Cafeteira Italiana – Como Escolher e Qual a Diferença Entre uma de R$300 e Outra de R$30?

Publicado em Tags , , ,

A cafeteira italiana é uma das formas mais clássicas para preparar café em casa. Sem muito mistério, ela serve uma bebida quentinha e saborosa a qualquer momento, deixando a cozinha e o cantinho do café ainda mais charmoso. A Moka, como também é chamada, é tão popular que existem vários modelos e preços no mercado. Essa variedade pode nos deixar confusos na hora de entender qual a diferença entre uma cafeteira italiana mais barata de R$30 e uma mais cara de R$300.

Fizemos um vídeo para esclarecer essa dúvida. Assista ele completo aqui ou continue lendo o post.

 

Origem da Cafeteira Italiana

Antes de tudo, um pouco de história sobre a cafeteira italiana. O nome já dá uma dica do local de criação dela, né? A cafeteira italiana,  moka ou mokinha para os mais chegados, foi patenteada por Alfonso Bialetti em 1933 na Itália. Ela logo tornou-se um fenômeno de vendas por lá e não demorou muito para alcançar o resto do mundo.

Antes da cafeteira italiana se popularizar, era muito comum tomar café do tipo espresso em ambientes coletivos, como as cafeterias. O café era consumido de forma rápida para que os trabalhadores pudessem voltar ao trabalho energizados e prontos para um novo round, o que ainda é comum. A cafeteria italiana proporcionou, portanto, o preparo de uma bebida similar ao espresso, mas que  poderia ser feita de forma fácil no conforto de casa.


Ficou apaixonado pela cafeteira italiana, né?
Se ficou com dúvida em qual tipo de cafeteira italiana escolher para você dentre as diversas opções que existem por aí, não se preocupe, iremos te ajudar nesta missão!

Antes de tudo, é importante entender como ocorre o funcionamento da cafeteira italiana e tirar algumas dúvidas de como utilizar de forma segura e prática. Vamos lá?

Como a cafeteira italiana funciona?

Inicialmente, a moka foi projetada para ser usada no fogão. Entretanto, já é possível encontrar no mercado modelos elétricos ou que são apropriados para cooktops com indução de calor.

Basicamente, a cafeteira italiana funciona como uma mini máquina de espresso caseira. Utilizando um sistema de pressão para preparar uma bebida encorpada e saborosa, muito similar ao espresso. 

Sua estrutura é composta por três partes principais:

Reservatório inferior: local onde coloca a água e a pressão necessária para o preparo do café é criada.
Funil: onde coloca-se o café moído.
Reservatório superior/recolhedor: onde a bebida vai sair depois de pronta.

Outros componentes da cafeteira italiana são: válvula de segurança, anel de vedação, filtro, coluna (por onde o café jorra), alça, tampa e puxador da tampa.

Quando se adiciona a água e o pó de café nos respectivos compartimentos e leva a cafeteira italiana para o fogo, o calor faz com que a água aumente de temperatura e comece a evaporar com a consequente criação de vapor quente.

Este vapor aumenta a pressão dentro da cafeteira, empurrando a água do compartimento, forçando ela a sair para um ambiente com menor pressão. Portanto, a água que está sendo empurrada pela pressão, sobe pelo funil e passa pelo pó de café.

A água quente mais a pressão causada na sua saída, extrai os sólidos solúveis do pó de café e continua seu caminho passando pelo filtro metálico da cafeteira, saindo no compartimento de cima da cafeteira com o café já pronto.

Veja neste vídeo o funcionamento da cafeteira italiana:

 

Todo esse processo e principalmente por causa da pressão, o resultado é um café bem intenso e cheio de sabor e aromas. Por isso, a cafeteira italiana é uma ótima aliada para quem é fã de bebidas de cafeteria com leite, como o cappuccino e a mocha. Veja como preparar em casa 4 receitas deliciosas usando a cafeteira italiana


O que é importante saber na hora de escolher uma cafeteira italiana de qualidade

A cafeteira italiana pode ser encontrada com facilidade em lojas e na internet. Com uma grande diversidade de valores, tamanhos e marcas. Mas afinal, como escolher uma que atenda a sua rotina?

A marca mais conhecida e renomada de cafeteiras italianas é a Bialetti. A empresa que leva o nome do seu fundador, é conhecida mundialmente pela qualidade de seus equipamentos para o preparo de café. E atua no mercado há mais de 100 anos.

O design tradicional da cafeteira italiana com oito lados, foi lançado em 1933 e até hoje é usado como base para outras empresas que vendem cafeteiras italianas. O formato octogonal, permite uma melhor distribuição de calor pela cafeteira durante o preparo do café. Inclusive, o modelo está exposto no MoMA (The Museum of Modern Art) em Nova York no departamento de Arquitetura e Design.

Abaixo, listamos alguns detalhes que fazem diferença na hora de adquirir uma moka:


1- Material

Algo que deve ser levado em consideração durante a escolha é a qualidade do material em que a cafeteira foi fabricada. Pois, um material de baixa qualidade pode provocar inúmeros sufocos no dia a dia. 

Cafeteiras de alumínio podem ir diretamente ao fogo. Inclusive, são uma boa alternativa para quem gosta de acampar, por exemplo. Já que um fogareiro portátil seria o suficiente para preparar café em qualquer lugar.

Já o aço inox tem uma durabilidade maior, além de pode ser usado em fogões de indução (se for usar em fogão de indução, sempre bom confirmar com o fabricante antes de comprar). 

De toda forma, se for um material de qualidade, a cafeteira não amassa e pode durar por muitos anos. Aqui na coffee&joy temos uma cafeteira italiana que é muito usada a mais de 5 anos e continua perfeita.

Além disso, é importante que a alça seja de qualidade e esteja bem conectada no corpo. A Moka fica pesada quando se adiciona água e café e pode acabar causando acidente se a conexão não estiver boa.  Ainda, se o material da alça não for bom, pode derreter ou deformar, já que ela fica bem perto do foto.

Palavra-chave: durabilidade


2- Tamanho

A cafeteira italiana pode ser encontrada em diversos tamanhos. E é medida pela quantidade de xícaras que cada uma pode preparar. Normalmente, cada xícara é medida de acordo com padrão italiano de 50ml, ou seja: uma cafeteira de 6 xícaras faz 300ml de café.

Para o funcionamento correto da cafeteira é importante respeitar a capacidade de cada modelo.

Escolha aquela que melhor atender o consumo diário de café. Por exemplo, para quem toma apenas uma xícara (200ml) de café por vez, o modelo de 4 xícaras é o mais indicado.

Já para quem toma muito café ou faz café para mais pessoas, os modelos de 9 a 18 xícaras são os mais apropriados.

Não é recomendado usar a cafeteira italiana na capacidade menor que a recomendada.

Palavra-chave: consumo 

Fonte: Google Imagens

3- Válvula de segurança

A cafeteira italiana possui uma válvula de segurança no reservatório de água. A válvula serve para controlar a pressão interna da cafeteira e evitar acidentes durante o uso. É bem parecida com a válvula de uma panela de pressão.

É importante que o modelo escolhido tenha a válvula e certificado de aprovação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Palavra-chave: segurança


4-Preço

As cafeteiras italianas das marcas mais famosas custam por volta de R $260,oo (modelos menores) e podem chegar até R $500,00 em modelos com maior capacidade. 

Já as marcas paralelas são facilmente encontradas por menos de R$ 100,oo em alguns sites de compras online.

A escolha feita a partir do preço pode ser vantajosa para o bolso, mas no final pode acabar colocando sua segurança em risco. Cafeteiras italianas que possuem um material de baixa qualidade e certificações de segurança duvidosas estão mais propensas a acidentes domésticos no dia a dia. Um dos defeitos mais comuns em marcas paralelas é a pressão, tanto a excessiva como a falta dela. 

Quando o equipamento não possui pressão o suficiente, seja pela vedação ou pelo mal funcionamento da válvula, a cafeteria não conseguirá extrair o café de forma eficiente. Como resultado, o café ficará “fraco” e em alguns casos a água não terá força para jorrar na parte de cima da cafeteira.

Já quando a válvula não funciona, a pressão será excessiva e pode ocasionar acidentes no dia a dia, como o café jorrar com muita força e queimar quem está perto. Ou ainda, causar explosões.

Palavra-chave: qualidade

Confira abaixo um exemplo de quando a Moka não funciona corretamente. O vídeo foi enviado por um assinante da coffee&joy recentemente. Ele adquiriu um modelo paralelo e teve alguns problemas na hora de preparar o café.

 

 

Nesse caso, a cafeteria italiana teve dificuldade na hora que o café era jorrado na parte de cima e ficou respingando para todos os lados. 

Depois de passar por todos os detalhes e especificações da cafeteira, veja a vantagem e desvantagem de cada um delas:

A segurança é uma dos detalhes que devem ser levados em conta na aquisição de uma cafeteria italiana. Por isso, escolha uma marca que possua certificações de qualidade e segurança.

Sabemos que economizar em uma compra pode ser muito tentador e como não seria, né? Entretanto, essa economia pode não valer a pena no final. Tendo em vista, que equipamentos de baixo custo podem colocar nossa segurança em risco. Além de terem uma durabilidade reduzida e apresentarem defeitos com facilidade.

Por isso, confira se a marca possui um selo de qualidade do INMETRO. E dê preferência para marcas já conhecidas no mercado, como é o caso da Bialetti. A empresa tornou-se referência quando o assunto é equipamentos para o preparo de café.

Ao contrário de outras formas de preparar café, como o coador, uma cafeteira italiana de qualidade é essencial. A nossa recomendação é usar uma boa cafeteira e respeitar os limites de capacidade e sempre usar conforme a orientação do fabricante.

Além disso, lembre-se de escolher um café e uma água de qualidade na hora do preparo. Mais de 90% do café é água. Uma água com sabor de cloro pode comprometer seu momento cafeinado. Acesse o post e entenda mais sobre a qualidade da água e sua importância na hora de preparar um café ainda mais saboroso.


E aqui vão algumas dicas para preparar café de forma segura, prática e saborosa na cafeteira italiana

1°  É possível deixar o processo de extração do café ainda mais rápido. Basta colocar a água já aquecida no reservatório da cafeteira.
2° Para não deixar o café com um gosto metálico e evitar gosto de queimado, adicione um pouquinho de água na parte superior onde o café pronto será despejado.
3° Utilize a moagem média. Pois, uma moagem fina (indicada para máquinas de espresso) poderá entupir o filtro de metal e uma mais grossa (indicada para o uso na prensa francesa) deixará o café “ralo”.
4° Se possível, realize a moagem do café minutos antes do preparo. Ah, caso não tenha um moedor disponível, não se preocupe. Podemos enviar o café com a moagem certinha para a cafeteira italiana. Confira nossa assinatura!

5° Não é necessário compactar o café no funil. Isso pode atrapalhar o preparo do café.
6° Atenção na hora da montagem! Encaixe bem todas peças.

7° Deixe a tampa aberta durante o preparo. Assim que o café começar a jorrar, tampe a cafeteira e retire do fogo.

8° Durante a montagem da cafeteria italiana, lembre-se de encaixar bem todas as peças. Isso garante a segurança e o funcionamento correto na hora do preparo. E não se esqueça de realizar a limpeza após o uso. 

9° Enjoy!

Acesse para descobrir mais detalhes sobre a cafeteria italiana

Tem dúvidas com relação a outras formas de preparar café? Conta para a gente nos comentários. Podemos ajudar na hora de escolher o que melhor se encaixa na sua rotina!

 

Bônus: Qual o melhor café para usar na cafeteira italiana?

Café é gosto! Mas tem os que mais combinam com você ou com o utensílio que você vai usar. Para a cafeteira italiana e por causa das característica de extração dela (prepara um café mais intenso e com mais presença), indicamos cafés doces e mais intensos.

Por aqui, indicamos e sempre usamos os cafés Pampa e Eclipse na Cafeteira Italiana; ficam perfeitos para receitas com leite também!

Receita de Café Cremoso com Conhaque para Aquecer no Frio

Publicado em Tags , ,

Misturar café com bebida alcoólica pode parecer estranho, mas em alguns países europeus é uma tradição no inverno. Tanto o famoso Irish Coffee na Irlanda como a Moretta Fanese italiana, foram criados com intuito de esquentar e fortalecer em dias frios. Mas a tradição dos cafés alcoólicos logo foi se espalhando pelo mundo e hoje é muito comum. Inspirados nestas tradicionais receitas e aproveitando o frio brasileiro das últimas semanas, criamos uma receita bem gostosa e fácil de fazer: o café cremoso com conhaque.  

Assista ao vídeo ou continue lendo para ver a receita completa.

 

>> Veja outras receitas de drinks de café aqui.<< 

Para essa receita, escolhemos o conhaque, por harmonizar bem com o café e ser facilmente encontrado.  O conhaque, por ser muito aromático e com sabor marcante, é usado na composição de bebidas típicas de inverno, como o “Choconhaque”. Também é usado na culinária para flambar alimentos, para trazer aromas e sabores para o prato.

Se não tiver conhaque em casa, não se preocupe, este drink também fica gostoso com uísque ou com uma boa cachaça envelhecida.

Para trazer mais aroma e densidade ao Café Cremoso com Conhaque, criamos um xarope de açúcar com especiarias caseiro. É bem prático de fazer e fica pronto rapidinho. Mas é opcional e para ficar mais prático ainda, pode substituir apenas por colheres de açúcar. 

Mas o grande segredo desta receita é o creme de leite que vamos colocar em cima. Ele é uma substituição ao chantilly e traz cremosidade para o café. Além disso, ajuda a equilibrar os demais ingredientes e deixa o drink com um aspecto muito bonito, com camadas e texturas diferenciadas. 

A dica é usar o creme de leite em temperatura ambiente e aerar com um mixer. 

Na hora de montar o drink, o açúcar do xarope muda a densidade do café com conhaque e permite que o creme fique na superfície do café por mais tempo. 

A qualidade do café também é importante para ficar gostoso. Usamos o café raio-do-sol da assinatura da coffee&joy. Ele possui finalização doce e com notas que lembram caramelo, limão siciliano e amêndoas, o que harmonizou perfeitamente com o conhaque e as especiarias. Preparamos ele na prensa francesa, mas qualquer método de preparo pode ser utilizado nessa parte. 

Ficou com vontade de provar o drink? Veja a lista de ingredientes e já corre para preparar!

Rendimento: 1 porção

Tempo de preparo: 5 minutos

Ingredientes:

  • 200ml de café coffee&joy já pronto.
    50ml de conhaque.
  • 1 colher de açúcar ou 50ml de xarope de açúcar com especiarias (opcional – veja como fazer em casa no final do post).
  • 1/2 fatia de laranja (natural ou desidratada).
  • 100ml Creme de leite batido.

Modo de preparo:

Prepare o café como de costume. Usamos a prensa francesa, mas faça o café como de costume em casa e lembre de usar um bom café. Aqui tem várias dicas de como fazer o café.

Em uma caneca grande ou copo, adicione uma colher de açúcar ou 50 ml do xarope de especiarias (receita do xarope logo abaixo).

Coloque o café quente e mexa para dissolver o açúcar.

Adicione os 50ml de conhaque e a rodela de laranja.

Bata o creme de leite com uma colher, com mixer ou em uma cremeira/espumador para deixá-lo mais cremoso. Caso o creme de leite esteja gelado, aqueça no microondas por alguns segundos. Aquecer o creme de leite vai ajudar a manter a temperatura do drink por mais tempo.

Adicione o creme de leite já batido bem devagar em cima do café. O objetivo é formar uma camada de mais ou menos um dedo.

Decore com raspas de laranja.

Enjoy!

Xarope de especiarias (opcional):

Ingredientes:

  • 50ml de água filtrada ou mineral quente
  • 20 gramas de açúcar  (2 colheres de sopa)
  • Especiarias a gosto (pode usar mix já pronto ou fazer o seu. Aqui usamos 1 cravo da índia e 1 pitada de pimenta preta, canela, gengibre ralado e noz moscada)

Modo de preparo:

Em um copo, adicione todos os ingredientes e mexa para derreter o açúcar.

Tampe o recipiente e aguarde esfriar.

Coe com uma peneira ou utilize um filtro de papel para clarificar/coar o xarope. Assim, ele ficará com um aspecto mais “limpo” (também é opcional).

Coloque o xarope em uma garrafa esterilizada.

Obs: O tempo de validade do xarope refrigerado é de 15 dias.

O xarope de açúcar é ótima opção para quem gosta de preparar drinks em casa. Tem um preparo fácil e é barato em relação aos xaropes industrializados. Pode ser saborizado com ingredientes simples, como frutas e especiarias. Aqui, adicionamos especiarias termogênicas para compor a harmonização e deixar o drink mais “quentinho”.

Ah, e aproveita para tirar uma foto bem bonita e marcar a @coffee_and_joy nas redes sociais e ganhar cafeínas!

Enjoy!

6 Dúvidas Sobre a Água do Café – A Qualidade Ideal e a Verdade sobre se Pode ou Não Ferver a Água do Café

Publicado em Tags ,

A única coisa que precisa para preparar um delicioso café em casa é um café de qualidade e uma boa água. Dois ingredientes que se forem de qualidade e misturados no tempo e temperatura corretos, vão mudar o dia de qualquer pessoa. Por serem tão simples, alguns detalhes fazem a diferença e ainda geram muitas dúvidas, como qual a melhor água e se pode ou não ferver a água do café.  

Nesse post, respondemos as perguntas mais comuns e importantes sobre a água do café e que vão te ajudar a fazer um café muito gostoso em casa. Assista ao vídeo ou continue lendo.

 

  1. Por que é importante saber sobre a qualidade da água na hora de fazer café?

Os ingredientes para fazer um café são: pó de café e água. Uma boa proporção na hora de preparar café especial no filtro comum é 1 colher de sopa (10g) de pó de café para cada 100 ml (1 copo) de água.

Isso quer dizer que mais de 90% do café é composto por água. Assim, a qualidade da água utilizada não é apenas um detalhe, mas sim fundamental para quem busca ter um café ainda mais gostoso.

Além disso, não é nenhum segredo que os cafés tradicionais, que a maioria das pessoas estão acostumadas, possuem uma torra muito escura, o que resulta em um café de sabor muito intenso e amargo. Com o tempo nos acostumamos com esse amargo, muitas vezes disfarçado com bastante açúcar ou adoçante e passamos a gostar do “café forte”.Já os cafés especiais apresentam em sua grande maioria uma torra mais clara, mantendo as melhores características do grão, sua doçura natural e notas sensoriais diversas, resultando em um sabor muito mais delicado e agradável.

Aqui tem um post explicando essas diferenças, para ajudar na hora de escolher o grão de café na hora de preparar ele em casa. 

Amostra de café comum cru (esquerda) e amostra de café especial cru (direita)

Escolhido um café de qualidade, o próximo passo é a água.

  1. O tipo de água influencia no café?

Sim, e pode influenciar tanto positiva como negativamente no café. Tudo o que está presente na água pode afetar o sabor do café, inclusive os compostos e minerais que são adicionados durante o processo de tratamento da água. 

Alguns exemplos de compostos que podemos encontrar na água que consumimos diariamente, além do cloro e do flúor, são: cálcio, ferro, sulfatos, bicarbonato, magnésio, potássio, bário e etc.

Nas cafeterias especializadas, é comum encontrar filtros de água próprios para preparo de cafés coados e espressos. Esses filtros têm como papel principal padronizar e elevar a qualidade da água em todas as bebidas preparadas. Isso também ajuda na conservação dos equipamentos do local, assim, os baristas podem extrair o melhor do café, preservando seus sabores e aromas.

Mas em casa ou até mesmo no trabalho, nem sempre temos em mãos um filtro de água com a mesma qualidade. Nesse caso, é importante conferir as informações presentes no verso da garrafa (se utilizar água mineral) ou o manual de instrução do filtro de água utilizado para o preparo do seu café.

Para se ter um parâmetro da importância da água, a Specialty Coffee Association (SCA), que é a associação de cafés especiais que possui protocolo de avaliação para cafés especiais, possui uma regra específica para a água utilizada. Segundo a SCA, a água para o preparo do café para realizar a avaliação sensorial seguindo o seu protocolo, não deve ter a presença de cloro e possuir um Ph neutro (entre 6,5 e 7,5). Isso porque, a água que não seguir estes padrões, interfere no sabor final do café.

 

  1. Pode usar água da torneira e qual a melhor água?

A água da torneira das cidades normalmente contém uma grande quantidade de cloro e outros compostos químicos como flúor. Estes componentes possuem sabores específicos, o que significa que eles irão afetar o gosto do café final. 

Para se ter um parâmetro, a quantidade de cloro presente na água da torneira de cada cidade é diferente de uma para a outra. Por exemplo, no Estado de São Paulo a quantidade mínima e máxima de cloro, são respectivamente de 0,2 mg/L e 5,0 mg/L, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp.

Já em Belo Horizonte, a capital de Minas Gerais, a água fornecida pela Copasa – Companhia de Saneamento de Minas Gerais contém por volta de 1,15 mg/L de cloro, segundo o relatório de qualidade da água feito em 2020.

Por causa disso, para quem procura ter um café gostoso em casa, o ideal é sempre optar pela utilização de uma água mineral ou filtrada. Isso vai garantir uma água mais pura e com menos sabor de compostos que vão influenciar no sabor final do café.

 

  1. Qual a melhor forma de usar a água da torneira para quem não tem outra opção?

    A água da torneira não é a mais ideal para o preparo do café, pois o cloro e os outros minerais que normalmente estão presentes na sua composição, impactam no sabor natural do café. 


Todavia, tem algumas dicas para quem não quer deixar de usar a água da torneira, que vão ajudar.

Uma boa opção é conectar um purificador ou um filtro direto na torneira, para retirar o excesso de impurezas e minerais. Hoje também existem garrafas e jarras purificadoras mais acessíveis. Em todo caso, é importante seguir o manual de uso do fabricante, inclusive referente a troca de vela ou filtro recomendada (normalmente são indicados 6 meses ou após um volume de água filtrada) 



O tradicional filtro de barro é uma forma acessível para se obter uma água de qualidade em casa e sem gastar muito. Além disso, ele mantém a água sempre em uma temperatura agradável para o consumo por conta da argila, sem falar que deixa a cozinha muito charmosa.

Sua filtragem é feita por meio da gravidade e conta com versões que possuem carvão ativado para retirar o excesso de minerais e odores da água, mas acaba deixando a água com leve gosto de argila e terra, por conta do contato da água com a parede do filtro. Aqui, também é importante seguir as recomendações do fabricante sobre a troca da vela de filtragem, que normalmente é a cada 6 meses de utilização.

Na falta de filtros e purificadores, uma dica para quem vai utilizar a água direto da torneira é remover parte do cloro, deixando a água em uma jarra ou vasilha destampada por pelo menos 3 horas, em um local que tenha o mínimo possível de partículas e resíduos. Uma parte do cloro presente na água, irá evaporar por conta da exposição ao sol e ao ar, mas é necessário ficar atento ao risco de contaminação ao deixar a água descoberta. 

Apesar da evaporação não ser o meio mais eficaz para retirar o cloro, este processo junto com a fervura da água, ajudam a reduzir o gosto de cloro da água da torneira. 

O mais importante, além do gosto da água, é saber se a concessionária de água da sua cidade recomenda o consumo da água que chega na sua casa, sem realizar filtragem ou purificação dela. Além disso, para garantir uma boa água, é essencial que o reservatório de água de casa ou prédio esteja sempre limpo.

 

  1. Pode ou não ferver a água e qual a temperatura ideal da água para fazer café? 


SIM! Pode ferver a água normalmente, mas retire ela do fogo assim que entrar em ebulição. Quando a água começa a evaporar, os sais minerais dela ficam mais concentrados e o sabor desses minerais concentrados influenciam no gosto do café.

Utilize a água logo depois de fervida, quando ainda estiver bem quente para escaldar o filtro e os demais utensílios. Será o tempo o suficiente para que a água chegue em uma temperatura boa para o preparo do café.

De acordo com a SCA (Specialty Coffee Association), na hora de preparar o café, é recomendado que a temperatura da água no ponto de contato com o café esteja entre 93,0°C, com uma variação máxima de 3° para cima ou para baixo.

Ao nível do mar, a água ferve quando chega a 100°C. Em diferentes altitudes ela pode ferver em temperaturas mais altas ou baixas. Por exemplo, em Belo Horizonte, MG, dependendo de onde estiver, a água ferve quando atinge 96°- 97°C.

Então, a água para o preparo do café pode ser fervida tranquilamente. Ela não vai queimar o café e vai influenciar diretamente na quantidade de compostos que serão dissolvidos na hora de extrair o café, conferindo os sabores e aromas na xícara.


Uma temperatura baixa não terá calor suficiente para extrair os compostos do café, gerando uma bebida incompleta, sub extraída, com acidez muito intensa e até um sabor azedo.

Mas a temperatura da água não é a única variável na hora de fazer café, então é sempre bom conciliar as questões de temperatura com as outras variáveis, como o tempo.
Temperaturas mais elevadas combinadas com muito tempo de preparo do café, por exemplo, podem ocasionar uma super extração. O resultado nesta hipótese, portanto, será uma bebida com bastante amargor. 

Aqui tem dicas de como fazer café em casa, de várias formas diferentes.

 

  1. Tem que escaldar o filtro ou os outros equipamentos?

Sim, o processo de escaldar o filtro de papel, pano ou metal é essencial para o preparo de um café saboroso. Isso garante que o seu café não terá gostos indesejados e/ou impurezas.

Principalmente os filtros de pano e de papel, podem conter resquícios de material, então é importante fazer essa limpeza inicial.

Além da limpeza, escaldar os equipamentos como o coador, prensa francesa, etc., ajuda a manter tudo numa boa temperatura para receber o café na hora de preparar. Isso porque, diminui a velocidade  da perda de temperatura durante a hora de preparar o café e depois que ele já está pronto.

Ah, e se quiser também pode escaldar a xícara para manter o café quentinho por mais tempo.


Já tinha parado para pensar no quanto a água pode fazer diferença no café? Todas essas dicas são para ressaltar a importância da água no preparo do café. Com indicações simples e práticas para melhorar a qualidade da água que será usada e deixar o café ainda mais gostoso.
O intuito é que possa ajudar na hora de escolher o que se encaixa melhor em cada realidade. Sempre garantindo um café mais saboroso. Quer ir mais a fundo? veja Quatro Passos Simples Para Acertar o Preparo do Seu Café Especial em Casa

E se estiver procurando melhorar ainda mais o café em casa, não deixe de conhecer os Cafés Especiais para descobrir sensações e histórias incríveis!

 

Referências: 

COPASA (Cia de Saneamento de Minas Gerais) <<Consulta de Informações Anuais de Qualidade da Água – Parâmetros da pesquisa: BELO HORIZONTE 2020>> Consulta de Informações Anuais de Qualidade da Água – Parâmetros da pesquisa: BELO HORIZONTE 2020 Consultado em 28 de Junho de 2021.

SCA (Specialty Coffee Association) <<Dissecting SCAA’s Water Quality Standard>>  Dissecting SCAA’s Water Quality Standard https://scanews.coffee/2013/07/08/dissecting-scaas-water-quality-standard/ Cunsultado em 28 de Junho de 2021.

SCA (Specialty Coffee Association) «Protocols & Best Practices». Protocols & Best Practices. Consultado em 5 de julho de 2021.

Dalgona Coffee: Receita de Café Cremoso com Café Especial coffee&joy, sem usar Café Solúvel

Publicado em Tags , , Deixe um comentário em Dalgona Coffee: Receita de Café Cremoso com Café Especial coffee&joy, sem usar Café Solúvel

O Dalgona Coffee é uma bebida sul coreana que ganhou destaque mundial no último ano, se popularizou através de redes sociais como TikTok e Instagram. A receita original é feita a partir da mistura de café solúvel com água quente e açúcar batidos até formarem um creme. Esse creme é colocado sobre o leite gelado ou quente. Seu nome deriva de um doce coreano chamado Dalgona, por sua semelhança de sabor e aparência.

Veja o vídeo completo de como fazer o Dalgona Coffee sem utilizar café solúvel. Para a receita completa, continue lendo o post.

 

Inicialmente, as primeiras versões caseiras do drink foram ganhando destaque em canais do YouTube e depois foram parar no aplicativo Tiktok. Lá, a receita se transformou em um viral, com o desafio da hashtag #dalgonachallenge e por aí foi ganhando vários vídeos do  seu preparo e com versões diferentes.

A bebida se destaca pela facilidade no preparo e a utilização de poucos ingredientes, além do resultado final ficar muito saboroso e incrível nas fotos.O Dalgona Coffee já conta com muitas variações de sabores, como o acréscimo de baunilha, caramelo, creme de avelã e também substituições do café por Matcha e chocolate em pó.

Agora chegou a vez da coffee&joy te ajudar a fazer o Dalgona Coffee na sua casa, dessa vez, sem o café solúvel. A mesma cremosidade do original, mas com muito mais sabor, pois utiliza café de qualidade e feito na hora!

Vamos lá?Ingredientes:

  • 50g (5 colheres de sopa cheias) de café coffee&joy
  • 100 ml de água
  • 15g (1 colher de copa) de açúcar (opcional)
  • 1/2 caixinha de chantilly (deixe o chantilly na geladeira por 12 horas ou no congelador por 3 horas antes de utilizar)
  • 100 ml de leite quente

Modo de preparo:

Obs: Se preferir, pode utilizar outras formas de preparar o café em casa mais intenso, como na cafeteira italiana ou máquina de espresso. O importante é que o café fique bastante intenso e concentrado.

>> Veja aqui opções de cafés especiais para usar no seu Dalgona Coffee <<

  • Bata o chantilly gelado até ficar firme, por volta de 3 minutos na batedeira. Também é possível utilizar um fuê (batedor manual) no processo, a diferença é que o tempo para o chantilly ficar no ponto será maior.
  • Após bater o chantilly, adicione o açúcar.  
  • Adicione uma parte do café pronto no chantilly aos poucos (cerca de 30 ml), misturando até tudo ficar homogêneo. Adicione a quantidade suficiente para ficar com o gosto de café e atingir a consistência que quiser. Lembre-se, quanto mais café colocar, mais líquido fica o creme.
  • Aqueça o leite no microondas ou forno, sem deixar ele ferver. Bata ele com uma cremeira, com mixer ou potinho para que fique bem cremoso. Aqui tem um vídeo completo mostrando como espumar o leite e deixar ele bem cremoso.
  • Em um copo, coloque o leite cremoso até dois dedos da borda do copo. Adicione o resto do café bem devagar, para que dê o efeito de duas cores. Por fim, adicione o chantily com café por cima.
  • Antes de tomar misture o creme com leite usando uma colher ou canudo.

Obs: Dá para fazer gelado também! Neste caso, substitua por leite gelado e adicione pedras de gelo! Fica uma delícia.

Enjoy!

Fez em casa? Compartilhe com a gente usando a #dalgonacoffeeandjoy 🙂

12 Mitos e Verdades Sobre o Café

Publicado em Tags ,

O café é a segunda bebida mais consumida no mundo. Com tanta gente bebendo café, é claro que lendas seriam inventadas e passadas de geração em geração. Por isso, viemos aqui desmentir e confirmar alguns mitos e verdades sobre café que você provavelmente já deve ter ouvido por aí.

Desde os ditados populares de que o café ajuda na ressaca e até “prever” o futuro, reunimos 12 mitos e verdades sobre o café que você vai se surpreender. Continue lendo para descobrir.

  1. Café forte tem mais cafeína

❌  Mito! 

Você já deve ter ouvido muito essa expressão. Primeiramente, quando falamos de cafés “fortes” ou “intensos”, estamos falando de cafés com torra mais escura, o que não altera a quantidade de cafeína do grão. Portanto, a sensação de um café mais escuro te dar mais energia, é completamente falsa.

A cafeína do café está muito mais ligada à espécie dele do que a intensidade. Cafés da espécie robusta ou conilon, têm o dobro de cafeína do que os cafés da espécie arábica.

Café especial torrado (esquerda) e café comum torrado (direita). Ainda não conhece o que é café especial? Clique aqui para saber mais.
  1. Algumas pessoas usam o café para prever o futuro

✅  Verdade!

A cafeomancia, chamada popularmente de leitura da borra de café, é usada por algumas pessoas para adivinhar o futuro de acordo com os desenhos que aparecem no pires e na xícara de café depois de bebê-lo. É preciso ter bastante sensibilidade para analisar a borra.

Antigamente, na Turquia, os resultados das adivinhações eram usados para tomar decisões importantes no governo dos sultões e para escolher quais odaliscas seriam escolhidas para deitar com esse sultão. Elas participavam de sessões coletivas para desfrutar esse momento único e, depois, suas borras do café eram lidas.

  1. O café já foi motivo de divórcio

✅ Verdade! 

Na Turquia, em 1475, a cultura do café era algo tão séria que foi incluído na legislação uma cláusula que permitia que as esposas pedissem o divórcio se os maridos não fornecessem uma certa cota diária do produto.

  1. Café bom é café forte

❌ Mito!

Normalmente, as pessoas chamam de “café forte” aquele  que tem uma torra muito escura, bem preta e que chega a ficar até carbonizada. A torra muito escura traz amargor para o café e normalmente é feita em cafés de menor qualidade.

Para conseguir sentir o verdadeiro sabor do café, uma torra mais clara ou média é a ideal. O café é uma fruta e tem doçura e sabor muito característicos dele, se for bem trabalhado para chegar até o consumidor. Clique aqui e veja a diferença do café forte e do café fraco.

Café especial (esquerda) e tradicional (direita).  Clique aqui para saber a diferença de café fraco e café forte.
  1. Café ajuda a aliviar a ressaca

✅ Verdade! 

A ressaca ocorre quando o corpo precisa eliminar o excesso de álcool, o que causa sintomas indesejados como mal estar, dor de cabeça, tontura e etc. A cafeína irá ajudar a diminuir esses sintomas e a diminuir a sensação de indisposição do corpo, por apresentar efeito analgésico e vasoconstritor. Ela é adicionada em medicamentos que têm como objetivo o alívio da dor, como ibuprofeno e paracetamol, evitando a sensação de fadiga.

Porém, a cafeína não é capaz de curar a ressaca completamente, uma vez que não age diretamente na metabolização do álcool presente no sangue necessário para acabar de vez com os sintomas. 

  1. Automóveis  já tiveram máquinas de café 

✅ Verdade!

Hoje em dia você pode escolher se deseja adicionar, por exemplo, um teto solar no seu carro. Já em 1950, você poderia adicionar, como acessório, uma máquina cafeteira para deixar o seu café quentinho enquanto dirigia. Segundo registros, ela não servia para de fato extrair a bebida.

Esse modelo foi encomendado para a montadora alemã Volkswagen para o clássico Fusca, porém, há pouco registro sobre isso na internet e há poucas peças para venda disponíveis pelo mundo, por sua exclusividade.

  1. O café descafeinado não tem cafeína

❌ Mito!

De acordo com as Recomendações Técnicas da ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café), o café, para ser considerado descafeinado, pode ter o máximo de 0,1% de cafeína em g/100g. Como não é possível retirar toda a substância, você ainda consumirá cerca de 0,1% de cafeína no café descafeinado.  

Curiosidade: Se quiser diminuir a cafeína, uma alternativa é o café especial (composto 100% de grãos da espécie arábica), que possui apenas metade da cafeína de um café tradicional (geralmente composto por grãos da espécie robusta e arábica). 

  1. Café é tudo igual

❌ Mito!

Café é um alimento complexo. É classificado conforme a qualidade da bebida e defeitos físicos. Essa classificação é feita por provadores qualificados. Além disso, o frescor da torra diz muito a respeito da qualidade do café. O ideal é consumir cafés com menos de 3 meses da data da torra e, de preferência, que não estejam moídos. Os cafés especiais são a melhor qualidade de cafés que existem. Veja aqui o post completo explicando a diferença dos cafés e abaixo a pirâmide que desenha o nível de qualidade dos tipos de café:

  1. Cachorro não pode tomar café

✅ Verdade!

A cafeína presente no café atua diretamente no sistema nervoso central dos seres vivos e no seu cãozinho pode causar hiperatividade, tremores, aumento da frequência cardíaca e até mesmo convulsões. Isso também serve para gatos e papagaios.

  1. Os sabores dos cafés especiais são adicionados

❌ Mito!

Quem já comprou um café especial deve ter notado na embalagem que vem descrito notas de sabores e aromas, como notas de chocolate, castanhas e frutas. Só que no café especial não há nenhuma alteração ou adição de substâncias. O que ocorre na percepção das notas é a junção de sentidos no paladar relacionados à acidez, finalização, doçura, corpo, aroma e sabor que irão gerar a sensação de frutas, chocolate, amêndoas, entre outros. Essas notas sensoriais são o resultado de um trabalho cuidadoso e técnico na hora de produzir, colher, selecionar e torrar o café.

  1. Não pode adoçar café especial

❌ Mito!

Não existe esta regra. O importante é o café ser bom para quem está tomando; seja com ou sem açúcar. Mas se você tem interesse em diminuir o açúcar do seu café, clique aqui e veja como usar frutas e outros alimentos para adoçar o café.

  1. Café faz mal para a saúde

❌ Mito!

Já existem diversos estudos no mundo, inclusive pela universidade americana Harvard, sobre os diversos benefícios do café para a saúde. Ele ajuda a prevenir doenças como o diabetes e Alzheimer, auxilia no emagrecimento e muito mais. Veja todos os benefícios do café especial aqui.

A não ser que quem for tomar tenha alguma sensibilidade com seus componentes, como a cafeína por exemplo, tomar café está liberado!

Qual outro mito ou verdade que você já viu sobre o café? Conta pra gente.

 

REFERÊNCIAS:

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Recomendações Técnicas da ABIC». Recomendações Técnicas da ABIC. Consultado em 27 de maio de 2021.

ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) «RDC nº 277, de 22 de setembro de 2005». Resolução da diretoria colegiada-RDC nº 277, de 22 de setembro de 2005. Consultado em 27 de maio de 2021.

EUROPE PMC. «Caffeine and cardiac arrhythmias. An experimental study in dogs with review of literature». Caffeine and cardiac arrhythmias. An experimental study in dogs with review of literature. Consultado em 27 de maio de 2021.

SCIENCE DIRECT. «Effects of caffeine on human behavior». Effects of caffeine on human behavior. Consultado em 27 de maio de 2021.

6 Dicas para Tirar o Açúcar do Café e Substituições Incríveis para quem Não Abre mão de Café Adoçado

Publicado em Tags , ,

O hábito de adoçar o cafezinho diário já faz parte do cotidiano de uma boa parte dos brasileiros, principalmente para quem está acostumado a tomar o café tradicional e extra-forte, aqueles que se encontram com facilidade no mercado ao lado de casa. Mas a cada dia, as pessoas estão buscando melhorar a saúde e os hábitos alimentares, por isso, aqui vão algumas dicas de como tirar açúcar no café e algumas substituições para adoçar ele todo dia.

Por aqui, nós já tomamos o café sem açúcar, mas preparamos dicas e substituições para quem ainda não abre mão de um café bem doce. Assista este vídeo ou continue lendo para ver o post completo.

 

DICA 1 – Comece a Mudança pela Qualidade do Café

Antes de saber como tirar o açúcar do café, primeiro, é importante saber porque é tão comum adoçar ele.

Os cafés que a maioria das pessoas tomam e conhecem no Brasil, é o café tradicional ou extra-forte. Este tipo de café é produzido em massa, usando uma matéria prima mais barata e que apresenta o que comercialmente se chama de defeitos do café como grãos que foram alvo de pragas ou sofreram ações de bactérias e também pode conter algumas impurezas como galhos e folhas.

Para que este café seja levado a consumo, a indústria torra os grãos excessivamente, até que fiquem muito escuros e até carbonizados. Após, passa por um processo de moagem, no qual os grãos dos cafés e as eventuais impurezas ficam com a mesma espessura extremamente fina. O processo de moagem muito fina junto com a torra carbonizada, se encubem de disfarçar os defeitos da matéria prima.

Este grau de torra muito escura e a moagem muito fina, trazem para o café um forte amargor e gosto de queimado. Dessa forma, para suavizar os gostos fortes, culturalmente os brasileiros adicionam várias colheres de açúcar no café.

O que muita gente não sabe, é que existem tipos e qualidades de cafés. E que o café tradicional extra-forte, não é o de melhor qualidade. Veja só como é a pirâmide de qualidade de café na ilustração abaixo (Se quiser aprofundar no assunto, neste post explicamos a diferença dos tipos de cafés que se encontram no mercado e falamos de cada uma das qualidades de café.)

O café especial é a melhor qualidade de café disponível no mercado. Eles são compostos de grãos perfeitos e sem defeitos. Também possui um trabalho de torra diferenciado e é muito fácil conseguir achar em grãos, para que o consumidor possa fazer a moagem na hora. Isso garante que dentro do pacote só tenha café, sem impurezas.

Veja a Diferença dos cafés:

Amostra de café comum cru (esquerda) e amostra de café especial cru (direita)

O café especial possui uma doçura própria, característica dele. Por isso, para quem consome este tipo de café, fica bem fácil tirar o açúcar por completo ou pelo menos reduzir a quantidade de colheres.

Quando se fala de doçura nos cafés, lembre-se que se refere ao adocicado característico da fruta madura, que é diferente do doce do açúcar, por exemplo. O que muda de um café para o outro é a intensidade da doçura, podendo ser baixa, mediana ou alta.

Escolher cafés que possuem uma doçura alta é um bom passo para deixar de vez o açúcar. Recomendamos o Pampa, que apresenta uma finalização longa e doce na boca e notas que lembram chocolate ao leite, macadâmia e leve floral. E o Raio-do-sol que apresenta notas de caramelo, limão siciliano e amêndoas, com finalização longa e doce.

Migrar do consumo de café tradicional para o café especial pode gerar alguns estranhamentos para o paladar, como achar que o café está muito “fraco” ou que é um “chafé”. Isso acontece pois é um contato com um “desconhecido conhecido” e o paladar ainda não se adaptou às novas sensações que o café especial oferece. O mesmo pode acontecer quando alguém prova o prato favorito da infância feito pelas mãos de um chef de cozinha renomado, por exemplo.

O café já faz parte da memória afetiva e gustativa. E o café especial está aqui para ajudar a criar outras lembranças e histórias.

Aqui tem um post explicando a fundo as diferenças entre o café tradicional (café forte) e o café especial, muitas vezes chamado pejorativamente de chafé: Café Forte ou Café Fraco? O Que São os “Chafés” e o Que Realmente está por Trás dos Cafés Fortes

Escolhido um café de qualidade, o próximo passo para quem quer reduzir o açúcar do café é ir aos poucos. Primeiro, não adoce o café na hora de preparar, deixe que cada um que vai tomar escolha a quantidade de açúcar que vai querer.

Experimente o café antes e vá colocando o açúcar aos poucos, até chegar no ponto ideal. A cada vez que for tomar café, tente ir reduzindo a quantidade de açúcar aos poucos. Colocou 4 colheres? Use 3 na próxima vez.

Aos poucos o paladar acostuma com menos doce e vai ficando mais fácil tomar café menos adoçado até que o comum será não adoçar.

Para quem está iniciando no mundo dos cafés especiais e ainda tem receio de adoçar ou não seu café, é importante lembrar que o melhor jeito de tomar café é do jeito que mais agrada quem está tomando no momento.

Com ou sem açúcar o que realmente importa é tomar um café de qualidade e que faz bem para a nossa saúde, como acontece com o café especial. Já pode preparar sua xícara de café diária e veja os  15 Benefícios do Café Para Sua Saúde – Porque Você Deve Começar a Tomar Café Agora! 

Seguindo adiante, para quem prefere um café bem doce, uma dica para reduzir ou retirar de uma vez por todas o açúcar comum do café, são as harmonizações e substituições mais saudáveis. Veja abaixo algumas sugestões:

DICA 2 – Harmonize ou Adoce com Frutas Secas

Frutas secas possuem uma doçura mais concentrada que as suas versões frescas devido ao processo de desidratação da fruta madura e, por isso, são uma ótima opção para quem busca substituir de maneira saudável o açúcar convencional em receitas.

Para adoçar o café, recomendamos a utilização de frutas secas como a tâmara, uva passa e ameixa passa. Essas três opções são boas tanto como acompanhamento/petisco para o café, quanto para para adoçar shakes e drinks, por exemplo. No último caso, basta adicionar algumas unidades das frutas secas no liquidificador e bater com o café especial e os outros ingredientes do shake (leite, aveia, etc). 

Para te provar que frutas secas são ótimas para adoçar, aqui tem uma receita de  Torta para o Natal com Macadâmia, Caramelo de Café e massa de Granola, que a tâmara foi usada para substituir o açúcar. De bônus, descobrimos que essa torta é uma harmonização incrível com o café Talismã.

Dica 3 – Use frutas tropicais

Além de ser uma ótima fonte de energia diária, o café especial pode ser usado na composição de drinks incríveis e a combinação com frutas tropicais até ajuda a elevar a complexidade do seu café.

Por morarmos em um país tropical com dimensões continentais, temos a oportunidade de conhecer e provar uma grande variedade de frutas, o que contribui para o aumento da nossa memória gustativa. 

Frutas cítricas harmonizam muito bem com café especial. Espremer um limão no café depois de pronto e adicionar gelo vai deixar o café mais refrescante. Usar fatias de laranja na hora de coar o café, também traz um sabor adocicado e uma acidez gostosa da fruta. Aqui tem uma receita de como passar o café usando uma fatia de laranja, que é muito fácil de fazer.

Outra combinação que dá muito certo com o café especial, é a banana. Como é uma fruta já bastante doce, ela é excelente para substituir o açúcar do café. Aqui tem uma receita de shake de café com banana, para quem gosta de receitas bem cremosas com café.

Mas, lembre-se, independente da fruta que usar, para ficar gostoso, tem que usar café de qualidade. Veja aqui como receber café de qualidade em casa, sem pagar frete.

Dica 4 – Use Leites e bebidas vegetais

A mistura entre leite e café já é bem conhecida pelos brasileiros e muitas vezes é usada para amenizar o amargor pronunciado do café tradicional. O que talvez ninguém tenha te contado é que o leite, quando vaporizado, ganha uma doçura maravilhosa e combina muito bem com o café especial, destacando o que cada um tem de melhor na xícara – em outro post  ensinamos como fazer um leite cremoso que fica perfeito para o preparo de cappuccinos caseiros.

Os leites vegetais combinam e muito com café e já se tornaram parte do cardápio de muitas cafeterias espalhadas pelo Brasil. A harmonização do café com bebidas vegetais pode ser feita com os mais variados tipos de leites. Recomendamos o uso de leites com um sabor mais neutro, como o leite de castanha de caju ou aveia. Já o  leite de coco combina muito bem com cafés mais intensos, como o João de Barro e Recanto do Ipê.

E que tal aproveitar o friozinho de outono para preparar uma receita de Café com Leite de Coco, Cacau e Chocolate e ficar embaixo das cobertas?!

DICA 5 – Harmonize com chocolates e outros doces

O café especial harmoniza muito bem com os mais diversos tipos de doces e o chocolate não ficaria fora disso. 

Se optar por um chocolate com maior grau de cacau (acima de 70%), esse acompanhamento fica ainda mais saudável, pois leva menos açúcar e mais cacau em pó e manteiga de cacau. 

Além disso, o chocolate é uma ótima fonte de triptofano e magnésio, que agem diretamente na produção de serotonina – o neurotransmissor cerebral responsável pela sensação de prazer e bem estar (relaxamento).

O chocolate pode ser usado tanto como ingrediente na composição de drinks cafeinados, como o Mocha  ou simplesmente para acompanhar uma xícara de café.

Na próxima vez que for fazer um café, ao invés de adoçar com açúcar tradicional, tente colocar uma barrinha de chocolate 70% cacau na xícara. Ele derrete sozinho com o próprio calor do café e harmoniza muito bem.

O cacau e chocolate em pó também podem ser usados direto na xícara, para adoçar o café. Coloque a gosto no café depois de pronto.

Para aprofundar ainda mais no assunto, veja este post sobre Qual a Melhor Harmonização para o Café Especial  e Como Combinar Sabores

DICA 6 – Substitua por Mel, melado e outros açúcares

O mel, melado de cana e outros açúcares como o açúcar de coco e demerara são opções mais naturais para quem prefere adoçar o café no dia.

Uma xícara de café com uma colher de chá de mel ou melado de cana, transforma o café. Para quem tem o paladar muito doce e não fica sem café adoçado, esta é uma das melhores formas de deixar o café bem adoçado com ingredientes naturais.

Hoje em dia também é muito fácil achar substitutos mais saudáveis ao açúcar comum, como o demerara e de coco. 

Mas lembre-se, ainda são açúcar e devem ser consumidos com moderação.

A stevia e o xilitol são outros exemplos de substitutos para o açúcar branco, mas é importante se atentar às quantidades utilizadas no dia a dia e sempre consultar o profissional nutricionista sobre a inclusão destes ingredientes na dieta.

DICA 7 EXTRA – Não desista de tentar!

O mais importante destas dicas é que o café tem que ficar gostoso para quem vai tomar. Achar o melhor caminho de acordo com o objetivo e gostos individuais, é o mais importante.

Por isso, é fundamental provar o café antes de adoçar e sentir se o sabor está agradável ou não para quem vai tomar. A partir disso, deve-se adoçar aos poucos para encontrar o ponto de doçura ideal para o paladar. 

Repetir o processo acima durante alguns dias pode auxiliar na diminuição do açúcar branco na rotina. Vale lembrar que a redução do açúcar em nosso consumo diário pode ser feita de várias formas e com o café não seria diferente. 

Todas as dicas e substituições foram pensadas para tornar o seu momento café ainda mais saudável, agradável e saboroso. 

Enjoy!

Qual a Melhor Harmonização para o Café Especial – Como Combinar Sabores

Publicado em Tags , , ,

Café especial é uma bebida tão rica em sabor que é possível harmonizar com vários tipos de alimentos salgados e sobremesas. Isso porque o café especial apresenta notas sensoriais diversas, de acordo com a região que foi plantado e todo o tratamento que ele passou depois da colheita. 

A harmonização entre bebida e alimento é muito famosa quando o assunto é vinho. Mas hoje vamos te mostrar como é possível combinar alimentos do dia a dia com o seu café especial, realçando as suas qualidades e criando um equilíbrio entre os sabores.

Antes de tudo, vale ressaltar que existem dois tipos principais de harmonização: a por similaridade e por contraste. E as notas sensoriais e o perfil de torra dos cafés especiais vão influenciar diretamente no tipo de harmonização desejada.

A harmonização por similaridade é a que se usa alimentos marcantes com cafés marcantes ou alimentos suaves com cafés suaves. Já na harmonização por contraste, usa-se o café com mais acidez para alimentos gordurosos ou um café doce para pratos salgados.

Abaixo listamos alguns exemplos para você entender melhor. Em cada exemplo, listamos dois cafés da nossa assinatura que combinam com cada alimento.

 Café & Queijo 

Existe dupla melhor do que café com queijo? Somos suspeitos em falar, pois aqui na coffee&joy somos quase todos mineiros! A harmonização de café com queijo é uma das mais famosas. Isso acontece porque o sabor salgado do queijo gera um equilíbrio na acidez de alguns cafés e resulta em uma harmonização incrível.

Para começar, recomendamos queijos mais salgados, como o queijo parmesão, pecorino, minas, grana padano, provolone com cafés mais intensos.

Esses cafés possuem um perfil de torra mais desenvolvido, onde normalmente apresentam notas de chocolate, castanhas, etc. Para esta harmonização, indicamos os cafés João de Barro e Paraíso Canastra.

Se você gosta de queijos mais suaves, como o queijo gouda, edam, coalho, mascarpone, cheddar, prato, pode apostar em cafés mais suaves também, aplicando a harmonização por similaridade. Para essa combinação, indicamos cafés com perfis de torra média clara: Copacabana e Bossa Nova.

Café & Chocolate

Primeiramente, deve-se ficar atento ao tipo de chocolate que vai ser harmonizado. Para o chocolate amargo ou meio amargo, é indicada uma harmonização por contraste: aposte em cafés que têm uma doçura mais acentuada, para que estabeleça um equilíbrio entre o amargo e o doce. Para esta harmonização, indicamos os cafés Raio-de-Sol e Terracota.

Para combinar um chocolate bem doce, como o chocolate branco ou ao leite, também é indicado usar uma harmonização por contraste. O indicado é o uso de cafés mais intensos e com torras mais desenvolvidas, como o café Recanto do Ipê e o Samba.

Essas dicas são super importantes na hora de combinar café especial com alimentos que têm uma doçura acentuada como cookies, bolos, paçoca, brownie, donuts, tortas doces, pudim e até sorvete. Clique aqui e aprenda a fazer uma sobremesa deliciosa de sorvete com café.

Ao usar o café como ingrediente em receitas, é interessante utilizar a harmonização por similaridade. Por exemplo, ao fazer calda de café para um bolo de cenoura ou o famoso tiramisù, os quais você quer ressaltar bastante o sabor café para depois contrastar com outros elementos doces, é bom usar cafés bem intensos também. Aposte em cafés com torras escuras e notas de chocolate, amêndoas e nozes, como o café Recanto do Ipê e o Samba.

Café & Frutas

A harmonização não serve apenas para alimentos, também conseguimos harmonizar o café com outros tipos de bebida. Aqui na coffee&joy nós sempre criamos receitas inusitadas com café e a harmonização fica incrível.

Para a harmonização de café com receitas que levam suco de frutas, usamos as características da acidez. Clique aqui e veja uma receita de gin com café e limão.

A tangerina, o limão e a laranja são bem comuns nas receitas de Cold Brew. Essa é uma harmonização por similaridade, onde combinamos frutas para ressaltar ainda mais a acidez e o lado cítrico de cafés que também possuem essas características. Para essa harmonização, indicamos os cafés Sicília e Pink Lemonade. Veja aqui uma receita de drink de gin, café e tangerina.

Frutas como a banana, o coco e o cacau também harmonizam muito bem com o café especial. Como essas frutas são mais doces, usamos um café que consegue equilibrar essa doçura. Para isso, a harmonização por contraste é bem-vinda, com cafés mais intensos com notas de chocolate, amêndoas e nozes. Indicamos os cafés Pampa e Talismã.

Agora é a sua vez de testar essas harmonizações em casa. Preste muita atenção nos sabores e combinações entre o café e os alimentos. Não se preocupe se logo de início você não perceber, com o tempo você conseguirá identificar facilmente o contraste dos sabores.

Bons cafés e boas harmonizações!

Como Usar o Moedor elétrico Cadence Di Grano – Porque Moer o Café na Hora é Melhor?

Publicado em Tags , , , ,

A compra de um moedor é um passo muito importante para quem está em busca de melhorar sua experiência na hora de tomar seu café diário. O cheiro do café com uma torra fresquinha e recém moído invadindo a cozinha é uma sensação incrível e é uma ótima forma de começar o dia.  Nós testamos o moedor elétrico Cadence Di Grano para mostrar como ter uma moagem boa em casa e porque moer o café na hora faz toda diferença.

Logo após a moagem do café, o processo de oxidação é iniciado e, com isso, boa parte dos aromas e sabores do café já começam a se perder. O grão de café inteiro funciona como uma cápsula natural para esses aromas e a quebra dessa proteção, que acontece quando mói o grão, é o pontapé para a oxidação. 

Um café já oxidado ou envelhecido (que torrou ou já moeu a muito tempo) perdeu muito dos sabores e aromas que poderiam nos proporcionar, o que pode resultar em alguns casos em uma bebida com gosto desagradável e rançoso se esse tempo for muito longo. O ideal é consumir cafés especiais que foram torrados sempre num período de 3 meses. Se ele já estiver moído, desde que seja bem preservado em uma embalagem lacrada, longe da luz e fora da geladeira, este tempo diminui para 1 mês.

Investir em moedor é um ótimo jeito de melhorar o café que tomamos em casa e garantir que ele estará sempre fresco e com suas características sensoriais preservadas. Sem falar na qualidade. Ao comprar cafés em grãos, você garante que dentro do pacote só tem café puro, sem misturas e impurezas.

Para isso, os moedores de café elétricos são uma ótima escolha para quem busca praticidade na hora preparar sua bebida cafeinada e com bom custo benefício. Preparamos um review sobre o moedor de Di Grano da Cadence, dando dicas detalhadas para utilização e limpeza do aparelho. E aí, prontos para conhecer mais sobre o universo dos moedores?

Sobre o moedor

O moedor Di Grano foi desenvolvido pela marca Cadence, que produz diversos aparelhos para uso doméstico, como chaleiras elétricas, liquidificadores e etc.

É um modelo portátil e compacto, o que o torna ideal para uso doméstico. Sua utilização é muito prática e para obter um bom resultado durante a moagem é recomendado moer pequenas quantidades de café por vez, isso deixará a moagem o mais regular possível.

Características

  • Possui lâminas em formato de hélices em aço inox.
  • Possui a capacidade de moer até 45g de café. 
  • O equipamento conta com um dispositivo de segurança e não funciona caso a tampa esteja aberta ou desencaixada.
  • Botão “Liga/Desliga”.
  • Espaço para enrolar o fio na base.
  • Corpo em aço inox com pintura metalizada.
  • Potência 150 W.
  • Tampa transparente que ajuda a visualizar os grãos durante a moagem.

Modo de uso

  1. Coloque o aparelho em uma superfície plana, lisa e estável.
  2. Pese o café em grão, opte por um café com a torra recente.
  3. Coloque os grãos no depósito do moedor e encaixe a tampa corretamente. O moedor só funciona se estiver com a tampa bem encaixada.
  4. Ligue o equipamento na tomada.
  5. Pressione o botão liga/desliga pelo tempo até obter a granulometria desejada.
  6. Chacoalhe levemente enquanto mói, com movimentos sutis para cima e para baixo, para homogeneizar a moagem. 
  7. Solte o botão pulsar para interromper o processo.
  8. Desconecte o plugue da tomada, retire a tampa e despeje o café moído dentro do seu método de preparo.

Obs: Antes de retirar a tampa, certifique-se que as lâminas estejam completamente paradas.

Veja aqui o vídeo de como usar o moedor:

 

Ajuste de moagem por tempo

O ajuste de moagem do moedor Cadence Di Grano é feito por tempo, ou seja, quanto maior o tempo, menor será o tamanho da partícula de café. Após testes feitos aqui na coffee&joy, recomendamos a utilização dos tempos para um resultado satisfatório em sua moagem.

Para moer cerca de 20g de café especial (2 colheres de sopa cheias), o tempo foi:

Moagem fina:

Para obter uma moagem fina pressione por 25 segundos e chacoalhe o moedor levemente para cima e para baixo para deixar a moagem mais homogênea. 

Moagem média:

Para uma granulometria média, pressione por 15 segundos e chacoalhe o moedor levemente para cima e para baixo para deixar a moagem mais homogênea.

Moagem grossa:

Para uma espessura grossa pressione por 8 segundos e chacoalhe o moedor levemente para cima e para baixo para deixar a moagem mais homogênea.

Obs: Não é aconselhado seu uso por mais de 30 segundos ininterruptamente.

Durante esses testes foi necessário chacoalhar o moedor durante a moagem para ajudar a uniformizar as partículas.

Quer começar a moer seu café em casa? Compre já o seu moedor.

Guia de moagem

O tamanho da moagem tem um papel muito importante na hora de preparar café, pois uma moagem incorreta pode atrapalhar na extração e trazer sabores indesejados para a xícara.

No geral, utilizamos a moagem grossa para métodos de preparo onde o café ficará mais tempo em contato com a água e conseguirá extrair todos os compostos. Chamamos estes de métodos de imersão, como é o caso da Prensa Francesa e Cold Brew, que chega a ficar em imersão por até 24h.

Caso utilize uma moagem muito grossa no coador de pano ou filtro de papel, a água passará pelo café muito rápido e, assim, terá dificuldade para extrair tudo o que o grão pode oferecer, resultando em um café com sabor mais fraco e sem doçura. Já com uma moagem muito fina, a água terá muita dificuldade para passar pelo café moído e vai extrair sabores indesejados, e terá como resultado uma bebida com  um sabor muito amargo e desagradável para alguns paladares.

A moagem média é mais utilizada em métodos de preparo por gravidade, onde a água vai precisar passar pelo café moído para extrair todos os sabores do café, como é o caso do coador de pano, Hario V60 e filtro de papel. No geral, a moagem média é um bom ponto de partida, pois com ela teremos um equilíbrio entre os sabores do café.

É importante lembrar que a moagem fina, média e grossa são pontos de partida para realização uma boa extração, mas elas podem sofrer alterações de acordo com a receita e variáveis que podem surgir na hora de preparar seu café, como temperatura da água, grau e tempo de torra e método utilizado no preparo.

Não tenha medo de explorar receitas e descobrir novas experiências através do café.

Para saber um pouco mais sobre a importância da granulometria correta na hora de preparar seu café e qual moagem usar para qual método de preparo, confira nosso post sobre moagens aqui.

Sobre como fazer café em casa, nesta página aqui temos vários posts e vídeos, com o dossiê completo de como fazer café usando vários equipamentos diferentes, inclusive dicas de moagens e de limpeza.

Prós e Contras do Moedor Cadence

Vantagens:

  • Baixo investimento.
  • Design clean.
  • Praticidade e velocidade para moer o café.
  • Ótimo para o uso doméstico.
  • Compacto e fácil de guardar.
  • Fácil para limpar.

Desvantagens:

  • Não possui precisão e uniformidade na moagem como os moedores de discos.
  • Para quem faz muito café, mói pouca quantidade e, por isso, tem que dividir em várias levas de moagens.
  • Cor única.

Cuidados com o equipamento

Sua lâmina e corpo são feitos de aço inox.  Durante o seu uso, partículas de café podem grudar no equipamento. Para limpar, utilize papel toalha e um pincel de cerdas macias para retirar os resíduos de café.

Atenção

  • Leia o manual de instruções com atenção antes de utilizar seu moedor.
  • Antes de ligar o aparelho, verifique se a tensão da energia está correta.
  • Para moer uma quantidade grande de café,  opte por fazer a divisão do peso, para facilitar o processo de moagem.
  • Utilize apenas café em grãos para não danificar o produto, confira se não há impurezas e evite usar para outros alimentos para não alterar o sabor do café.
  • Coloque seu aparelho somente sobre superfícies planas, firmes, limpas e secas.
  • Não deixe o moedor próximo de superfícies quentes.
  • Após o uso, retire o equipamento da tomada.
  • Não toque no moedor com as mãos molhadas ou úmidas.
  • Não puxe o fio elétrico ou aparelho para desconectar da tomada.
  • Não ligue o produto em tomadas elétricas sobrecarregadas com outros produtos elétricos em funcionamento. 
  • Conecte o plugue na tomada somente quando o moedor estiver montado e com a tampa no lugar.
  • Antes de remover a tampa, desconecte o plugue da tomada e certifique-se que a lâmina tenha parado de girar.

Limpeza  e cuidado:

  • Desligue o equipamento da tomada antes de iniciar a limpeza.
  • Utilize um pincel de cerdas macias e papel toalha para a limpeza.
  • Não lave o equipamento, pois isso irá danificar o motor.
  • Não expor ao fogo.
  • Manusear com cuidado.
  • Caso o fio elétrico seja danificado, ele deve ser substituído por outro em uma assistência técnica autorizada.
  • Caso ocorra o bloqueio do motor pelo pó de café, retire o equipamento da tomada e espere desligar completamente. Gire a hélice com cuidado para liberar a passagem.

E aí, qual a sua opinião sobre o moedor elétrico Di Grano da Cadence? Gostou deste post e quer ver o nosso review sobre outros moedores? Mande suas dúvidas no Instagram ou envie um contato no site. 

 

Receita de Café com Leite e Doce de Leite

Publicado em Tags , Deixe um comentário em Receita de Café com Leite e Doce de Leite

Tem dias que merecem um café da manhã bem diferente, não é?  Por isso, a gente preparou essa receita de café com leite e doce de leite para fazer nas manhãs especiais com a família. Ela é bem simples e fácil para que você possa se surpreender em qualquer dia que você quiser transformar em um dia especial.

Para esta receita, nós usamos leite vegetal, mas você pode substituir por leite integral ou qualquer outro do seu gosto. Vale o teste!

O café, usamos um mais intenso, com notas doces. Sempre de qualidade especial. Acesse aqui para conhecer cafés de origem que são entregues na sua casa, onde estiver.

Essa receita é tão fácil, que no final do post, tem um tutorial super rapidinho ensinando a fazer esse drink muito gostoso.

Ingredientes

– 1 colher de sopa de doce de leite

– 1 dose (50ml) de café coffee&joy já pronto

– 1 copo (100ml) de leite quente (pode ser o vegetal)

Como preparar

Faça o seu café na hora, como de costume. Aqui tem várias dicas de como preparar café em casa.

Em uma xícara, coloque uma parte do doce de leite por dentro, espalhando por toda parece interna da xícara.

Adicione o café quente por cima do doce de leite. Depois, adicione o leite quente, mirando no canto da xícara, para que se misture com o café.

Por fim, adicione um pouco do doce de leite nas bordas da xícara, com a ajuda de uma colher.

Neste vídeo, tem um tutorial bem rapidinho de como fazer esta receita prática e rápida.

Enjoy!

Receita de Torta para o Natal com Macadâmia, Caramelo de Café e massa de Granola

Publicado em Tags , , Deixe um comentário em Receita de Torta para o Natal com Macadâmia, Caramelo de Café e massa de Granola

Buscando uma sobremesa perfeita para o Natal? Nós preparamos uma torta muito gostosa de macadâmia, caramelo de café e massa de granola.  Só de imaginar já dá água na boca…

Essa torta foi criada com os ingredientes inspirados nas notas sensoriais do nosso café Talismã.  Usamos macadâmia, tâmara, maçã e, claro, o próprio café Talismã. O resultado foi surpreendente e não tem hora melhor do que o Natal para testar e compartilhar com a família! 

É uma receita diferente para sair do comum. A junção entre o caramelo de café e a crocância da macadâmia é uma experiência sensorial única. 

Veja a receita completa:

 

Ingredientes da massa:

  • 250 gramas de granola com maçã
  • 70 gramas de manteiga derretida ou 1 colher de sopa de óleo de coco
  • 60 gramas de tâmaras picadas
  • 50 ml de calda de açúcar mascavo ou melado de cana
  • Uma pitada de sal

Modo de preparo massa:

  1. Em um liquidificador, mixer ou processador adicione a granola e bata até formar uma farofa.
  2. Adicione a manteiga derretida, as tâmaras picadas, a calda de açúcar e o sal. Bata tudo até formar uma farofa mais úmida.
  3. Transfira para forma redonda e com fundo removível, espalhe a massa com cuidado pelo fundo e laterais da forma e leve para geladeira por no mínimo 30 minutos. Lembre-se de colocar um papel manteiga no fundo se sua forma não for antiaderente.
  4. Pré aqueça o forno a 180ºC – 200ºC.
  5. Retire a massa da geladeira e leve ao forno por 25 minutos. Após esse tempo, retire a massa do forno e deixe esfriar bem.

Durante o tempo em massa está na geladeira e depois no forno, você pode fazer o delicioso recheio de macadâmia, caramelo de café e a ganache.

 

Ingredientes do Caramelo de Café:

  • 150 gramas de açúcar
  • 100 ml de café bem concentrado, nesta receita utilizamos o café Talismã
  • 10 gotas de limão
  • 115 ml de creme de leite
  • 10 gramas de manteiga gelada

Modo de Preparo:

  1. Prepare o café no seu método preferido, aqui usamos o café Talismã feito na Prensa Francesa. Mas lembre-se de usar a proporção que indicamos na receita: 20g de café para 120ml de água. Após o preparo do café, reserve.
  2. Em uma panela, adicione o açúcar, as gotas de limão e o café. Mexa para dissolver o açúcar e leve ao fogo (chama baixa/média) até engrossar. Para não cristalizar a mistura, com um auxílio de um pincel passe um pouco de água na lateral da panela de tempos em tempos.
  3. Quando o caramelo começar a engrossar, retire do fogo e acrescente o creme de leite aquecido, misture e volte a panela ao fogo baixo. 
  4. Deixe o caramelo reduzir por 5 minutos e desligue o fogo. Coloque a manteiga, misture e deixe esfriar.

 

Ingredientes do Creme de Macadâmia:

  • 50 gramas de Macadâmia picada e tostada. Você pode tostar ela em casa, em uma frigideira antiaderente
  • 150 gramas de creme de leite
  • 40 gramas de açúcar ou leite condensado
  • 20 ml de leite
  • Uma pitada de sal

Modo de Preparo:

  1. Em uma panela, adicione os ingredientes e leve ao fogo médio até engrossar, lembre-se de mexer com uma colher para não agarrar no fundo.
  2. Quando começar a soltar do fundo da panela, retire do fogo e transfira para uma travessa ou prato e deixe esfriar.

 

Ingredientes da Ganache de Chocolate:

  • 90 gramas de Chocolate Meio Amargo
  • 50 ml de creme de leite

Modo de Preparo:

Derreta o chocolate no microondas ou em banho maria. Adicione o creme de leite aos poucos, até incorporar no chocolate e ele ficar com aspecto brilhante

 

Montagem da Torta

Para montagem da sua torta, coloque o creme de macadâmia sobre a massa e logo em seguida adicione o caramelo e por último a ganache de chocolate.

E a decoração fica por sua conta. Em nosso caso, utilizamos nibs de cacau para deixar nossa torta ainda mais gostosa.

Obs: Caso queira, pode dividir a massa e os recheios em pequenas porções individuais e preparar mini tortinhas.

Enjoy!