uma vez que os cafés eram considerados artigos de luxo.

Diferenciais:

– Aumento do consumo de café
– Inovações em relação a embalagens e processamentos
– Comercialização do café previamente Torrado e Moído (T&M) enlatado.
– Em 1900 a  primeira embalagem a vácuo foi inventada pelos fundadores da Hills Bros. Coffee. Permitindo a distribuição do café em longas distâncias e aumentando o prazo de validade.
– Processo de liofilização, utilizado na produção do café solúvel.

Segunda Onda

Surgiu entre as décadas de 1960 e se prolongou até meados da década de 1990. É considerada uma reação à baixa qualidade e massificação de produtos de sua antecessora. Tem como principais representantes as empresas Peet’s Coffee & Tea e Starbucks, que iniciaram suas atividades como pequenas cafeterias especializadas em café gourmet. Essas cafeterias provocaram mudanças significativas no mercado. Podemos destacar a melhoria na qualidade do café vendido e o aumento considerável na utilização do Coffea arabica.

Fonte: The Guardian

O café passou a ser apreciado e encarado como um serviço. Isso foi possível pelo estabelecimento, através das cafeterias, de uma “cultura do café”, marcada pelo desenvolvimento de uma experiência em torno do consumo. Essa experiência vai além da qualidade da bebida. A Segunda Onda, também, foi responsável pela popularização de drinks e bebidas à base de café, como latte e cappuccinos, permitindo a apreciação por um público mais jovem.

Também, trouxe com ela, os baristas, que são profissionais capacitados para preparar café e passar mais informações aos consumidores sobre eles.

>> Para quem ama esses drinks a base de café da Segunda Onda, no nosso canal do youtube e blog tem várias receitas para fazer em cada, como o Latte Caramel, Frappuccino, Cappuccino. <<

Esse cuidado voltado para a experiência do cliente e qualidade da bebida permitiu uma elevação significativa no preço do café, o que possibilitou um enorme crescimento nas operações e lucratividade de cafeterias. 

Com a rápida expansão das cafeterias de Segunda Onda, a utilização de uma torra mais escura foi o caminho encontrado para padronizar os cafés que eram vendidos.

Diferenciais:

– Café como experiência
– Aumento significativo de qualidade, sofisticação e agregação de valor
– Preferência pelo café arábica
– Definição e apreciação de cafés especiais
– Surgimento do profissional barista

Terceira Onda

Podemos dizer que a Terceira Onda está dando continuidade a conceitos iniciados durante a Segunda. Adotando os conceitos como terroir e single origin (origem única), relacionados à origem e aquisição dos grãos comercializados. O que ajudou no processo de divulgação de informações específicas sobre a origem dos cafés, como o nome da propriedade, lotes e até mesmo quem produziu.

Conheça cafés de diversas regiões produtoras através da assinatura de cafés da coffee&joy. Acesse aqui para descobrir as histórias que estão por trás da xícara.

Uma das mudanças mais significativas desse momento é a preocupação com o meio ambiente e a busca por um consumo mais ético. O respeito e valorização das pessoas envolvidas são palavras chaves. E o trabalho conjunto entre diversos setores do ramo do café e acesso à informações contribuem para a autonomia e valorização do produtor. 

Nessa perspectiva, o café passou a ser visto como um produto complexo e sazonal e, com isso, deixou de ser uma commodity. Assim, as variações de sabores de uma mesma região é desejada e explorada ao máximo, de forma a  diversificar os perfis sensoriais encontrados no café.

Adota-se uma torra mais amena, para destacar características sensoriais dos cafés e o consumo de café arábica especial é mais difundido. Veja aqui um post sobre o que são cafés especiais.

Nesta onda de consumo, quem ganha é toda a cadeia do café: do produtor ao consumidor. Por um lado, o produtor ganha mais reconhecimento pelo árduo trabalho de produção de café, que é uma cultura perene e exige 365 dias de trabalho para colher os frutos apenas uma vez ao ano.

Por outro lado, o consumidor consegue ter acesso a diferentes tipos de cafés, com perfis de sabores e aromas diferentes, com torra bem trabalhada e com a garantia de procedência do alimento que consome todos os dias.

foto: coffee&joy

Em resumo,  a Terceira Onda traz uma outra visão sobre o consumo de café e a educação e o acesso à informação desempenham um papel muito importante nesta etapa. Pois, se há algumas décadas o consumo de café era feito unicamente como fonte de energia, hoje ele se transformou em um estilo de vida.

Confira abaixo uma linha do tempo das principais características de cada onda do café:

O que podemos esperar do futuro do café?

É possível encontrar especulações sobre as transformações no mercado de café possa passar no caso de uma possível próxima onda. Essas especulações podem e sofrem alterações conforme o contexto social e econômico (nacional e mundial) em que nos encontramos. 

Avanços tecnológicos, com foco na qualidade de produção e extração do café, são apostas para o futuro do café. Assim como novas formas de acesso a produtos e informações.

Uma nova onda poderia ser caracterizada, por exemplo, pelo consumo do café já pronto, como cold brew e misturas dele com leite. Onde as pessoas teriam acesso ao café igual tem com sucos e refrigerantes. Outra linha de especulação seria a de que os consumidores fizessem as torras dos cafés em casa, usando equipamentos portáteis. Com isso, seria possível consumir cafés frescos e nos perfis de torra de acordo com o gosto do consumidor.

E aí, o que já ouviu falar sobre uma possível próxima onda? Conta para a gente nos comentários quais são os seus palpites sobre o futuro do café.

Dicas De Como Fazer Café Especial Para Muita Gente E Não Desperdiçar Nada 

Publicado em Tags

Preparar um café bem gostoso e compartilhar com a família e os amigos é uma ótima forma de começar o dia ou passar uma tarde. E foi pensando nisso que preparamos algumas dicas para esse momento cafeinado, para preparar um café especial de litro para compartilhar e aproveitar o melhor dele. Assista ao vídeo ou continue lendo o post para conferir como fazer café especial para a sua galera.

Aqui em Minas Gerais, o café da tarde é sempre um momento de compartilhar histórias e aproveitar o café e a companhia de pessoas queridas.  E com o café especial, esse momento fica ainda mais saboroso. Abaixo temos algumas dicas de como preparar uma quantidade grande de café de uma só vez e sem complicações.

Dica 1 – Escolha Uma Forma De Preparo Adequada

Na hora de preparar café para várias pessoas, é importante pensar em como ele será feito, já que existem formas de fazer café de diversos tamanhos, como é o caso do filtro de papel, prensa francesa e cafeteira italiana.
No caso do filtro de papel tradicional, aquele com o fundo reto e encontrado com facilidade em todas as cidades, opte pelo tamanho 103. Ele é perfeito na hora de fazer uma grande quantidade de café, já que faz cerca de 1l. E, ainda, é muito fácil de usar.

>>Veja como preparar um café incrível utilizando o filtro de papel<< 

Uma dica importante é lavar o filtro de papel com água quente antes de preparar o café. Esse processo limpa e retira todos os sabores residuais do papel, e aquece todos os utensílios que serão usados no preparo.

A cafeteira italiana e a prensa francesa também são encontradas em versões maiores e também fazem um excelente café. Veja aqui como preparar café nestes métodos.

Dica 2 – Como Escolher A Proporção e Fazer o Café

A proporção nada mais é do que a quantidade de o pó de café e água que serão usados na hora do preparo. E isso vai determinar a intensidade do café no final. Por exemplo, para preparar um café mais intenso recomendamos utilizar a seguinte proporção: 1 colher de sopa bem cheia (13-15 gramas) para cada copo americano de água (na marcação próxima à borda do copo temos aprox. 130ml)

Já para preparar um café mais suave, recomendamos que mantenha a quantidade de água e diminua a quantidade de café. Por exemplo: 1 copo americano de água (130ml) para cerca de 1 colher de sopa de café rasa (8-10 gramas).

Para fazer o café para a família toda, usamos 8 colheres de sopa de café, para 8 copos americanos de água fervida.

Como preparar:

1. Para preparar 1 litro de café, aqueça 9 copos americanos de água filtrada ou mineral até levantar fervura (1 copo para escaldar os utensílios e 8 para fazer o café). A água deverá estar em uma temperatura de cerca de 96 °C. Para chegar nessa temperatura, ferva a água e aguarde cerca de um minuto para usá-la.

2. Dobre as costuras do filtro de papel e encaixe no porta filtro.

3. Use cerca de um copo americano de água quente para escaldar o filtro de papel, isso ajuda a limpar o filtro e evita gosto de papel em sua bebida.

4. Despeje 8 colheres de sopa bem cheias de pó de café no porta filtro. A moagem deve ser média (se ele for moído imediatamente antes do preparo, fica ainda mais gostoso).

5. Derrame um pouco de água quente em cima do pó até que ele fique todo molhado e aguarde 30 segundos, esse momento se chama pré-infusão onde os sabores e aromas do café são liberados.

6. Em seguida, adicione o restante da água aos poucos e espere até que o líquido comece a gotejar na parte de baixo do porta filtro para finalizar o processo.

Enjoy!

>>Veja aqui qual a medida certa para fazer café no dia a dia<<

Dica 3 – Como Armazenar O Café Depois De Pronto

A garrafa térmica é uma alinhada no dia a dia, já que podemos manter o café aquecido por mais tempo e até levar em viagens curtas. No entanto, é necessário tomar alguns cuidados para manter a qualidade do café ao longo do dia. Como por exemplo, limpar a garrafa com água quente antes de colocar o café recém preparado. E, semanalmente, realizar uma limpeza mais profunda, com sabão/detergente neutro e bicarbonato de sódio para retirar todas as impurezas.

Aqui, gostamos de deixar ela completa com água fervida e detergente durante a noite.


Ah, e lembre-se de não deixar o café por muito tempo dentro da garrafa e nunca deixar o café de um dia para o outro. Além disso, mantenha a garrafa bem fechada para evitar o contato do café com o ar e consequentemente a rápida oxidação da bebida. E é essa oxidação faz com que o café perca seus sabores e aromas ao decorrer do dia.

Agora, basta escolher um café e usar as dicas acima para preparar um café bem saboroso para seus amigos e familiares! Confira aqui os cafés disponíveis em assinatura coffee&joy


DICA BÔNUS: E no caso de sobrar café na garrafa nem pense em jogar fora, viu. Nada de desperdício! Veja abaixo como aproveitar até a última gota de café.

Gelo de café

O gelo de café é uma ótima forma de aproveitar até mesmo aquele café que ficou no fundo da garrafa térmica. Basta colocar em forminhas ou vasilhas menores e levar ao congelador até endurecer. Depois disso é só soltar a imaginação e preparar receitas deliciosas e refrescantes com café. O gelo  pode ser usado no preparo de frappuccinos, shakes e outras bebidas cafeinadas.

>>Confira outras receitas geladas com café<<


Café & doce de leite


Ingredientes:

100ml de café coffee&joy congelado (usamos o Alfajor da assinatura coffee&joy, que tem notas naturais de doce de leite)

100ml de leite ou bebida vegetal gelada

100g de doce de leite (usamos o Abella Andrade que é sem glúten, sem açúcar e sem lactose)

Como Preparar:

– Com uma colher, espalhe o doce de leite no interior do copo.

– Adicione os cubos de gelo de café.

– Agite bem o leite para que ele fique com uma consistência cremosa. Nessa parte, utilize um espumador de leite, pote com tampa ou mixer (aqui tem um post ensinado a fazer leite super cremoso em casa). E, em seguida, despeje sobre o gelo de café.

– Sirva em seguida.

Agora é só convidar os amigos para tomar café e colocar as dicas acima em prática. Enjoy! Ah, fique a vontade para compartilhar com a gente esse momento, basta marcar @coffee_and_joy no instagram. 

4 Receitas de Shakes e Batidas Com Café

Publicado em Tags , ,

Não é segredo para ninguém que a caça por receitas geladas já começou aqui na coffee&joy. E por isso, resolvemos compartilhar algumas de nossas batidas com café favoritas. Elas são muito simples de preparar, descomplicadas e deliciosas. Assim, é possível aproveitar o calor sem abrir mãos da dose de café diária! Assista ao vídeo que preparamos ou continue lendo para aprender 4 receitas fáceis de shake gelado com café.

Para os preparos abaixo, dê preferência ao uso de cafés especiais. Ah, e aqui é possível encontrar diversas opções de cafés. Escolhemos o café Espresso Sul. Ele é um café com torra escura e é ideal para o preparo de receitas, já que seu sabor intenso e marcante com notas naturais de chocolate é realçado com muita facilidade, mesmo junto com outros ingredientes.

Após escolher o café, faça ele como de costume, de preferência, use um pouco mais de pó para ficar mais intenso. Para o preparo no coador de papel, usamos 4 colheres de sopa bem cheias de café na moagem média (aprox. 40g) para um copo americano de água (aprox. 200ml). Veja aqui outras formas de preparar um café intenso e saboroso em casa.  Assim, o sabor do café ficará bem evidente na receita.

Aqui estão algumas dicas de como fazer café de diferentes jeitos, dos mais simples aos mais elaborados.

E vamos às receitas!


1- Café & Batida de Banana

Utilizar a banana para adoçar receitas é uma boa dica para quem busca reduzir o consumo do açúcar branco. Além disso, a banana traz uma textura bem cremosa para os shakes. Uma ótima opção para o café da manhã ou lanche da tarde e ainda é vegano. 

Ingredientes:

– 1 banana fatiada e congelada

– 100ml de um café coffee&joy bem intenso

– 1 colher de melado de cana ou mel (opcional)

– 100ml de leite (pode ser bebida vegetal)

– gelo

Modo de preparo:

Em um liquidificador ou mixer, adicione a banana congelada, o leite ou bebida vegetal, o gelo, o mel ou melado e o café já pronto. O ideal é esperar o café esfriar um pouco antes de preparar o shake, assim tudo ficará bem gelado. Bata até a mistura ficar homogênea. Sirva em um copo ou taça e se quiser coloque um pouquinho de mel ou melado em cima.

Enjoy!


2- Shake para tomar antes do treino ou para substituir o café da manhã

Cuidar da alimentação é um ótimo jeito de fazer valer o treino. Por isso, é importante ter um acompanhamento de um nutricionista na hora de pensar no que vamos comer no dia a dia. Já temos um post falando sobre shakes funcionais com a nutricionista Maria Fernanda em nosso blog. Aproveite e veja outra dica de receita com café

Dessa vez, utilizamos o café e a pasta de amendoim para o preparo de um shake delicioso.

Ingredientes:

– 120 ml de café coffee&joy congelado

– 100ml de leite ou bebida vegetal gelada

– 1 colher de sopa de pasta de amendoim

– 1 colher de chá de canela (opcional)

– 1 colher de sopa de chocolate ou cacau em pó

Modo de preparo:

Adicione o café já pronto em forminhas de gelo ou potes pequenos e leve ao congelador por 3 horas ou até virar gelo.

Em um mixer ou liquidificador, adicione todos os ingredientes e bata até homogeneizar a mistura.

Sirva em um copo alto. Enjoy!

 

3- Milkshake de Café 

Uma sobremesa bem conhecida dos coffeelovers é o affogato, uma mistura deliciosa de sorvete e café espresso. No entanto, é possível soltar a imaginação e preparar diversas receitas com café e sorvete.

O legal é que além de ter um preparo bem simples, o drink fica bem bonito nas fotos e ainda é ótima opção para a sobremesa de domingo.

Ingredientes:

– 100ml de um café coffee&joy bem intenso

– 2 bolas de sorvete de creme

– 4 a 5 biscoitos de chocolate recheado

Modo de preparo:

Em um liquidificador ou mixer, adicione o café, o sorvete de creme e o biscoito recheado. Bata até triturar bem todo o biscoito. E sirva em um copo ou taça. Coloque um pouquinho do biscoito esfarelado para decorar.

Enjoy!


4- Frappuccino De Café

O frappuccino é uma bebida encontrada com facilidade em cafeterias, mas seu preparo é tão simples que é possível fazer sua própria versão e aproveitar a sobremesa com amigos. Veja como preparar um em casa.

Ingredientes:

– 100ml de café coffee&joy intenso

– 100ml de leite ou leite vegetal bem gelado

– 1 colher de chocolate em pó

– 1 barrinha de chocolate

– gelo

– Chantilly (opcional)

Modo de preparo:

Em um mixer ou liquidificador, coloque o café, o leite gelado, o chocolate em pó e bata a mistura. Depois de bater, adicione o chocolate e bata só um pouco, para que fique com uns pedacinhos crocantes.

Sirva em um copo alto ou taça e, se quiser, finalize com chantilly.

Enjoy!


Nada como preparar bebidas simples e deliciosas em casa e aproveitar para amenizar o calor. Por isso, que tal preparar uma das nossas dicas (ou todas) e tirar uma foto bem caprichada para marcar a @coffee_and_joy? E assim, aproveitar para ganhar muitas cafeínas!

Como Desentupir e Limpar o Coador de Inox (Pour Over) e Cuidados Diários Para que ele Dure Mais Tempo

Publicado em Tags , , ,

Os coadores de inox vieram com tudo para revolucionar a forma de fazer café. Ele dispensa o uso de filtros de papel ou de pano, pois já vem com uma malha fina que faz a função do filtro. E o melhor é que o coador de inox prepara um café saboroso e sem se preocupar com a reposição de filtros no dia a dia.

Acontece que se não tiver cuidado, ele pode vir a entupir e o café acaba demorando muito tempo para passar. Mas tem alguns cuidados que podem ser feitos no dia a dia e dicas de limpeza que vão te ajudar a ter um bom café sempre. Leia o post ou assista ao vídeo que preparamos abaixo. 

O coador de inox que testamos foi desenvolvido pela Bialetti, conhecida mundialmente pela fabricação de equipamentos para preparo de café, como a cafeteira italiana, chaleiras e moedores. Este tipo de coador também é conhecido também como filtro de inox ou pour over, que é a tradução literal do inglês ‘derramar sobre’, usado para se referir a coadores no geral.

O filtro de inox é muito prático e o resultado é um café com muita doçura e corpo. Isso acontece devido à malha metálica, que permite a passagem dos óleo essenciais do café para a xícara com facilidade. E, por ter uma malha bem fina, o filtro consegue reter a maior parte das micropartículas do café, deixando a bebida mais “limpa” se comparada à prensa francesa, por exemplo.

Já fizemos um conteúdo completo sobre como usar ele, clique aqui para conferir tudo sobre o pour over da Bialetti

Não é atoa que o Pour Over da Bialetti é um dos queridinhos na hora de preparar o café do dia, tarde e da noite também. Ele faz parte do dia a dia de muita gente pelo resultado diferenciado da bebida e principalmente para a preservação do meio ambiente. E nem precisa falar da economia, já que dispensa os filtros de papel.

Dicas de Limpeza e Conservação do Pour Over de Inox

Manter a limpeza em dia dos equipamentos que usamos é um dos segredinhos para se ter um café mais saboroso. Já que o café absorve e confere muito cheiro aos recipientes que entram em contato com ele. Sem falar nos óleos naturais que ele possui, que podem acabar entupindo a malha fina do coador de inox. Por isso, juntamos algumas dicas de como limpar o pour over e manter a conservação dele por muito mais tempo.

1º Água quente

Toda vez que usar o coador de inox, sempre descarte imediatamente a borra do café. Como ele fica muito quente, espere alguns minutos mas não deixe a borra do café secar no coador.

Em seguida, enxágue todo o coador com água fervida. Esse processo ajuda na retirada dos óleos do café que ficam depositados na malha metálica do coador. Se quiser, repita o processo mais algumas vezes. E deixe secar naturalmente antes de guardar.

O processo é ideal para a limpeza do dia a dia e ajuda na prevenção de futuros entupimentos. Essa é a dica oficial da Bialetti para manter a limpeza do pour over.

2º Bicarbonato de sódio e água quente

Mesmo com os cuidados diários de limpeza e conservação, após algum tempo de uso é necessário realizar uma limpeza mais profunda. E é aí que o bicarbonato de sódio entra. O bicarbonato ajuda na remoção dos óleos do café que ficam acumulados entre a trama metálica do pour over. Assim, é possível realizar uma limpeza mais profunda.

Logo que o café ficar pronto, retire toda a borra do coador de inox e enxague com água quente. Em seguida, mergulhe o coador em uma mistura de água quente e bicarbonato de sódio por meia hora. Enxágue com água corrente, passe uma esponja macia de limpeza em todo o filtro. Se necessário, repita esse processo até desentupir. Deixe secar naturalmente antes de guardar o coador.

Se você usa o coador de inox todos os dias, o ideal é realizar esse processo pelo menos uma vez por semana. Assim, ele fica sempre limpo e fica mais difícil de entupir.

Veja como reaproveitar a borra do café e ainda cuidar das plantinhas!

3º Detergente em pó ou pastilha para limpeza 

Se você já fez todos os processos acima e mesmo assim o coador de inox ainda continua entupindo, a solução é usar detergente em pó ou pastilha para limpeza. Existe detergente em pó específico para limpeza de máquinas de espresso, que é ideal para usar no pour over, já que sua função é justamente retirar cheiros e sabores que ficam nas máquinas de espresso por conta do envelhecimento dos óleos do café. Além de ajudar a desentupir os equipamentos. 

É possível encontrar o detergente de diversas marcas e valores, mas normalmente em lojas especializadas e empresas que fornecem manutenção para máquinas de espresso. Eles possuem um bom custo benefício, pois rendem muitas sessões de limpeza.

Para a limpeza profunda do pour de inox, recomendamos a utilização de uma colher de sopa de detergente em pó – nós usamos o Cafiza. Deixe o coador de molho na mistura de detergente e água quente por meia hora. Passe uma esponja macia de limpeza ou escovinha macia em todo o filtro.

Depois, enxágue bem e deixe secar bem antes de guardar.

Durante nossos testes e pesquisas sobre o pour over encontramos diversas dicas de limpeza pela internet. Já tínhamos testado e comprovado a eficácia do bicarbonato e detergente de máquina de espresso. No entanto, ficamos curiosos com outras que apareceram.  Tais como:

– Deixar o coador de molho com água sanitária e água quente por 30 minutos – recomendamos como última alternativa, pois a água sanitária é tóxica e não pode, de forma nenhuma, ser ingerida;

– Máquina de lavar louças e detergente próprio para o uso nela – tem uma função parecida com o detergente para máquinas de espresso, aqui, recomendamos usar o detergente com água fervida, mas fora da lava louças, para evitar danos à malha fina do coador que é muito delicada;

– Colocar no forno por aproximadamente uma hora para cremar as partículas de café que ficam entre a malha metálica – achamos interessante, mas não tivemos coragem de testar;

– Limpeza com Vinagre de Álcool e bicarbonato, seguido de molho com detergente de coco/sabão de coco e água morna. O vinagre e bicarbonato fazem uma espuma efervescente (é usado até para desentupir a pia). Quando a espuma acabar, a recomendação é adicionar o detergente de coco e a água morna e deixar de molho durante a noite. Por fim, enxaguar com água corrente, usando uma escovinha para tirar os resíduos – é uma alternativa interessante para quem não tem acesso ao detergente em pó ou pastilha de limpeza.

O mais importante na hora de escolher a forma de realizar a limpeza do pour over, é observar se o processo irá danificar ou deixar sabores indesejados no coador. E a mais eficaz, com certeza, é a prevenção. Por isso, nunca deixe o seu coador sujo e lave sempre imediatamente depois de usar, para não ter dor de cabeça na hora de fazer café.

E aí, já testou alguma das dicas acima? Me conta nos comentários se gostaria de conferir como elas funcionam na prática. 

Receita Diferente de Espresso Tônica – Para não perder mais nenhuma gota de café e ainda preparar um drink super refrescante com gelo de café

Publicado em Tags , ,

É até hábito do brasileiro acordar cedinho e já preparar a garrafa térmica lotada de café para animar o dia. E tem dia que até sobra um pouquinho na garrafa. Aqui na coffee&joy é bem raro o café ficar na garrafa por mais de 10 minutos. Mas quando acontece, aproveitamos para congelar o café e preparar inúmeros drinks com ele. E agora que os dias estão mais quentes, é regra deixar uma forminha com café na geladeira. 

Continue lendo o post ou assista ao vídeo para aprender a não perder mais nenhuma gota de café e preparar um drink super refrescante com gelo de café.

O gelo de café é uma ótima opção para evitar o desperdício do café no dia a dia. E ainda preparar receitas incríveis e refrescantes. Basta soltar a imaginação e aproveitar! Seja no preparo de drinks alcoólicos ou não, ou em receitas mais docinhas como frappuccino, o gelo de café facilita muito o preparo de bebidas geladas.

E para o preparo de hoje, escolhemos o café Sicília da assinatura coffee&joy. Ele é um café com uma acidez delicada e que combina muito bem com a refrescância que estamos procurando. Além de ter um sabor refrescante com notas de capim limão, limão siciliano, mel e gengibre.


>>Conheça outras receitas com café que preparamos<<

Confira a lista de ingredientes abaixo e aproveite para se refrescar!

Rendimento: 1 porção

Tempo de preparo: 5 minutos

Drink refrescante com gelo de café

Ingredientes

– 6 pedras de gelo de café coffee&joy (cerca de 60ml)
– ½ limão espremido
– 200ml de água tônica
– 2 rodelas de limão para decorar (usamos o siciliano e o tahiti)

Modo de preparo

Faça pedras de gelo com cerca de 60ml de um café bem frutado já pronto. Nós usamos o café Sicília da assinatura coffee&joy, feito na cafeteira Italiana, mas pode fazer no filtro, prensa francesa, onde preferir. Veja aqui como fazer café de várias formas diferentes.

Em um copo alto, adicione o gelo de café e mexa com uma colher. Isso vai baixar a temperatura do copo e manterá o drink gelado por mais tempo. 

Adicione o suco de limão e mexa.
Coloque as rodelas de limão na parede do copo e a água tônica.

Opcional 1: se quiser, decore com o galhinho de alecrim. Ele também traz um sabor herbal e refrescante para o drink.

Opcional 2: se quiser, adicione uma dose de gin, para um drink para o final de semana.
Enjoy!

Ah, e não esquece de caprichar na foto e marcar a @coffee_and_joy na redes sociais para ganhar cafeínas e mostrar para gente que gostou da receita.

Receita de Shakerato Com Água De Coco Em Casa – Um Drink Refrescante Com Café

Publicado em Tags , , ,

Pode parecer até inusitado, mas tomar café especial em pleno calor brasileiro é uma delícia. Café gelado e outros drinks cafeinados são uma ótima escolha para quem busca um refresco em um dia quente sem abrir mão do café diário.

E é aí que entra o Shakerato. Ele é um drink fácil e saboroso para fazer em casa e ainda é super refrescante. Simplesmente a cara do verão! Assista ao vídeo ou continue lendo para preparar um Shakerato com água de coco em casa:

 

Só foi calor chegar para começarmos a testar inúmeras receitinhas geladas com café. E logo de cara o Shakerato já ganhou o coração de todos aqui na coffee&joy. Além de ter um preparo simples e ser muito saboroso, ele é drink super versátil. Assim, cada um pode soltar a imaginação e preparar com os ingredientes que gosta.

A versão mais clássica do Shakerato foi criada na Itália e levava apenas espresso, gelo e açúcar na composição. Já para a nossa receita, adicionamos a água de coco e o limão. Esses ingredientes trazem um toque todo especial ao drink e o deixa ainda mais refrescante, além de harmonizarem bem com o café especial.

Veja Qual a Melhor Harmonização para o Café Especial e como Combinar Sabores

O segredo do preparo é escolher um café que tenha um corpo mais cremoso e intenso, já que vamos adicionar gelo. Por conta disso, optamos pelo café Havaí da assinatura coffee&joy. Ele combinou muito bem com os demais ingredientes e ainda trouxe um sabor potente ao Shakerato. O Havaí é um café com finalização longa e doce, tendo um sabor marcante e notas de cereja, framboesa, lima e abacaxi.

Aqui o café foi feito em uma cafeteira italiana, mas fique a vontade para usar a forma de preparo que tiver em mãos. Ah, e não se esqueça de preparar um café mais intenso para fazer o Shakerato. Já mostramos aqui como fazer um café especial intenso em casa.

>>Aproveite para conhecer outros drinks com café especial<<

Confira a lista de ingredientes abaixo e aproveite para se refrescar!

Rendimento: 1 porção

Tempo de preparo: 5 minutos

Shakerato com água de coco e limão

Ingredientes:

– 4 a 5 pedras de gelo de água de coco (cerca de 200ml) 

– 1 colher de sopa de açúcar 

– 60ml café intenso coffee&joy

– 2 fatias de limão siciliano

– Coqueteleira, mixer ou liquidificador

Modo de preparo:

Quando preparado em cafeterias, o Shakerato é feito com café espresso por conta da rapidez e sabor intenso. No entanto, fique a vontade para fazer na forma de preparo que mais utiliza no dia a dia, como o coador de papel ou uma prensa francesa. Apenas lembre-se de fazer um café mais intenso. Aqui, utilizamos 2 colheres de sopa de café (aprox. 30g) para cada 1 copo americano de água (130ml). Veja algumas Dicas para Fazer um Café Especial Intenso em Casa

Coloque 3 a 4 pedras do gelo de água de coco, o açúcar e o café pronto na coqueteleira ou pote com tampa. Feche bem e agite de forma firme e constante (frente para trás) até gelar o recipiente. Aqui, além de resfriar a mistura, bater o café na coqueteleira traz cremosidade à bebida. É importante usar uma coqueteleira ou pote com tampa grande, para aerar bem e ficar bastante cremoso.

Em uma taça ou copo, adicione mais 1 gelo de água de coco e misture com uma colher, para gelar o copo e manter o drink geladinho por mais tempo. Adicione as fatias de limão siciliano e o resto dos ingredientes batidos. Se quiser, adicione as raspas de limão para decorar.

Enjoy!

Se ficou com vontade de provar o drink, que tal preparar em casa e ainda aproveitar para ganhar cafeínas? Capriche na foto e marque a @coffee_and_joy nas redes sociais!

Por que Moer Café em Casa e Qual O Melhor Moedor: Manual ou Elétrico de Lâminas?

Publicado em Tags , ,

Moer o café momentos antes de preparar ainda está bem longe da rotina da maioria dos brasileiros, mas vem ganhando muitos adeptos ao longo dos últimos anos. Isso porque, fazer a moagem do grão na hora de preparar deixa o café ainda mais gostoso. Com essa nova onda de moer o próprio café, surgem dúvidas como se vale a pena moer ou qual o tipo de moedor que é melhor.

Por isso, gravamos um vídeo para falar sobre os principais motivos para moer o café em casa e como escolher o melhor moedor para usar no dia a dia. Se preferir, continue lendo.

 

Motivos Para Moer Café em Casa

O grão do café funciona como uma cápsula protetora natural e mantém todos os sabores e aromas do café torrado dentro dele. Para liberar esses aromas e sabores, é necessário quebrar essa proteção e, depois, hidratar o café que foi moído com água quente.

Quem já viu um café sendo moído na hora, sabe como o aroma dele invade qualquer lugar. Imediatamente quando se quebra o grão em partes menores na moagem, todos os compostos aromáticos dele já começam a dissipar no ambiente, que fica inteiramente perfumado.

Ou seja, na hora da moagem, se quebra a cápsula protetora do grão e ele começa a liberar seus aromas, fazendo com que o café comece a “perder” potência de sabor, já que vai se dissipando para o ambiente. Se a gente consegue sentir no ar, é porque não está mais lá no café.

Quanto mais tempo passa do momento da moagem para a hora de preparar e tomar, menos potência de sabor o café vai ter. 

E porque isso é importante? Porque o café tem milhares de compostos aromáticos. Quando falamos de cafés especiais, é possível encontrar ainda mais nuances e até notas sensoriais naturais que lembram outros alimentos como chocolate, frutas e castanhas. E quanto melhor “guardado” estes compostos aromáticos estiverem, mais gostoso o café na xícara vai ficar.

Nas cafeterias especializadas em café especial, os baristas sempre moem os grãos antes do preparo do café justamente para garantir um café no seu melhor potencial possível. Segundo o protocolo de prova e avaliação de cafés especiais  da SCA (Specialty Coffee Association), na prova técnica para atestar a qualidade, o grão de café deve ser moído na hora, ou não mais do que 15 minutos antes da infusão, quando se coloca a água quente. Já que passando disso o café teria iniciado o processo de perda de suas características sensoriais (oxidação) e dificultaria a classificação. 

Veja as diferenças entre o café especial e o café tradicional extra forte

Vale ressaltar que isso não quer dizer que comprar um café já moído é ruim. Para quem tem o dia corrido, ter café já moído facilita e muito no dia a dia. O que acontece é que o processo de oxidação e perda dos sabores e aromas é acelerado após a moagem do café. Assim, na hora de preparar um café que já estava moído, ele já “perdeu” uma parte dos seus compostos aromáticos para o ambiente e, consequentemente, não trará todo o potencial do sabor do café para a xícara. 

Aqui na coffee&joy,  realizamos a moagem imediatamente antes de enviar o café aos nossos clientes. Além disso, usamos uma embalagem que possui uma tecnologia de armazenamento e válvula de gás, para garantir o maior frescor e sabor possível até a hora de preparar. O importante, no final das contas, é que se encontre o que cabe em cada rotina.

Um outro ponto importante é sobre o tamanho da moagem. A forma como se prepara o café (filtro, cafeteira, prensa francesa etc.) e a escolha da moagem (fina, média ou grossa), afetam o resultado do café na xícara. 

Para se obter um bom resultado na xícara, é importante utilizar a moagem indicada para a forma de preparo. Por exemplo, para fazer café no filtro de papel, uma moagem média é a mais adequada, mas já para a prensa francesa, a moagem grossa é a mais indicada. Se quiser saber sobre o tamanho da moagem para o seu método de preparo, já tem um post completo aqui.

Assim, ter um moedor em casa é um detalhe que traz impactos positivos ao seu café do dia a dia, pois permite extrair um café com mais sabor e com tudo o que ele pode oferecer e, ainda, permite usar formas de preparo diferenciadas (prensa francesa, coadores, máquinas de espresso, cafeteiras italianas, por exemplo), fazer inúmeros testes, criar receitas e se aventurar ainda mais no universo dos cafés especiais.  

Por isso, preparamos algumas dicas para te ajudar a escolher o melhor moedor para usar no dia a dia. Veja abaixo as diferenças entre cada um.

Como escolher seu moedor para o uso diário?

A moagem serve para quebrar o grão em partes menores. Isso facilita e também determina o tempo de preparo do café. Por exemplo, para fazer o café com um preparo mais longo, como em uma prensa francesa, é necessário moer o café mais grosso, pois fica em infusão bastante tempo. Já para fazer um café espresso, é preciso deixar a moagem fina para poder extrair uma dose de café um poucos segundos e ainda ter uma bebida potente e deliciosa. 

E o que isso tem a ver com os tipos de sistemas de moagens? Tudo! Cada um oferece um nível de precisão diferente e isso vai determinar se o café será moído de forma homogênea ou não e se será adequado para o que você espera do resultado do café na xícara.

É possível encontrar no mercado moedores de café que atendem a diversas necessidades e de diferentes marcas e preços. De equipamentos compactos e voltados para o uso doméstico aos mais robustos, que encontramos em cafeterias e torrefações, e apresentando diferentes graus de precisão.

Assim, podemos separar os moedores em duas categorias bases: manuais e elétricos. E subdividir em outras 5 categorias. 

Separamos as duas categorias mais comuns, o Moedor Manual e Moedor de Hélice, para comparar e te ajudar a tomar a decisão de qual moedor ter em casa.

Moedores manuais

São moedores de café que oferecem um bom desempenho em relação à moagem, mas não possuem uma variedade grande de regulagens.

Esse tipo de moedor permite um controle maior em relação a granulometria e precisão. No mercado há modelos com a capacidade de moer de 20g a 100g. Geralmente, são compostos por lâminas/mós de cerâmica ou aço, junto a um sistema de manivela, que facilita a moagem do grão.

No sistema de lâmina/mó cônica, os grãos são quebrados no vão entre a mó interna e a externa. Aqui, o espaço existente entre as mós determina o tamanho da moagem. E geralmente, são feitas de aço inoxidável ou de cerâmica com partes metálicas.

Essa tecnologia permite uma uniformidade boa na moagem, já que o grão será quebrado com base no tamanho do espaçamento da mó.

Com um bom moedor manual, é possível chegar no grau de moagem para fazer café em vários métodos, como espresso, coado e prensa francesa. Normalmente, não geram muitos fines, que são as micropartículas de café (pós bem fininhos), que não deixam a moagem homogênea e, em excesso, geram um super extração na hora de preparar o café.

Além disso, são ótimos para levar em viagens e acampar, já que não é necessário usar energia elétrica durante o processo. A desvantagem é que precisa de ter um pouco de paciência e força do braço para conseguir quebrar os grãos de café.

Sobre os modelos de moedores manuais, existem moedores mais simples e baratos (que custam em torno de R$100,00) e moedores de marcas especializadas em cafés, que são mais resistente e queridinhos pelos coffee lovers e baristas, como o Hario Slim, Hario Skerton, Timemore e Comandante. Os valores dos moedores melhores começam a partir de R$300 chegam até R$3.000.

Moedores Elétricos de Hélice

Os moedores de café elétricos de hélice são uma ótima escolha para quem busca praticidade na hora preparar sua bebida cafeinada e com bom custo benefício.

São moedores que têm um preço acessível e são encontrados com facilidade no mercado. São compostos por um sistema de hélices que “cortam” os grãos de café em alta velocidade. E o controle de granulometria desses equipamentos é feito pelo tempo, ou seja, quanto mais tempo moer mais fino ficará o café.

Os modelos com hélices tem uma precisão de granulometria menor em comparação com os moedores manuais, pois trituram os grãos em diferentes tamanhos (não homogêneo). Por causa disso, uma desvantagem deste moedor é que os tamanhos diferentes de moagens vão interferir na extração e qualidade da bebida. Ou seja, os grãos mais finos terão mais contato com a água quente e vão extrair mais, enquanto os mais grossos extraem menos.

Veja a diferença entre um café moído no moedor elétrico de hélice (esquerda) e do moedor manual (direita):

Ainda que não tenha tanta precisão na moagem, por ter preços acessíveis é uma boa opção para quem quer começar a ter um café mais fresco em casa. Moer o café em casa, independente do moedor, já é um passo muito grande para quem quer ter um alimento gostoso e fresco em casa. 

Além disso, com o moedor elétrico, é possível fazer café em diferentes métodos, como no filtro de papel, cafeteira italiana. 

O legal é que hoje existem várias marcas de moedores desse tipo e dá para encontrar o que mais combina com a sua cozinha. Os valores começam a partir de R$100 até R$500 e os modelos mais comuns são o Cadence di Grano, Bialetti, Hamilton Beach, Oster, Tramontina, etc. 

Aqui tem um post ensinando a usar o moedor do modelo Cadence, que é um dos mais baratos do mercado.

Comparamos um modelo de moedor de cada tipo e veja só as nossas percepções:

Vale lembrar que, além dos moedores, existem outros tipos disponíveis no mercado.

Moedor manual profissional: São diferenciados dos moedores de entrada pela maior precisão e ajuste de moagens. No geral, possuem um custo mais elevado e são voltados para quem busca precisão e versatilidade na hora de preparar café.

Moedor Elétrico semiprofissional com discos/mós de cerâmica ou aço inoxidável: Tem um custo de investimento maior que os moinhos de hélices. Apresentam um padrão maior de regulagens de granulometria e se aproximam dos moedores profissionais por conta disso, no entanto possuem um custo menor e são recomendados para o preparo de cafés filtrados em casa ou cafeterias menores.

Moedor Elétrico profissional discos/mós de aço inoxidável: Possuem um custo de investimento maior que os moinhos de hélices. Apresentam uma variabilidade maior de granulometrias. E são voltados para cafeterias, torrefações e campeonatos. São ideais para o uso contínuo e para moer grandes quantidades de grãos, além de demandarem um conhecimento técnico para sua utilização e domínio de todas as funções.

 Veja Dicas Para Nunca Mais Errar o Tipo de Moagem do Seu Café

Conclusão

Quando compramos o café moído, o processo de oxidação já foi iniciado, as características e qualidade do grão começaram a se perder. Mas isso não quer dizer que seu café está ruim, apenas que não trará toda a potência e sabores do café para a xícara.

Por isso, para quem procura ter uma bebida  mais saborosa e fresca, e, também, quer acessar toda a complexidade que um café especial pode oferecer, ter um moedor em casa faz toda a diferença.

Mas antes de adquirir o seu, pense também no tamanho e peso do moedor e a forma como será usado. Por exemplo, será usado em casa, na empresa em que trabalha ou durante viagens e também a frequência de uso durante o dia e a quantidade de café que irá moer. 

Independente do tipo de moedor que escolher, moer o café na hora é sempre uma boa opção. Mas se não cabe na sua rotina ainda, dê preferência para cafés com torra recente e embalados com precisão.

Enjoy!

Como Fazer um Shakerato Em Casa

Publicado em Tags , , ,

O Shakerato é uma bebida à base de café espresso e gelo. A receita surgiu na Itália e é uma ótima escolha quando o assunto é se refrescar no calor. Fizemos a nossa versão do Shakerato, é muito fácil de preparar e super refrescante.

Assista ao vídeo ou continue lendo para preparar um Shakerato em casa:

 

Aqui o café é um companheiro de todos os momentos, inclusive no calor. Bastou o clima esquentar um pouquinho para iniciamos a busca por versões geladas do nosso café do dia a dia. E foi aí que encontramos o Shakerato. Ele é um drink cafeinado criado na Itália e é uma ótima opção para quem não abre mão do café de jeito nenhum! 

Originalmente, o Shakerato é feito usando café espresso, gelo e açúcar, mas é possível encontrar receitas que levam outros ingredientes e fogem do tradicional. O nome vem literalmente de shake – ou mexer. Aqui o grande segredo está em chacoalhar o drink o suficiente para que ele crie uma espuma e textura cremosa, para refrescar e vir com uma explosão de sabor. 

Aqui o segredo da receita é escolher um café que tenha um corpo mais denso e cremoso, já que vamos colocar gelo junto. Por isso, escolhemos o café Talismã da assinatura coffee&joy. Ele harmonizou muito bem com ingredientes usados e ainda trouxe potência à mistura. O Talismã é doce e tem notas acentuadas de chocolate ao leite, macadâmia, tamara, maçã madura e lima. O café pode ser feito em uma máquina de espresso caseira ou cafeteira italiana, mas fique a vontade para usar a forma de preparo que está habituado. Ah, e lembre-se de preparar um café mais intenso.

Aqui estão algumas Dicas para Fazer Café Especial bem Intenso em Casa – Saiba como Chegar o Mais Próximo do Espresso de Cafeteria

>>Conheça outros drinks com café que preparamos<<

Confira a lista de ingredientes abaixo e aproveite o calor para se refrescar!

Rendimento: 1 porção

Tempo de preparo: 5 minutos

Shakerato 

Ingredientes:

– 5 a 6 pedras de gelo

– 1 colher de sopa  de açúcar

– 60ml café intenso coffee&joy

– coqueteleira ou mixer ou liquidificador ou um potinho com tampa


Modo de preparo:

Em cafeterias, o café espresso é usado por conta do preparo rápido e intensidade de sabores, mas uma cafeteira italiana (que faz um café mais intenso) pode substituir perfeitamente, ou então, qualquer outra  forma de preparo que tiver em mãos. Aqui, utilizamos 2 colheres de sopa de pó de café (26 a 30g) para cada 1 copo americano de água (130ml) na mokinha. Mas também dá para fazer o mesmo no filtro de papel e de pano. Veja dicas de como preparar o seu café em casa.

Em uma coqueteleira ou pote com tampa, coloque o gelo, o açúcar e o café pronto. Feche bem a coqueteleira e agite de forma firme e constante (frente para trás) até gelar a mistura. Bater a mistura na coqueteleira vai adicionar cremosidade ao drink e resfriar o café, o gelo serve como um aerador e cria uma textura mais cremosa ao drink.

Separe o gelo do líquido e sirva o drink em um copo baixo ou taça gelada. Para tanto, é só colocar no congelador ou passar uma pedra de gelo antes de colocar o drink. 

Algumas raspas de limão para decorar vão bem, mas é totalmente opcional.

Enjoy!


Deu vontade de provar o drink, né? Que tal preparar um em casa e ainda faturar cafeínas? Basta tirar uma foto bem bonita e marcar a @coffee_and_joy nas redes sociais!

O Impacto do Material do Coador no Sabor do Café – Qual a Diferença de Coador de Plástico e Coador de Cerâmica?

Publicado em Tags , ,

Quando a dona de casa alemã Amalie Auguste Melitta Bentz criou o primeiro coador com filtro de papel em 1908, seu único propósito era preparar um café que não tivesse resíduos de pó na xícara. Mal sabia ela que ia revolucionar completamente a forma de fazer café. A invenção é tão prática e acessível, que o coador com filtro de papel é uma das formas mais comuns de fazer café no planeta.

Com tanta popularidade, não seria errado esperar que novas versões fossem criadas ao longo do tempo para trazer mais benefícios e charme na hora do café. Uma das inovações do suporte do filtro de papel é o material. Hoje, já é possível encontrar coadores de todo tamanho, material e valor. Mas qual a diferença de um coador com filtro de papel feito de plástico ou acrílico e outro feito de cerâmica? Será que realmente interfere no sabor do café?

Nós testamos um dos coadores mais queridinhos pelos baristas, o coador Hario V60, que tem disponível nestes 2 materiais. Assista ao vídeo ou continue lendo para ver a diferença entre eles.

 

Algumas curiosidades sobre o coador (ou suporte de filtro)

O café é uma fruta e o que nós consumimos é a semente daquela fruta, que foi torrada, moída e colocada em infusão com água. Para extrair todos os sabores e gostos do café, é necessário que ele fique em contato com a água em alta temperatura por pelo menos 2 minutos.

Já tentou passar um café com água que não estivesse quente? A não ser que deixe o café em contato com água por pelo menos 12 horas antes de coar para fazer um cold brew, se passar o café no filtro com água fria, ela vai sair clarinha, quase sem sabor. 

Além disso, o café não se dissolve na água, igual acontece com o açúcar e o sal por exemplo. Por isso, mesmo que misturado na água quente ele extrai sabor e aroma, mas ainda continua inteiro.

Curiosidade: o café solúvel que se encontra no supermercado, não é o pó dele propriamente dito, mas sim um café já preparado reduzido a partículas, que se dissolve novamente quando em contato com a água.

Por este motivo o coador ficou tão popular em pouco tempo: ele possui uma estrutura bem simples, mas resolveu vários problemas. 

O coador é seguro para passar o café em alta temperatura, o formato dele permite que a água escoe tranquilamente passando por todas as partículas de café. O suporte acomoda perfeitamente um filtro de papel ou de pano que retém as partículas do café, permitindo que apenas o líquido saia na parte de baixo para a jarra ou xícara, já com todo sabor do café. 

Parâmetros para fazer o teste de material

Hoje em dia, é possível encontrar coadores de diversos formatos. Já fizemos um post falando sobre a diferença dos formatos de 3 coadores famosos entre os coffee Lovers: o Koar, a Hario V60 e a Melitta – veja o post completo aqui.

Além do formato, é possível encontrar coadores de formatos idênticos, mas feitos de materiais diferentes. Colocamos esses dois materiais lado a lado para entender o que interfere ter um de plástico ou acrílico e um de cerâmica. 

Para fazer este teste, escolhemos o coador Hario V60, já que é uma forma moderna de fazer café no dia a dia e, mesmo tendo sido lançado em 2005, em pouco tempo ganhou fama e entusiastas por todo o mundo. 

Ele foi idealizado pela empresa japonesa de vidrarias de mesmo nome, a Hario. A empresa é referência na produção de equipamentos e acessórios próprios para o preparo de café, com foco no café de especialidade. 

A V60 tornou-se tão popular entre os apaixonados e profissionais da área do café que é comum entrar em uma cafeteria e ver o café sendo preparado em uma ou ainda visitar um amigo e descobrir que ele é um fã de carteirinha do método. Além disso, é possível encontrar inúmeros campeonatos de preparação espalhados pelo mundo. Ah, e sabia que o suporte de filtros ganhou esse nome devido ao seu formato cônico em ‘V’ e por possuir uma angulação em 60º?

Basicamente, o café especial preparado na Hario V60 traz bastante limpeza para a xícara, já que fica sem nenhum resíduo de micro pó. E o café tem um equilíbrio entre os sabores e a percepção da acidez do grão é maior em relação aos coadores convencionais (com fundo reto) e de pano. Aqui cada atributo do café (acidez, corpo, doçura e finalização) consegue aparecer e ainda complementar os demais, deixando o café com uma complexidade maior na xícara. 

Assim, a V60 é ideal para aqueles que buscam cafés equilibrados, doces e com uma acidez pronunciada. Cafés especiais com notas naturais doces e que lembram frutas combinam muito com o método. Além disso, a Hario V60 é uma excelente escolha para quem busca praticidade e versatilidade durante o preparo de café no dia a dia.

Se quiser saber mais detalhes, aqui tem um post completo falando sobre a Hario V60

O que é importante saber na hora de escolher um coador?

Hoje, é possível achar coadores de diversos tamanhos. A Hario V60 que usamos para fazer os testes, por exemplo, pode ser achada com facilidade em lojas físicas ou e-commerces especializados. Possuindo uma grande variedade de preços, tamanhos e materiais. Mas e aí, como escolher uma que seja apta para o seu dia a dia?

Abaixo, elencamos alguns detalhes e especificidades que são imprescindíveis na hora de adquirir um coador.

1- Material

A durabilidade e resistência do material é algo que é importante levar em consideração, para ser possível utilizar o produto por mais tempo e evitar o uso exacerbado de matérias primas, por exemplo.

Um coador de cerâmica possui uma vida útil maior. O material não se deteriora facilmente com o tempo e, se for sempre limpo após o uso, dificilmente vai manchar. Mas ele não é a prova de quedas e de choques térmicos. Ele exige um cuidado a mais, para não deixar ele bater ou cair, nem tampouco colocar água fria logo depois de preparar o café – é melhor esperar ele esfriar um pouco.

Para quem costuma viajar e levar seu método de preparo favorito na mochila, os coadores de vidro ou cerâmica não estão entre os mais indicados. Eles são de materiais frágeis e pode até causar algum acidente durante o preparo, caso sofram quedas e choques de temperaturas.

Por outro lado, os coadores de plástico e acrílico podem durar por um tempo, mas eles começam a ressecar após alguns usos. Quando ficam mais velhos, também racham e quebram e têm que ser substituídos.

Na nossa experiência, um coador da Hario V60 de acrílico durou por 2 anos de uso intenso até quebrar a base, usamos mesmo ele estando com trincas normalmente, mas não é o recomendado. Mas temos coadores de plástico de outras marcas que estão funcionando normalmente até hoje, apenas com leves ressecados.

Além disso, tem a questão estética. A cerâmica é um material mais nobre e que tem um trabalho maior na sua fabricação do que acrílico ou plástico. Normalmente, costuma ser mais bonita e mais bem trabalhada, com um brilho próprio do material e que não fica fosco. Uma opção boa para quem está procurando elegância na hora de fazer café.

Palavra-chave: durabilidade e segurança

2- Sabor do café

O material escolhido tem influência em como o calor será distribuído entre o suporte de filtros e água do preparo. Quanto maior for a condução térmica do material maior será a troca de calor entre a água quente e o coador. A cerâmica e vidro, por exemplo, não são bons isolantes térmicos e dissipam o calor mais rápido. Como o café precisa de temperatura para ser extraído, um material que dissipa mais a temperatura, vai fazer com que extraia menos compostos do café, por exemplo.

Na prática, se colocar um coador de plástico ao lado de um coador de cerâmica e preparar o café da mesma forma, o de plástico – que é um melhor isolante térmico – vai extrair mais um pouco do café do que o de cerâmica. Todavia, a percepção da diferença é muito pequena e vai ser identificada apenas por provadores profissionais ou pessoas acostumadas a degustar cafés especiais.

O material do coador, portanto, impacta levemente na extração do café, mas isso pode ser resolvido de uma forma muito fácil. É só aquecer o coador de cerâmica por mais tempo na hora de escaldar o equipamento para ele não “roubar” a temperatura da água durante o preparo do café. Escaldar quer dizer simplesmente colocar água muito quente, como se estivesse limpando o coador junto com o filtro antes de usar. Essa dica também serve para quando se usa uma xícara de cerâmica ou vidro.

Palavra-chave: temperatura

3- Tamanhos e Cores

Outro ponto importante sobre a diferença destes coadores são os tamanhos e cores. O material limita a disponibilidade de tamanhos e cores. O coador de plástico, como é um material mais popular, é muito fácil de encontrar em diversas cores e tamanhos diferentes. Para adaptar a sua rotina, é importante escolher o tamanho que seja ideal para ela.

Por exemplo, a Hario V60 pode ser encontrada em três tamanhos: 

– V60 01 que pode preparar até 240 ml de café; 

– V60 02 que pode preparar até 480 ml de café;

– V60 03 que pode preparar até 720 ml de café.

E a Melitta, existem os seguintes tamanhos:

100 que pode preparar até 200 ml de café (4 xícaras de 50ml);

102 que pode preparar até 600 ml de café ou (12 xícaras de 50ml);

103 que pode preparar até 1000 ml de café ou (20 xícaras de 50ml).

Na hora de escolher, fique atento ao seu consumo diário de café. Se prepara café em grande quantidade, o tamanho 03 é o mais indicado. Já para quem toma pouco café ou faz uma xícara por vez, o tamanho 01 é o mais apropriado.

Palavra-chave: consumo

4-Preço

 O preço dos coadores sofrem uma série de variações, dependendo do material, tamanho, onde foi comprada e também o valor do dólar no momento se for um coador importado. Como a Hario V60, por exemplo, é produzida no Japão, as mudanças nas taxas refletem no valor dos produtos da marca.

Hoje, é possível encontrar coadores de plástico de marcas mais comuns por menos de R$10. A Hario V60 de plástico ou acrílico custa por volta de R$80. No caso dos coadores de cerâmica, as marcas brasileiras podem chegar até a R$200 e os da Hario tem opções de R$300 em diante.

No entanto, é possível encontrar modelos de plástico e acrílico originais com preços mais acessíveis e um bom custo-benefício. O que vale aqui é o quanto pode e está disposto a investir em um coador no momento.

O custo-benefício também deve ser levado em consideração, pois pode afetar na durabilidade do equipamento. Todavia, isso não significa que uma Hario V60 mais em conta não vai durar tanto quanto uma de preço mais elevado, já que a forma como você cuida contribui para o prolongamento da vida útil dela.

O preço e o material do coador Hario V60, por exemplo, tem pouco a ver com a qualidade final do café preparado. Estando limpa, bem conservada, e usando um café de qualidade a bebida ficará incrível, independente do preço que pagou.

Palavra-chave: custo-benefício

Conclusão  

Não é preciso muito para aproveitar um café saboroso em casa. Escolher um café, usar  uma água de qualidade e lembrar de escaldar o que será usado no preparo, são o segredo para uma xícara de café incrível a qualquer momento. E as inúmeras formas de preparo existentes auxiliam muito na hora de extrair todas as nuances e sabores do café. 

Assim, é importante pensar sempre no custo-benefício de cada método. E com a aquisição de um coador não seria diferente, né. Por isso, opte pela que melhor se encaixa no seu dia a dia.

Ah, lembre de escolher cafés e uma água de qualidade para o preparo, pois mais de 90% do que está na xícara de café é composto por água. Veja aqui como a água tem influência na qualidade do café feito no dia a dia.

Bônus: Qual o melhor café para usar no Coador Hario V60?

Imagine o aroma do café preenchendo a cozinha durante o preparo. Começar o dia com um café saboroso pode transformar nossa rotina, né! E para deixar esse momento ainda mais especial, indicamos o uso de cafés com sabores doces e frutados na Hario V60.

Um dos nossos xodós é o café Pink Lemonade, que fica DELICIOSO na V6o! A acidez delicada do café e o sabor marcante com notas de limonada, morango e maracujá ficam muito evidentes na xícara.