A Aproximação que se Tornou numa Verdadeira Paixão Pelos Cafés Especiais [Parte 6 – Série a Origem do Nosso Café]

Publicado em Tags , , , , , Deixe um comentário em A Aproximação que se Tornou numa Verdadeira Paixão Pelos Cafés Especiais [Parte 6 – Série a Origem do Nosso Café]

A simplicidade, o tato e a curiosidade do produtor Donizeti, nos seus 40 alqueires de terra sobre os morros, faz do café da Fazenda Seixal ser ainda mais especial. Por isso, esta história ganha destaque na Parte 6 da Série A Origem do Nosso Café!

Perdeu as outras partes da Série A Origem do Nosso Café? Acesse aqui.

O produtor Donizeti, que fabrica máquinas e equipamentos agrícolas para outros produtores de café, após tanto contato com a cultura por meio de seus clientes, resolveu comprar a Fazenda Seixal, que já está com ele há 10 anos.

Um verdadeiro amante do café e que põe a mão na massa, com todo orgulho! Nosso registro disso tudo, ficou marcado aqui:

Débora, Donizeti e Sérgio, na Fazenda Seixal
Débora, Donizeti e Sérgio, na Fazenda Seixal

O café especial é produzido a 1100 metros de altitude, na pequena cidade de Campos Gerais, no sul de Minas Gerais.

Como está em uma região montanhosa, todo o cultivo é feito manualmente, por conta do difícil acesso das máquinas. Além de dar um toque especial e mais humano, o contato direto do produtor com a sua lavoura é o diferencial para que se extraia uma bebida inigualável.

Dos 40 hectares da Fazenda Seixal, 20 são de mata nativa que rodeiam a sua lavoura, mata esta que é preservada por Donizeti até hoje e que irá continuar assim. Entre as ruas da lavoura, também se encontram árvores nativas e que fazem sombras sobre uma porção de pés de cafés, mantendo a umidade e temperatura dos seus frutos no ponto perfeito para tirar um café especial, o delicioso café de sombra.

A Fazenda Seixal é o recanto de Donizeti, que sempre que possível reúne a família e amigos nos tempos livres. Uma das suas grandes paixões é poder ficar na Fazenda e cuidar pessoalmente de toda a produção.

Veja aqui o vídeo completo sobre a nossa visita na Fazenda Seixal:

 

Preocupado em manter-se atualizado, aumentando a produção e a qualidade do seu café, Donizeti iniciou em 2016 a plantação de mudas de um novo café desenvolvido pelo programa de melhoramento genético do café da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), o Aranãs. A expectativa é que a nova cultivar seja resistente à ferrugem, possuindo alta produtividade, e se destacando com grãos graúdos – porcentagem maior de peneira de 16 acima – e, o mais importante, extraindo uma bebida de qualidade diferenciada.

Hoje, oferecemos uma verdadeira pérola desta Fazenda. Com nome dado em homenagem á região de serras da cidade de Campos Gerais, o café especial Serra Gerais traz, na xícara, todo esse cuidado e dedicação do produtor Donizeti.

>> Experimente o Café Serra Gerais <<

Possui acidez cítrica, corpo viscoso, fragrância e aroma suave com notas de chocolate amargo e frutas secas, e uma finalização moderada e marcante com notas de chocolate amargo. É sensacional. A torra média deixa o sabor mais intenso e é feita artesanalmente para dá um toque especial para este café espetacular.

Desde o preparo, passando pelo aroma e finalizando com o sabor na xícara, traz uma experiência de tirar o fôlego.

Com absoluta certeza, este é um café que vale a pena fazer parte do dia a dia de qualquer bom apreciador.

Produtor Donizeti, na lavoura sombreada da Fazenda Seixal
Produtor Donizeti, na lavoura sombreada da Fazenda Seixal

 >> Assine agora e tenha esses cafés espetaculares na sua casa! <<

De Pai Para Filho – A Arte de Produzir Cafés Especiais [Parte 5 – Série a Origem do Nosso Café]

Publicado em Tags , , , , , , 1 comentário em De Pai Para Filho – A Arte de Produzir Cafés Especiais [Parte 5 – Série a Origem do Nosso Café]

Há 40 anos na família, a Fazenda São Joaquim leva o nome do santo xará do seu proprietário, Joaquim Pereira Miranda (ou Quinzinho, como é conhecido na região). Apesar de hoje estar sob os cuidados do seu filho, Carlinho, como é carinhosamente chamado pelos amigos, Quinzinho acompanha de perto a evolução da Fazenda.

A Fazenda São Joaquim vem participar da Parte 5 da Série a Origem do Nosso Café, para nos mostrar como que um filho consegue, de maneira brilhante, manter a paixão do seu pai que hoje tornou-se sua.

Perdeu as outras partes da Série A Origem do Nosso Café? Acesse aqui.

Hoje, totalmente mecanizada, com uma produção já pensada nos cafés especiais, a Fazenda São Joaquim produz cafés de altíssima qualidade e possui tanto o processo do cereja descascado como natural.

Registro da Visita da Equipe Coffee & joy na Fazenda São Joaquim
Registro da Visita da Equipe Coffee & joy na Fazenda São Joaquim

O amor do Carlinho pela roça e seu orgulho do legado do seu pai Quinzinho são os pilares desta Fazenda. Mais do que isso, os trabalhadores da fazenda também já estão há muito tempo junto com eles, sustentando com bastante garra as bases construída por Quinzinho. Hoje, são mais que trabalhadores, são amigos e companheiros de trabalho.

Por conta disso, Quinzinho e Carlinho beneficiam seus trabalhadores com salários acima da média de mercado e os presenteiam com treinamentos específicos da cultura de café, para se especializarem e acompanharem tudo o que há de novo no mercado da produção do café especial.

Produtor Quinzim no lavador de café.
Produtor Quinzim no lavador de café.

O cuidado e o bom relacionamento com os trabalhadores é visível numa breve passagem na Fazenda e é um diferencial na produção de cafés especiais de altíssima qualidade.

Localizada no pequeno município de Santana da Vargem, no interior de Minas Gerais, está a 900 metros de altitude. Produz cafés da variedade Mundo Novo, 100% Arábica. Veja aqui, tudo isso que pudemos sentir na nossa visita à Fazenda São Joaquim:

 

Os cafés especiais da Fazenda São Joaquim foram escolhidos com muito carinho pela equipe Coffee & Joy.

De um lado, o Frutado Natural que passou pelo processo de produção natural, com secagem realizada em secador no formato de caixa (nova tendência da cultura do café). Para extrair o melhor da bebida, a torra é média e é feita artesanalmente com muita ciência, claro.

>> Experimente o Café Frutado Natural <<

Do outro, o Espresso Joaquim, este passou pelo processo de despolpa (cereja descascado). Para este café, a torra foi mais desenvolvida, ou seja, os grãos ficam um pouco mais no torrador, dando um perfil de torra média escura.

>> Experimente o Café Espresso Joaquim <<

Com o café Espresso Joaquim queremos ressaltar as notas de chocolate meio amargo dos grãos para levar qualidade e sabor para quem aprecia cafés mais caramelizados e intensos.

Simplesmente incrível. Confira essa tradição e legado em forma de bebida!

 >> Assine agora e tenha esses cafés espetaculares na sua casa! <<

Legado que é Herança para Qualidade nos Cafés Especiais. A História da Fazenda Estrela e seus Cafés Premiados [Parte 4 – Série A Origem do Nosso Café]

Publicado em Tags , , , , , , Deixe um comentário em Legado que é Herança para Qualidade nos Cafés Especiais. A História da Fazenda Estrela e seus Cafés Premiados [Parte 4 – Série A Origem do Nosso Café]

Seguindo a tradição do Sr. Edmundo Otaviano Silva (in memoriam), a sua esposa, Maria Tereza, e os filhos Adriana (em conjunto com o marido Vítor), Ana Cristina e Francisco, que herdaram a Fazenda Estrela há 3 anos, produzem cafés especiais de altíssima qualidade da mesma forma que era feita pelo Sr. Edmundo.

Esta família é a estrela também da 4ª Parte da Série A Origem do Nosso Café.

Perdeu as outras partes da Série a Origem do Nosso Café? Veja os posts completos aqui. 

Um legado passado de pai para filhos e que começou de forma simples. Sr. Edmundo e sua esposa, Sra. Maria Tereza, moravam na Fazenda Estrela e produziam, além do café, mandioca, abacaxi, etc, e criavam gado. De pouco em pouco foram comprando terras na região e ampliando a sua lavoura.

A cultura do café, todavia, começou pelos avós do Sr. Edmundo e ainda continua como tradição na família.

Hoje, os irmãos Adriana, Ana Cristina e Francisco e a matriarca Maria Tereza possuem uma vontade única de continuar o legado do Sr. Edmundo, trabalhando sempre juntos e unidos nas terras herdadas do pai e marido.

Sérgio Miranda, Maria Tereza e sua Filha, Adriana, Débora Reis
Sérgio Miranda, Maria Tereza, Adriana e Débora Reis.

Localizada no sul de Minas Gerais, na cidade de Três Pontas, a Fazenda Estrela está a 900 metros de altitude, localizada estrategicamente nos arredores da represa de Furnas, perto do distrito do Pontalete e só produz café 100% arábica.

Os atuais funcionários também são um legado da Fazenda Estrela e são muito queridos pelos proprietários. Todos moram na Fazenda, já trabalham há bastante tempo lá e também são de gerações de antigos funcionários. Assim como aconteceu com os avós do Sr. Edmundo, grande parte dos trabalhadores são netos e parentes das pessoas que estão lá desde o começo.

Secador da Fazenda Estrela
Secador da Fazenda Estrela

A Fazenda Estrela coleciona prêmios de bebida de café. Em 2014, ganhou o prêmio de melhor café de uma cooperativa local e de grande influência no mercado de cafés do sul de Minas Gerais.

Sempre preocupados em melhorar, sem deixar de lado as suas tradições, a família tem interesse em aprimorar cada vez mais o método de produção do café especial.

O diferencial dos cafés especiais que são produzidos na Fazenda Estrela é, com absoluta clareza, o carinho e orgulho que os filhos e esposa do Sr. Edmundo tem por essas terras.

Sérgio Miranda, Vítor e Débora Reis na visita à Fazenda Estrela
Sérgio Miranda, Vítor e Débora Reis na visita à Fazenda Estrela

Para manter a tradição e alta produção, o solo é analisado por agricultura de precisão e corrigido de acordo com a recomendação dos agrônomos que acompanham a Fazenda. Possuem o método de manejo da lavoura chamado de Safra Zero, que consiste na aplicação programada de poda (esqueletamento) da lavoura a cada ano, de maneira a coincidir com o ano de safra alta, para zerar a safra baixa. Ou seja, um ano de alta produção de determinada lavoura e o seguinte de baixa, sendo um manejo da cultura que vem obtendo a adesão crescente de propriedades nos últimos anos.

Conheça a Fazenda Estrela, assista ao vídeo completo aqui:

 

A Fazenda Estrela, que já brilha no nome, possui variedades diferentes de frutos (acaiá, catuaí, etc) e de processo de produção: o cereja descascado e o natural.

Nas visitas à Fazenda, a equipe C&J optou por selecionar os cafés de variedades e processamentos diferentes, para possibilitar uma melhor experiência nas sensações que a Fazenda Estrela pode nos proporcionar. Por isso, selecionamos dois cafés especiais, que passaram por processamentos diferentes.

O Acaiá Descascado passou pelo processo de despolpa (cereja descascado) e possui característica diferenciada, com um sabor suave e delicado.

>> Conheça o Café Acaiá Descasdo <<

Enquanto o Rei Sol passou pelo processamento natural, ou seja, foi lavado para separar maduro de bóia e depois seco em terreiro de cimento e possui características sensoriais típicas deste processamento.

>> Conheça o Café Rei Sol <<

Cafés especiais que tem gosto e sabor de onde foram cultivados, além de contar muita história dessa família que dá orgulho de se ver. Cada xícara é uma porção do legado que foi deixado pelo Sr. Edmundo e seus avós.

Visando proporcionar uma experiência inigualável na degustação da bebida, a equipe C&J escolheu para os cafés da Fazenda Estrela uma torra média que ressalta a doçura e acidez da bebida, sendo que a torra é feita artesanalmente. Cheiro e aroma de tradição da família Pereira e Silva também podem ser apreciados em cada xícara desses cafés diferenciados.

 >> Assine agora e tenha esses cafés espetaculares na sua casa! <<

A Tradição do Café: a Sexta Geração de Produtores do Sul de Minas [Parte 3 – Série A Origem do Nosso Café]

Publicado em Tags , , , , , Deixe um comentário em A Tradição do Café: a Sexta Geração de Produtores do Sul de Minas [Parte 3 – Série A Origem do Nosso Café]

Continuando a Série A Origem do Nosso Café, nesta Parte 3, é apresentado Francisco Valdemar dos Santos Reis, que produz café há 30 anos na Fazenda Recanto e vem da sexta geração da família que trabalha com a bebida. Através da produção de café, o Sr. Francisco conseguiu formar os seus quatro filhos na universidade nos cursos de Filosofia, Direito, Engenharia e Economia.

Veja aqui outros posts da Série A Origem do Nosso Café.

A cultura do café é tradição na família Reis e motivo de muito orgulho. O pai do Sr. Francisco possui outras terras na região e, ampliando o cultivo, adquiriu a Fazenda Recanto em 1986, que sempre foi bem cuidada pelo seu filho. Com o falecimento de sua mãe há alguns anos, o Sr. Francisco herdou uma parte da Fazenda Recanto, que hoje é dele e de sua irmã.

coffeeandjoy - origem do nosso cafe - recanto1
Produtor Francisco

A maioria das pessoas que trabalham na Fazenda Recanto estão desde o início com Francisco. Alguns trabalhadores são de geração de antigos funcionários e que vieram de outras terras da família. Sem dúvida, estes trabalhadores são o maior legado da Fazenda.

Francisco possui plantas das variedades Catuaí, Mundo Novo e Acaiá na Fazenda Recanto, e com boa técnica, conhecimento e muito, muito trabalho, consegue extrair grãos de altíssima qualidade, com sabor e aroma característicos das terras abençoadas do sul de Minas Gerais.

A Fazenda Recanto está localizada na cidade de Carmo da Cachoeira, MG, a 1000 metros de altitude, ideal para o plantio de cafés de alta qualidade. Possui áreas de vegetação nativa, árvores centenárias e que são preservadas pelo produtor e pelos trabalhadores.

As áreas nativas são tão especiais que os talhões de café foram nomeados considerando as espécies que possuem perto de cada um deles. A equipe C&J, em visita à Fazenda, conheceu os talhões de cafés do sassafrás, do ipê, da amoreira e da limeira.

Um registro gostoso da nossa visita na Fazenda Recanto:

coffeeandjoy - origem do nosso cafe - recanto
Equipe C&J com produtor Francisco

O trabalho para produção dos cafés especiais é feito em parceria com os trabalhadores, que já tem a experiência e a simbiose no cultivo, por conta dos anos em que estão juntos na Fazenda. Os grãos, após colhidos, são lavados, separados os maduros dos verdes e secados no terreiro de cimento. Todo o processo especial de produção resulta na excelente bebida desta Fazenda.

Pensando em manter a tradição de cultivo de café desde os seus tataravós, Francisco pretende continuar trabalhando por mais 30 anos na Fazenda Recanto. Para tanto, tem como plano para o futuro, o investimento na mecanização do processo e ampliação da produção de cafés especiais.

Conheça mais sobre a história fantástica do produtor Francisco aqui:

 

Este lugar é tão especial que levamos uma turma de assinantes do Coffee & Joy para uma visita guiada, por toda a produção de café especial. O resultado dessa visita você encontra neste post aqui.

O café especial da Fazenda Recanto vem de uma região abençoada e ideal para o plantio de cafés especiais. O nome que demos ao lote que selecionamos lá foi Recanto do Ipê – referente ao talhão de café com o nome Ipê que existe lá e, é claro, o nome da fazenda!

>> Conheça o Café Recanto do Ipê <<

O Toque Feminino no Universo dos Cafés Especiais [Parte 2 – Série A Origem do Nosso Café]

Publicado em Tags , , , , , Deixe um comentário em O Toque Feminino no Universo dos Cafés Especiais [Parte 2 – Série A Origem do Nosso Café]

Na segunda parte da série A Origem do Nosso Café, quem ganha destaque é uma mulher, que se encantou com as notas sensoriais que os grãos bem trabalhados podem trazer na xícara.

Perdeu a primeira parte da Série? Veja o post completo aqui.

Em um intercâmbio fora do Brasil, Liana, da Fazenda Venda Nova, percebeu o quanto o produto brasileiro era valorizado lá, além das várias opções disponíveis e o tratamento diferenciado que as pessoas e lojas possuíam com o café especial.

De volta à Minas Gerais, se casou com João, que já era proprietário da Fazenda Venda Nova e que continuava a tradição da sua família, que cresceu no campo. Foi a partir deste momento que Liana começou a acompanhar a produção de café e também estudar sobre como produzir cafés especiais de qualidade.

O encantamento pelas notas sensoriais que o café especial pode trazer, o apreço e carinho, são motivadores para ela continuar cuidando sempre da fazenda e também produzindo cafés de qualidade.

A Fazenda Venda Nova fica na região cafeeira de Matas de Minas, na cidade de Santa Margarida, MG. Possui 900m de altitude e grãos de diversas variedades são cultivados na fazenda.

Sérgio Miranda e Seu Bidu, ao lado do terreiro suspenso na Fazenda Venda Nova
Sérgio Miranda e Seu Bidu ao fundo, no terreiro suspenso na Fazenda Venda Nova

Com a ajuda do gerente da Fazenda, Seu Bidu, e do Juninho, a fazenda é tocada ano a ano. Em 2016, iniciou-se a produção de cafés especiais e as mudanças realizadas foram positivas.

Seu Bidu seleciona os talhões da lavoura e colhe os grãos a medida que eles chegam no ponto ideal de maturação. Depois, os grãos são selecionados, lavados e secados em terreiro suspenso.

Claro, nossa equipe teve o prazer de acompanhar todo esse trabalho realizado na lavoura, que deixamos registrado:

Débora, Liana e Sérgio
Débora, Liana e Sérgio

Na época de colheita, que é feita manualmente, Liana conta com a ajuda de mais pessoas e famílias na lavoura.

A inspiração para produzir um bom café vem, também, das pessoas que trabalham lá, juntas, para obter uma excelente qualidade na xícara.

Para cuidar da natureza, a mata virgem da região é mantida em alguns pontos da Fazenda e Liana já plantou novas plantas nativas da região, inclusive frutíferas.

Um pouco do trabalho realizado na fazenda pode ser visto no vídeo completo aqui embaixo:

O cuidado direto de pessoas competentes e amantes do que fazem, somado com a escolha do talhão correto e com uma colheita realizada no tempo certo de maturação do grão, confere ao café da fazenda Venda Nova uma uniformidade e qualidade que se espera de um café bem trabalhado.

As nuances que os cafés especiais podem trazer e que encantam a produtora Liana, também encantou a nossa equipe, quando selecionamos os cafés da Fazenda Venda Nova.

Todo o trabalho realizado por pessoas apaixonadas com o que fazem resultou em um café especial incrível na xícara! Mais especificamente, o café selecionado por nós é da variedade Catuaí Vermelho, secado em terreiro suspenso. Além disso, o sabor do café é adocicado e frutado com notas de chocolate, morango, amora e melão.

O café produzido por Liana recebeu o nome de Tulipa das Matas, uma homenagem à delicadeza e encantamento da produtora e à região cafeeira que deu origem à esses grãos (Matas de Minas).

Que orgulho poder compartilhar essa sensação com todo mundo!

>> Conheça o café Tulipa das Matas <<

Simplicidade no Campo Pode sim Gerar Qualidade [Parte 1 – Série A Origem do Nosso Café]

Publicado em Tags , , , , , Deixe um comentário em Simplicidade no Campo Pode sim Gerar Qualidade [Parte 1 – Série A Origem do Nosso Café]

Coffee & Joy tem um objetivo maior que é o de gerar uma cadeia sustentável do café. Para alcançar isso, uma das coisas que fazemos é aproximar os consumidores da origem dos cafés especiais que consomem.

Para alcançar este objetivo, resolvemos criar a série A Origem do Nosso Café, que será composta por 8 partes. Conhecer a origem do que consumimos nos aproxima cada vez mais daquilo que realmente importa. Saber de onde vem os nossos alimentos é certificar da qualidade deles e também auxiliar na cadeia sustentável de produção. Por isso, te convido a participar desta série comigo. Teremos histórias impressionantes e que dão gosto de conhecer!

O primeiro produtor em destaque é mais que especial. O Seu Aderson e Dona Maria Rosa são casados há 55 anos e possuem um sítio bem na Serra de Três Pontas, no Sul de Minas Gerais, chamado Sítio São João. A lavoura é inteiramente cuidada com matéria orgânica e todo processo é manual.

Seu Aderson é quem cuida diretamente de toda produção e tem ajuda de funcionários apenas quando não dá conta do serviço sozinho.

Eu tive o prazer de conhecer em primeira mão o trabalho que é feito lá e deixamos registrado este momento tão especial.

Dona Maria Rosa, Sérgio Miranda, Seu Aderson e Débora Reis, na lavoura do Sítio São João.
Dona Maria Rosa, Sérgio Miranda, Seu Aderson e Débora Reis, na lavoura de cafés especiais do Sítio São João.

O casal super simpático põe a mão na massa! A colheita é realizada manualmente e apenas depois que os frutos atingem o grau certo de maturação, para sempre obter cafés especiais. Depois de sair da lavoura, os grãos são secados em terreiro de cimento.

Dona Maria Rosa aproveita o sossego do pequeno sítio e sempre está cozinhando no fogão de lenha. Sorte a nossa, que fomos recebidos com um delicioso almoço na nossa visita no sítio!

De todo o trabalho, dedicação e paixão que levam para o Sítio São João, surge o café especial Guerreiro Bourbon. O nome em homenagem ao Seu Aderson, um verdadeiro guerreiro, que pôs a mão e cultivou esses excelentes grãos, da variedade bourbon vermelho.

A soma disso tudo é a prova na xícara de que simplicidade, dedicação, trabalho e paixão, gera qualidade.

Conheça todo o trabalho realizado no Sítio São João e a história dessas duas pessoas fantásticas! Assista ao vídeo completo:

 

Quer experimentar o café especial produzido com muito carinho por esses dois? Peça já o seu café Guerreiro Bourbon.

>> Comprar Café Guerreiro Bourbon <<

O Que São as Notas Sensoriais Que Estão Descritas no Meu Café?

Publicado em Tags , , , , , Deixe um comentário em O Que São as Notas Sensoriais Que Estão Descritas no Meu Café?

Se você já comprou um café de qualidade já percebeu que na embalagem, certamente, possui uma breve descrição sobre as características sensoriais dos grãos, como por exemplo, o sabor, aroma e a acidez.

Mas o que é isso?

Os cafés especiais possuem uma vantagem surpreendente de manifestar suas características de aroma e sabor da sua própria natureza ou origem, sem adições artificiais.

Uma torra bem trabalhada e fresquinha, bem como um preparo cuidadoso podem ressaltar essas características sensoriais dos grãos e nos fazer encantar ainda mais por este universo de cafés especiais.

Por isso, criamos um infográfico, com a descrição de todas essas características, para ficarmos mais expert e conseguir aproveitar melhor o nosso combustível diário de energia.

Interessante? Veja o infográfico abaixo para entender o que significam as notas sensoriais e, na hora de degustar novamente seu café especial, tente identificar essas características surpreendentes! Bom café!

Coffee & Joy - O que são notas sensoriais que estão descritas no meu café- (3)

Tomar seu café especial fica ainda mais interessante quando sabemos como aproveitá-lo ao máximo!

Lembre-se, as notas sensoriais são bem sutis, assim como as do vinho e são identificáveis apenas em cafés de qualidade, 100% arábica.

Quer saber o que são cafés especiais? Veja esse post completo aqui: O que é Café Especial? Saiba o Significado e o Que o Torna Especial Para Você Nunca Mais Tomar Café Ruim.

As principais diferenças entre cafés tradicionais e cafés especiais, você pode encontrar neste post aqui: Diferença entre Café Tradicional e Café Especial. Você já fez a sua escolha?

Venha para este universo de sensações para ter uma experiência incrível com cafés especiais. Mas cuidado, é um caminho sem volta!

Diferença entre Café Tradicional e Café Especial. Você já fez a sua escolha?

Publicado em Tags , , , , , , 1 comentário em Diferença entre Café Tradicional e Café Especial. Você já fez a sua escolha?

O café tem uma importância fundamental na economia do Brasil e está presente em praticamente todas as casas. Nosso país é o segundo maior consumidor da bebida no mundo e, em 2016, foram produzidas mais de 50 milhões de sacas no país.

Desse montante, quase 70% é exportado e o restante fica para consumo interno.

Mas você sabia que do percentual que fica para o consumo interno, apenas 9% são de cafés especiais e os outros 91% são de cafés tradicionais?

O que isso quer dizer?

Que a maior parte dos cafés de qualidade estão sendo consumidos nos outros países enquanto nós, em grande parte, tendemos a ficar com um café de qualidade inferior.

Amostras reais de café tradicional (esquerda) e café especial (direita)
Amostras reais de café tradicional (esquerda) e café especial (direita)

De acordo com a BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais), o consumo de cafés especiais no Brasil cresceu de 10 a 15% em 2017. Por isso, é importante saber o que é o café tradicional e o que é o café especial, assim você não terá dúvidas na hora de adquirir o seu café.

Veja abaixo a diferença entre os cafés especiais e os cafés que estamos acostumados a beber no Brasil e entenda a importância de saber a origem e a qualidade do que consumimos.

O Café Tradicional

Amostra de grão cru de café tradicional
Grãos crus de café tradicional

Segundo a ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café), café tradicional “é o café do dia a dia com qualidade recomendável e custo acessível. Certificado pela ABIC.”

Geralmente, esses cafés combinam os grãos da espécie arábica (rica em sabor e óleos aromáticos) e conilon (tem um trato mais rude e são considerados de qualidade sensorial inferior). Essa mistura diminui a complexidade e acidez do produto. Ainda, o custo do café tradicional é reduzido, pois historicamente no mercado, o café conilon é menos valorizado do que o café arábica. Um dos motivos, é a baixa complexidade sensorial desta espécie com relação à arábica.

Além disso, o café tradicional possui sabor intenso e amargo. Normalmente, são disponibilizados no mercado em embalagens tipo almofada ou fechadas no sistema de vácuo.

É aquele café preto, com uma torra muito acentuada, comumente chamado de café forte do Brasil e que já vem moído, bem fino. Ele é produzido em grande escala e, devido a matéria prima utilizada, ele acaba tendo uma qualidade inferior à do café especial.

Diferença entre um café regular e um café especial C&J - conheça os nossos cafés
Diferença de torra entre um café regular e um café especial

Alguns possuem selos de comprovação, por exemplo, o selo de pureza da própria ABIC, que foi criado no final dos anos 80 e garante que a amostra seja composta apenas por grãos de café. Em outras palavras, possui comprovação de que um determinado café (podendo ser ele tradicional), não possui misturas de outros alimentos (milho, soja, etc.), mas apenas o que vem da lavoura cafeeira: o próprio grão de café (perfeito e imperfeito) e uma baixa porcentagem de impurezas (galhos da árvore do café, cascas do grão, etc.).

Grãos defeituosos, verdes (que não chegaram no ponto certo de maturação) ou pretos, irão interferir e prejudicar no sabor e aroma do café.

Resumindo, o que chamamos de café tradicional é aquele grão excessivamente torrado com moagem muito fina, café preto e amargo. Podendo ser composto por grãos defeituosos e possíveis impurezas da lavoura cafeeira. Está disponível no supermercado, normalmente é formado por um blend de café arábica e robusta (conilon), o que prejudica muito na complexidade do sabor da bebida final.

O Café Especial

Grãos crus de cafés especiais
Grãos crus de cafés especiais

Na definição da ABIC, “são cafés de alta qualidade que cumprem uma série de requisitos para serem classificados como tal.”

São grãos de café perfeitos, torrados com muita ciência para expressar todo potencial de qualidade sensorial (flavor) do grão. Todo esse trabalho é realizado por profissionais treinados. Ainda, a moagem faz toda a diferença na hora do preparo, por isso eles são moídos adequadamente de acordo com padrões bem estabelecidos. Além destas características, os cafés especiais incluem cafés certificados como “conscientes”, por exemplo, o café orgânico e o fair trade. Os cafés de origem que, além dos atributos físicos, como aroma e sabor, também incorporam preocupações de ordem ambiental e social. Além de tudo isso, “cafés especiais”  são produtos finíssimos, de qualidade muito acima da média, valorizado de acordo com a sua escassez, qualidade do grãos e atributos sensoriais. É um produto diferenciado, quase livre de defeitos.

Este tipo de café é classificado como be­bida mole e/ou estrita­mente mole, que atinja no mínimo 80 pontos na classificação da SCAA (Associação Americana de Cafés Especiais). Veja mais sobre esta classificação neste post.

SCAA - Specialty Coffee Association of America o que é café especial
SCAA – Specialty Coffee Association of America

Este sim é um café de verdade. Grãos puros, sem misturas e 100% arábica. O resultado disso tudo para quem degusta um café especial é complexidade de sensações, com sabores e aromas distintos, proporcionando uma experiência única ao ser consumido.

>> Experimente Cafés Incríveis, enviados onde você estiver! <<

Café especial recebe atenção especial desde o plantio (variedade, tipo de solo, altitude, temperatura, clima) até a etapa da torra. A seleção de grãos é rigorosa e o ponto da torra é mais preciso. São realizados testes de perfis de torra, para construir uma curva de torra que evidencie todas características boas e naturalmente identificáveis dos grãos, para que a própria origem dele nos remeta a notas frutadas, achocolatadas e até florais, com acidez agradável de frutas cítricas ou vermelhas, ou até mesmo uma acidez málica (maçã).

Café especial C&J sendo resfriado logo após a torra
Café especial C&J sendo resfriado logo após a torra. Conheça nossos cafés aqui.

O café é uma fruta e, assim como qualquer outra fruta, o seu adequado e excelente tratamento trará benefícios na sua xícara.

A fruta bem cuidada poderá, ainda, trazer vários benefícios para a sua saúde. Veja aqui um post completo sobre os benefícios de se consumir cafés de qualidade.

Muito mais do que está na sua xícara, o café especial sempre estará conectado com a sua origem, com a história de quem o produziu e com a consciência sustentável da sua produção.

Mas não é só notas sensoriais, vai muito além da bebida de qualidade. Ele representa todo o esforço e trabalho de uma cadeia de produção, que começa na lavoura e termina com um excelente grão na sua casa. Tudo isso envolve diversos profissionais que estão preocupados em entregar um nível de qualidade altíssimo na sua xícara.

Em outras palavras, eles carregam os sabores e aromas de onde foram cultivados, vem abarrotados de histórias e de trabalho de pessoas de verdade, que são apaixonadas por café.

>> Quer ter Cafés Incríveis, onde você estiver? Experimente agora! <<

Para entender melhor, veja este breve resumo com as diferenças entre o café especial e o café tradicional:

cafe-especial-tradicional (2)

E o que você ganha consumindo cafés especiais?

O café especial, além de possuir muito mais sabor, aroma e ter benefícios para saúde, ajuda na cadeia sustentável de produção de cafés.

Quando você consome grãos de qualidade, você não estará adquirindo somente um café, você estará incentivando a história e evolução do produtor responsável pelos grãos que você escolher para consumir. Mais do que isso, você está garantindo a persistência dele em sempre produzir cafés de excelente qualidade.

Por isso, o compromisso do Coffee & Joy com você é  sempre procurar produtores responsáveis e sérios, para podermos fornecer cafés especiais com características sensoriais variadas, todos com o mais alto nível de qualidade para fazer do seu café não só um simples hábito diário, mas um momento de puro prazer.

>> Experimente Cafés Incríveis, direto do produtor, com torra fresca e enviados no conforto da sua casa! <<

Então, qual café você vai tomar hoje?

Conheça nossos cafés incríveis!
Conheça nossos cafés incríveis!

BIBLIOGRAFIA:

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Consumo de café especial»Consumo de café especial aumentou em até 15% em 2017, diz Associação Brasileira de Cafés Especiais. Consultado em 19 de junho de 2018.

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Estatísticas». Estatísticas. Consultado em 15 de novembro de 2017.

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Glossário do café». Glossário do café. Consultado em 15 de novembro de 2017.

BSCA (Brazil Specialty Coffee Association) «Cafés Especiais». O que são cafés especiais. Consultado em 15 de novembro de 2017.

CHALFOUN, Sára Maria. Glossário de termos técnicos utilizados na cafeicultura. Lavras, EPAMIG–CTSM, 2008.

Revista Cafeicultura «O que é um café especial?». O que é um café especial? Consultado em 15 de novembro de 2017.

RHINEHART, Ric. «What is Specialty Coffee?». Publicado pela Specialty Coffee Association of America (SCAA), 2009. 15 de novembro de 2017.

SCAA Protocols | Cupping Specialty Coffee «SCAA Protocols | Cupping Specialty Coffee ». Publicado pela Specialty Coffee Association of America (SCAA), 2015. Consultado em 15 de novembro de 2017.

SCAA (Specialty Coffee Association of America) «What is specialty coffee». What is specialty coffee. Consultado em 15 de novembro de 2017.

O Dia Em Que Tomar Um Café Deixou de Ser Apenas Degustar Uma Bebida – Como a Visita à Fazenda Recanto Mudou o Conceito de Tomar Café

Publicado em Tags , , , , , , Deixe um comentário em O Dia Em Que Tomar Um Café Deixou de Ser Apenas Degustar Uma Bebida – Como a Visita à Fazenda Recanto Mudou o Conceito de Tomar Café

“Os amigos do Coffee & Joy nos proporcionaram uma experiência incrível!! Somos curiosos e apreciadores de café. Assim, conhecer do início ao fim a produção do café, da fazenda até a torra, nos fez entender muito mais a dificuldade de se obter um café especial. Entender que os pequenos cuidados no cultivo, secagem, seleção e torra podem gerar na nossa xícara foi intrigante e fantástico ao mesmo tempo. Passamos a apreciar ainda mais uma boa xícara de café! Descobrir que a cata do café pode ser bom para aliviar o stress foi ótimo! 😉 Muito obrigada Coffee & Joy pela experiência!”

Lara Lebreiro, advogada e Pedro Gonzaga, analista de investimentos, amantes de café e assinantes do Coffee & Joy

Este foi apenas um dos relatos do que a visita à Fazenda Recanto proporcionou às pessoas que participaram dessa incrível jornada. Assista ao vídeo abaixo para entender o porque desta resenha. Além disso, para o pessoal presente, tomar um café deixou de ser apenas degustar uma bebida.

 

O dia foi 17 de junho de 2017, em Três Pontas, bem no sul de Minas Gerais. Uma manhã ensolarada e fresca. A turma de 13 pessoas apaixonadas por café se encontrou na cafeteria da Cooperativa da cidade para pegar a estrada de terra.

Pé na estrada, em direção a Carmo da Cachoeira, para a Fazenda Recanto. Mas primeiro, um pequena paradinha, para apreciar a Serra de Três Pontas.

Serra de Três Pontas
Serra de Três Pontas

Na Fazenda

Chegando na Fazenda Recanto, todos no meio da lavoura, onde o produtor Francisco deu a primeira “aula” e mostrou que café é estudo, conhecimento, técnica e muito, muito trabalho. Falou desde o manejo de uma lavoura ao longo do ano, principalmente dos cuidados preparatórios para época de colheita, até sobre a escolha da planta do café e a região de plantio.

Enganou-se quem achou que iria só passear, todos colocaram a mão na massa! Depois de ver a demonstração da colheita do café, todo mundo teve a oportunidade de “panhar” os grãos, direto do pé. Houve quem disse que a experiência foi terapêutica.

Colheita de café na Fazenda Recanto
Colheita de café na Fazenda Recanto

Da lavoura seguimos para o lavador. Vimos os cafés chegando de trator ao lavador e sendo separados, em seguida sendo levados para o terreiro e, posteriormente, o trabalho de secagem. Com a ajuda de uma moto ou na mão, os trabalhadores rodam os cafés em torno de 15 vezes ao dia, para garantir uma seca uniforme aos grãos.

Está em dúvida sobre esses termos e o processo completo do café? Neste post tem uma explicação completa do processo do café do pé até a xícara!

Na parte de maquinação, vimos o funcionamento do secador, descascador, beneficiamento e a chegada do grão cru às sacarias, com, é claro, uma grande aula do produtor Francisco.

Produtor Francisco
Produtor Francisco

O café da Fazenda Recanto, já é conhecido pelos assinantes Coffee & Joy e está disponível aqui!

Fechada a visita na Fazenda Recanto, seguimos para a Fazenda Triunfo. A fazenda Triunfo é uma propriedade centenária, herdada pelo Sr. Adolfo Reis, pai do produtor Francisco. Tivemos um acolhedor almoço, com uma bela feijoada, e muita prosa boa! Como já dizia um velho ditado popular: “Barriga cheia, pé na areia”, só que no nosso caso, é na terra mesmo! Assim, seguimos para a cidade.

No Armazém

Chegamos no Armazéns Gerais Padre Vítor, já na cidade de Três Pontas, MG. Sérgio Miranda, um dos fundadores do Coffee & Joy, deu uma aula de classificação de café para os nossos visitantes!

Nos Armazéns Gerais Padre Victor, Sérgio Miranda fala sobre classificação de café
Nos Armazéns Gerais Padre Victor, Sérgio Miranda fala sobre classificação de café

Mostramos como são armazenados os cafés, como a escolha e separação de grãos de qualidade influencia na bebida e os principais defeitos que são encontrados no café. Com isso, em uma mesa de prova, colocamos uma amostra de Café Coffee & Joy e uma de Café Tradicional para evidenciar as diferenças sensoriais de cada um. Na xícara, foi demonstrado como os defeitos que não são separados dos cafés tradicionais interferem, diretamente, no gosto do café. A surpresa foi grande e a diferença montanhosa, já que os defeitos do café trazem, além do amargor, aromas e sabores indesejáveis.

Na Torrefação

Dando sabor aos grãos! Partimos para a etapa da torra do café. Em uma torra comentada pelo barista Jefferson, os visitantes puderam entender melhor como a torra bem feita irá influenciar na qualidade da bebida. Mais do que isso, foi possível visualizar todas as etapas pelas quais os grãos passam enquanto estão sendo torrado, incluindo a caramelização, liberação de óleos e definição dos sabores e aromas do café.

Torrando café da Fazenda Recanto
Torrando café da Fazenda Recanto

Por fim, fizemos uma degustação comentada do café, para que pudéssemos sentir, juntos, sensações que os grãos de qualidade nos proporcionam.

Na sua casa

Uma rápida, porém completa, visita a toda cadeia do café, como ela funciona e todo cuidado que os integrantes dessa cadeia precisam ter,  para entregar para você uma bebida fina e da mais alta qualidade, lhe aproximando da origem e dos responsáveis por esta pérola que chamamos de café!

Todos os participantes da visita da Fazenda Recanto
Todos os participantes da visita da Fazenda Recanto

E o que acharam nossos visitantes? Vamos ver?

“Fantástico acompanhar toda a rota do café, da Lavoura até a xícara. Visitar a fazenda, ver todo o processo da colheita e como é feito a escolha dos melhores grãos, deixou claro para mim que não é trabalho fácil. Muito bom presenciar e sentir toda a dedicação com que vocês realizam o trabalho de trazer sempre os melhores cafés. Foram tantas as dicas que agora saborear um bom café não é mais a mesma coisa. <3”  – Tannus Esquerdo, desenvolvedor de software, amante de café e assinante Coffee & Joy

“Visitar a Fazenda Recanto e conhecer o processo de produção do meu café preferido, do plantio à minha xícara, me ensinou que café não é só uma bebida, e sim um ritual. Obrigado Coffee & Joy!” – Breno Mansur,  administrador, Vanessa, esteticista, amante de café e assinante Coffee & Joy

“A visita/expedição foi sensacional! Tivemos a oportunidade de conhecer e participar de todo processo que envolve a produção do café, da lavoura à caneca. A visita mudou nossa visão sobre a complexidade e o trabalho tão bonito das pessoas que trabalham o café! Sem dúvida foi uma experiência única que envolveu cultura e lazer! Parabéns à Coffee & Joy pelo trabalho!” – Isabela Vieira, empresária e Halled Bersan, empresário, entusiastas do café.

“Passei a apreciar ainda mais os cafés após ter tido a oportunidade de aprender mais sobre enquanto colhia com as minhas próprias mãos os grãos e depois ver todo o processo da lavoura até o armazém, entender mais sobre a seleção e qualificação dos grãos, e finalizar a visita apreciando um café torrado e moído na hora tornou a visita na Fazenda Recanto uma experiência única. O café para mim agora é um ritual especial do dia.” – Simone Ferreira, arquiteta, recém chegada ao universo de cafés especiais e assinante Coffee & Joy

Quer aprofundar mais e conhecer melhor o processo completo da cadeia do café? Neste post você encontra uma explicação completa do processo do café do pé até a xícara! Leia mais.

O Universo Sem Volta dos Cafés Especiais – Uma Tradição Que Virou Paixão

Publicado em Tags , , , Deixe um comentário em O Universo Sem Volta dos Cafés Especiais – Uma Tradição Que Virou Paixão

Eu tive o privilégio de nascer em uma família de cafeicultores. Tradição que já vem de seis gerações da família Reis. Lembro do meu pai chegando da roça de tardezinha, trazendo as garrafas com o leite que foi “tirado” naquele mesmo dia.

Eu e meus três irmãos tomávamos cerca de seis litros de leite da roça, com chocolate, por dia. Ainda pequenos, amávamos a tal da mamadeira. Acontece que, meu pai, como bom cafeicultor e entusiasta do seu trabalho, vira e mexe “trocava” o chocolate por café na nossa mamadeira, para começarmos a gostar da bebida.

Dito e feito. Somos quatro irmãos que não passam um dia sequer sem tomar um café. Sempre tomamos o café da roça, devido ao “engano” do meu pai que colocava café “sem querer” na mamadeira.

Quando eu e meus irmãos saímos da pequena cidade de Três Pontas (no interior de Minas Gerais) para definir nossos destinos, nunca faltou na mala a “comidinha” de casa e o pó de café da roça. Tomar café em casa, coado com o pó da Fazenda Recanto, trazia uma enorme alegria e satisfação ao iniciar o dia com uma bebida surpreendente. Mais do que isso, ela fazia (e ainda faz) toda a diferença na hora de estudar e criar, despertando e aguçando a minha criatividade.

Preparando café na Fazenda Recanto - Café disponível aqui
Preparando café na Fazenda Recanto – Café disponível aqui

Acontece que tomar o café da roça já era um hábito meu. Não percebia o que isso poderia representar para outras pessoas. A certeza de que a qualidade desse café também poderia mudar a vida de outras pessoas ficou clara quando alguns amigos experimentaram e se apaixonaram, já no primeiro gole.

Eu, o Sérgio (que também é de Três Pontas) e o Marcos (grande amigo nosso), quando percebemos que cafés de qualidade impulsionava a alegria e satisfação das pessoas, nós resolvemos facilitar a obtenção da matéria prima causadora de todos esses sentimentos. Em outras palavras, nos juntamos para tornar possível para qualquer pessoa também desfrutar das experiências incríveis que são proporcionadas por cafés de qualidade.

Nós que tomamos café todo dia, criamos este hábito, que, somado às nossas lembranças, define a nossa história. Somos preocupados com o que consumimos e as diversas opções de produtos, em conjunto com a necessidade de agilizar a nossa vida moderna, acaba nos afastando do que realmente importa.

Fazenda Recanto
Produtor Francisco na lavoura de café da Fazenda Recanto – Café disponível aqui

Nós já falamos aqui o que é um café especial e o que ele representa para nós neste post.

Ter uma vida de qualidade, alimentação saudável e de qualidade demanda atenção ao produto que consumimos.

O trabalho do produtor, o maior responsável pelo café, é fundamental. Saber a origem dos produtos que consumimos nos aproxima de sua história e também valoriza o trabalho árduo realizado para se atingir a maior qualidade possível.

É por esse motivo que mantemos uma relação próxima com todas as fazendas que produzem os cafés que oferecemos. Assim, criamos um laço de amizade com os produtores, acompanhamos a safra e escolhemos os melhores lotes. Por este motivo, em 2019 o mais novo sócio João veio integrar a nossa equipe. Ele que é engenheiro agrônomo, seleciona os cafés e acompanha diretamente no campo, o ano inteiro, os produtores parceiros para ajudar a produzir mais qualidade ainda. Aproximamos o consumidor com o produtor, expondo toda a história por trás de cada café incrível.

Débora, Sr. Donizetti Araújo (Fazenda Seixal) e Sérgio
Débora, Sr. Donizeti Araújo (Fazenda Seixal) e Sérgio na Fazenda Seixal – café disponível aqui

A torra fresca e bem trabalhada deixa o grão no ponto para ser consumido. Mais do que isso, a moagem realizada na granulometria específica para o método de preparo que será utilizado faz a diferença na xícara. Por isso, fazemos questão de dar a opção aos nossos clientes de escolher a moagem específica para receber seu café.

As notas de sabores e aromas dos grãos são identificáveis naturalmente, pois são características de sua origem, sem nenhuma adição artificial, perceptíveis sutilmente, como as notas do vinho. A doçura já vem da lavoura, plantada no pé! Vale experimentar sem adoçar.

Consumir cafés especiais aumenta os horizontes do produtor. A preferência do consumidor já está nos números: a expansão da demanda por cafés mais bem cuidados desde o cultivo, passando pela colheita e finalizando com a preparação da bebida é crescente, de acordo com a pesquisa feita anualmente pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic).

Em razão da maior exigência dos consumidores brasileiros pela qualidade, os cafés excelentes produzidos no Brasil, que eram enviados para o exterior, passaram a ser consumidos internamente também.

A tradição do café do meu pai e da minha família é hoje prazer nas casas do mundo inteiro. Uma frutinha que traz milhões de possibilidades sensoriais e está abarrotada de histórias. Herança da minha família e que dita o meu futuro.

Café especial
Preparando café na Fazenda Seixal – Disponível aqui

Sim, o nosso trabalho de levar cafés de qualidade para todos é árduo e o caminho é longo. Mas é gratificante e prazeroso. O retorno dos nossos clientes, que estão descobrindo o prazer de degustar cafés que antes eram valorizados apenas no exterior e criando seu próprio ritual a partir desses grãos, nos motiva ainda mais para continuar levando este legado em forma de bebida para todo mundo.

Levamos cafés diferentes e incríveis que carregam, além de sabores e aromas para exercitar a memória gustativa, o gosto e o cheiro de onde foram cultivados.

Tomar café especial é mais que apenas degustar uma bebida. Ele aproxima as pessoas, traz sensações e lembranças, além de contar histórias espetaculares.

Portanto, acredite quando digo que é um universo sem volta….

Cafés especiais
Venha para este universo de sensações. Cuidado, é um caminho sem volta!