Receita Rápida de Café Cremoso com Chocolate

Publicado em Tags , ,

Tem dias que a única coisa que queremos é um café bem gostoso e diferente, igual a gente vê nos filmes, para dar aquele conforto em forma de bebida. Por isso, essa receita é para quem quer juntar isso com a praticidade – um café cremoso com chocolate, que fica pronto em poucos minutos.

Vamos à Receita? O vídeo completo está aqui, mas se preferir, continue lendo para ver o post:

 

Para fazer esta receita super cremosa, usamos uma ganache de chocolate caseira que é muito fácil de fazer e dá para usar em várias receitas de café ou até sobremesa. Mas é opcional, você pode substituir por calda de chocolate pronta ou até de caramelo.

Ingredientes da Ganache de Chocolate

– 100g (1 barra) de chocolate da sua preferência – ao leite ou meio amargo

– 1/2 caixinha de creme de leite

Como preparar a Ganache de Chocolate

Coloque o chocolate em um copo e leve ao microondas (ou banho maria) para derreter.

Adicione o creme de leite aos poucos e misture até atingir a consistência desejada. O melhor ponto é quando ele está brilhante e caindo da colher com facilidade.

Dica: tome cuidado para não usar copo molhado ou deixar cair água, pois pode engrossar e perder o brilho.

Prontinho! (viu como é fácil?)

Ingredientes do Café Cremoso com Chocolate

– 100ml de café coffee&joy feito na hora

– 100ml de leite gelado (integral ou vegetal específico para café)

– Ganache de chocolate (ou calda) a gosto

Como Preparar o Café Cremoso com Chocolate

Prepare o café coffee&joy em casa, como de costume. Para ressaltar mais o sabor do café especial, a dica é fazer o café mais intenso. Nós usamos a cafeteira italiana para deixar o café mais “potente”, mas aqui tem dicas de como fazer café especial intenso em casa.

Coloque o leite gelado dentro de um pote com tampa e chacoalhe ele até dobrar de tamanho e fazer bastante espuma. Aqui tem outras dicas de como fazer um leite bem espumado em casa.

Em um copo ou caneca, adicione a ganache de chocolate em toda a parede de dentro do copo. Em seguida, adicione o gelo, o leite cremoso e o café.

Sirva em seguida e enjoy!

Diferença entre Café Tradicional e Café Especial. Você já fez a sua escolha?

Publicado em Tags , , , , , , 1 comentário em Diferença entre Café Tradicional e Café Especial. Você já fez a sua escolha?

O café tem uma importância fundamental na economia do Brasil e está presente em praticamente todas as casas. Nosso país é o segundo maior consumidor da bebida no mundo e, em 2016, foram produzidas mais de 50 milhões de sacas no país.

Desse montante, quase 70% é exportado e o restante fica para consumo interno.

Mas você sabia que do percentual que fica para o consumo interno, apenas 9% são de cafés especiais e os outros 91% são de cafés tradicionais?

O que isso quer dizer?

Que a maior parte dos cafés de qualidade estão sendo consumidos nos outros países enquanto nós, em grande parte, tendemos a ficar com um café de qualidade inferior.

Amostras reais de café tradicional (esquerda) e café especial (direita)
Amostras reais de café tradicional (esquerda) e café especial (direita)

De acordo com a BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais), o consumo de cafés especiais no Brasil cresceu de 10 a 15% em 2017. Por isso, é importante saber o que é o café tradicional e o que é o café especial, assim você não terá dúvidas na hora de adquirir o seu café.

Veja abaixo a diferença entre os cafés especiais e os cafés que estamos acostumados a beber no Brasil e entenda a importância de saber a origem e a qualidade do que consumimos.

>> Conteúdos gratuitos sobre café – acesse aqui para cadastrar para receber no seu e-mail conteúdos como este, receitas exclusivas com café e outras novidades! <<

O Café Tradicional

Amostra de grão cru de café tradicional
Grãos crus de café tradicional

Segundo a ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café), café tradicional “é o café do dia a dia com qualidade recomendável e custo acessível. Certificado pela ABIC.”

Geralmente, esses cafés combinam os grãos da espécie arábica (rica em sabor e óleos aromáticos) e conilon (tem um trato mais rude e são considerados de qualidade sensorial inferior). Essa mistura diminui a complexidade e acidez do produto. Ainda, o custo do café tradicional é reduzido, pois historicamente no mercado, o café conilon é menos valorizado do que o café arábica. Um dos motivos, é a baixa complexidade sensorial desta espécie com relação à arábica.

Além disso, o café tradicional possui sabor intenso e amargo. Normalmente, são disponibilizados no mercado em embalagens tipo almofada ou fechadas no sistema de vácuo.

É aquele café preto, com uma torra muito acentuada, comumente chamado de café forte do Brasil e que já vem moído, bem fino. Ele é produzido em grande escala e, devido a matéria prima utilizada, ele acaba tendo uma qualidade inferior à do café especial.

Diferença entre um café regular e um café especial C&J - conheça os nossos cafés
Diferença de torra entre um café regular e um café especial

Alguns possuem selos de comprovação, por exemplo, o selo de pureza da própria ABIC, que foi criado no final dos anos 80 e garante que a amostra seja composta apenas por grãos de café. Em outras palavras, possui comprovação de que um determinado café (podendo ser ele tradicional), não possui misturas de outros alimentos (milho, soja, etc.), mas apenas o que vem da lavoura cafeeira: o próprio grão de café (perfeito e imperfeito) e uma baixa porcentagem de impurezas (galhos da árvore do café, cascas do grão, etc.).

Grãos defeituosos, verdes (que não chegaram no ponto certo de maturação) ou pretos, irão interferir e prejudicar no sabor e aroma do café.

Resumindo, o que chamamos de café tradicional é aquele grão excessivamente torrado com moagem muito fina, café preto e amargo. Podendo ser composto por grãos defeituosos e possíveis impurezas da lavoura cafeeira. Está disponível no supermercado, normalmente é formado por um blend de café arábica e robusta (conilon), o que prejudica muito na complexidade do sabor da bebida final.

>> Acesse aqui para receber de graça conteúdos como este no seu e-mail. <<

O Café Especial

Grãos crus de cafés especiais
Grãos crus de cafés especiais

Na definição da ABIC, “são cafés de alta qualidade que cumprem uma série de requisitos para serem classificados como tal.”

São grãos de café perfeitos, torrados com muita ciência para expressar todo potencial de qualidade sensorial (flavor) do grão. Todo esse trabalho é realizado por profissionais treinados. Ainda, a moagem faz toda a diferença na hora do preparo, por isso eles são moídos adequadamente de acordo com padrões bem estabelecidos. Além destas características, os cafés especiais incluem cafés certificados como “conscientes”, por exemplo, o café orgânico e o fair trade. Os cafés de origem que, além dos atributos físicos, como aroma e sabor, também incorporam preocupações de ordem ambiental e social. Além de tudo isso, “cafés especiais”  são produtos finíssimos, de qualidade muito acima da média, valorizados de acordo com a sua escassez, qualidade do grãos e atributos sensoriais. É um produto diferenciado, quase livre de defeitos.

Este tipo de café é classificado como be­bida mole e/ou estrita­mente mole, que atinja no mínimo 80 pontos na classificação da SCAA (Associação Americana de Cafés Especiais). Veja mais sobre esta classificação neste post.

SCAA - Specialty Coffee Association of America o que é café especial
SCAA – Specialty Coffee Association of America

Este sim é um café de verdade. Grãos puros, sem misturas e 100% arábica. O resultado disso tudo para quem degusta um café especial é complexidade de sensações, com sabores e aromas distintos, proporcionando uma experiência única ao ser consumido.

>> Se você está procurando consumir um café de qualidade, sem enganação, misturas e com torra fresca, acesse aqui e descubra. <<

Café especial recebe atenção especial desde o plantio (variedade, tipo de solo, altitude, temperatura, clima) até a etapa da torra. A seleção de grãos é rigorosa e o ponto da torra é mais preciso. São realizados testes de perfis de torra, para construir uma curva de torra que evidencie todas características boas e naturalmente identificáveis dos grãos, para que a própria origem dele nos remeta a notas frutadas, achocolatadas e até florais, com acidez agradável de frutas cítricas ou vermelhas, ou até mesmo uma acidez málica (maçã). Veja aqui como um café especial é torrado e a importância desse processo na qualidade final da bebida na xícara.

Café especial C&J sendo resfriado logo após a torra
Café especial C&J sendo resfriado logo após a torra. Conheça nossos cafés aqui.

O café é uma fruta e, assim como qualquer outra fruta, o seu adequado e excelente tratamento trará benefícios na sua xícara.

A fruta bem cuidada poderá, ainda, trazer vários benefícios para a sua saúde. Veja aqui um post completo sobre os benefícios de se consumir cafés de qualidade.

Muito mais do que está na sua xícara, o café especial sempre estará conectado com a sua origem, com a história de quem o produziu e com a consciência sustentável da sua produção.

Mas não é só notas sensoriais, vai muito além da bebida de qualidade. Ele representa todo o esforço e trabalho de uma cadeia de produção, que começa na lavoura e termina com um excelente grão na sua casa. Tudo isso envolve diversos profissionais que estão preocupados em entregar um nível de qualidade altíssimo na sua xícara.

Em outras palavras, eles carregam os sabores e aromas de onde foram cultivados, vem abarrotados de histórias e de trabalho de pessoas de verdade, que são apaixonadas por café.

>> Consumir café especial é se preocupar com a sua saúde e saber de onde vem o alimento que está consumindo. Descubra aqui como ter cafés especiais entregues em casa, com frete grátis. <<

Para entender melhor, veja este breve resumo com as diferenças entre o café especial e o café tradicional:

cafe-especial-tradicional (2)

E o que você ganha consumindo cafés especiais?

O café especial, além de possuir muito mais sabor, aroma e ter benefícios para saúde, ajuda na cadeia sustentável de produção de cafés.

Quando você consome grãos de qualidade, você não estará adquirindo somente um café, você estará incentivando a história e evolução do produtor responsável pelos grãos que você escolher para consumir. Mais do que isso, você está garantindo a persistência dele em sempre produzir cafés de excelente qualidade.

Por isso, o compromisso da coffee&joy com você é  sempre procurar produtores responsáveis e sérios, para podermos fornecer cafés especiais com características sensoriais variadas, todos com o mais alto nível de qualidade para fazer do seu café não só um simples hábito diário, mas um momento de puro prazer.

>> Experimente cafés da qualidade especial, direto do produtor, com torra fresca e enviados no conforto da sua casa! <<

Então, qual café você vai tomar hoje?

Conheça nossos cafés incríveis!
Conheça nossos cafés incríveis!

BIBLIOGRAFIA:

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Consumo de café especial»Consumo de café especial aumentou em até 15% em 2017, diz Associação Brasileira de Cafés Especiais. Consultado em 19 de junho de 2018.

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Estatísticas». Estatísticas. Consultado em 15 de novembro de 2017.

ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) «Glossário do café». Glossário do café. Consultado em 15 de novembro de 2017.

BSCA (Brazil Specialty Coffee Association) «Cafés Especiais». O que são cafés especiais. Consultado em 15 de novembro de 2017.

CHALFOUN, Sára Maria. Glossário de termos técnicos utilizados na cafeicultura. Lavras, EPAMIG–CTSM, 2008.

Revista Cafeicultura «O que é um café especial?». O que é um café especial? Consultado em 15 de novembro de 2017.

RHINEHART, Ric. «What is Specialty Coffee?». Publicado pela Specialty Coffee Association of America (SCAA), 2009. 15 de novembro de 2017.

SCAA Protocols | Cupping Specialty Coffee «SCAA Protocols | Cupping Specialty Coffee ». Publicado pela Specialty Coffee Association of America (SCAA), 2015. Consultado em 15 de novembro de 2017.

SCAA (Specialty Coffee Association of America) «What is specialty coffee». What is specialty coffee. Consultado em 15 de novembro de 2017.

Qual a Diferença do Café Feito na Aeropress  e na Prensa Francesa?

Publicado em Tags , , ,

Para preparar um café gostoso em casa não precisamos de muito, apenas de um café de qualidade e uma boa água já são o bastante. Porém, a forma como o café é preparado pode mudar completamente o resultado da bebida na xícara. Fizemos o mesmo café de duas formas diferentes: na Aeropress e na Prensa Francesa para comparar e ver o resultado final em cada um deles.  

Para conferir a diferença do café feito na Aeropress e na Prensa Francesa, assista ao vídeo ou continue lendo:

 

Sobre a Aeropress

A Aeropress é uma forma prática de preparar café em qualquer lugar. Com um pouco de água quente e café já é possível fazer uma bebida maravilhosa. Unindo pressão e o filtro de papel, a Aeropress consegue extrair um café com a potência do espresso e a delicadeza de um café coado.

Ela foi desenvolvida por Alan Adler em 2004. Alder começou seus estudos pelos processos de preparo de café já existentes. Seu objetivo era criar uma forma inovadora e que pudesse unir praticidade e qualidade na hora de extrair café. A aeropress foi apresentada ao mundo em 2005 em uma feira da indústria de café. 

Composta por três partes principais: corpo, êmbolo e a tampa. Além de porta filtros, colher dosadora, mexedor e funil. Ela é bem parecida com uma seringa e pode até ser confundida com um brinquedo. É feita com material bastante resistente e como não tem peças delicadas ou de vidro, é bastante duradoura.

A Aeropress é uma das formas de fazer café mais práticas e versáteis já inventadas. Mudanças de moagem e temperatura são bem vindas durante o preparo. Por conta disso, acabou se transformando em um brinquedo na mão de quem gosta de fazer experiências com café. 

Uma das suas versatilidades está na forma de preparar, que pode ser padrão e invertida. Na primeira, o café fica próximo a um café preparado no filtro de papel, já que segue o mesmo processo de gravidade, com a adição de pressão da seringa no final.

Já no preparo dela na posição invertida, o café pode ficar mais encorpado, similar a uma prensa francesa, já que ele fica em infusão antes de passar pelo filtro.

A Aeropress é tão querida pelos baristas e coffee lovers pelo mundo, que tem até campeonato mundial de preparo de café nela. Veja aqui mais detalhes e  como preparar café utilizando uma Aeropress.

Sobre a Prensa Francesa

A Prensa Francesa é uma das formas mais clássicas de preparar café. Sua primeira versão foi patenteada na França, em 1852. No entanto, o modelo que é mais conhecido hoje foi desenvolvido em 1929 pelos italianos Attilio Calimano e Guilio Moneta.

A Prensa Francesa pode ser preparada com muita praticidade e elegância. Além de deixar o ato de fazer café ainda mais charmoso. Existem prensas de diversos tamanhos e materiais, o que possibilita escolher a que melhor atende seu estilo de vida.

Basicamente, a Prensa Francesa prepara o café por meio da infusão. O café é moído grosseiramente e fica em contato com a água quente por até 4 minutos. Após esse tempo, utilizamos um êmbolo para separar a bebida do café moído.

A Batalha dos Métodos

Para comparar o café feito na Aeropress com a Prensa Francesa, escolhemos o café especial Pink Lemonade. Ele é um café que possui um sabor marcante com notas que lembram limonada, morango e maracujá. Tem uma delicada acidez málica e cítrica, corpo médio, com uma finalização média doce e um leve frutado.

O Pink Lemonade foi escolhido por possuir um perfil sensorial de fácil identificação, principalmente a percepção das notas de limão, o que vai ajudar bastante na hora de comparar o resultado das duas preparações. O corpo médio e a acidez foram detalhes que levamos em consideração no momento de escolha. Buscando destacar o corpo da bebida na prensa francesa e na aeropress.

Café não é tudo igual. Cafés especiais possuem um sabor e qualidade bem diferentes dos cafés tradicionais. Neles é possível encontrar notas sensoriais naturais diversas e sabores que agradam até os paladares mais exigentes. Se ainda não provou cafés especiais, que tal começar por aqui.

Para cada preparo utilizamos 20g de café. Para deixar mais interessante a comparação, escolhemos preparar a Aeropress no modo invertido, já que o café fica em infusão, em um processo parecido com o que acontece com a Prensa Francesa, onde a água tem um contato maior com o café. 

Por isso, usamos a moagem grossa nos dois métodos. Se a moagem for muito fina,o resultado seria uma bebida super extraída, com a presença de um amargor desagrável na xícara, por causa do tempo de contato do pó com a água.

Se possível, realize a moagem do café minutos antes do preparo. Caso não tenha um moedor em casa, não se preocupe, peça um café fresco e moído antes de ser enviado para você, com a moagem certinha Acesse aqui e saiba como

Para preparar o café, fervemos 30oml de água de boa qualidade para cada um dos métodos. Usamos cerca de 100ml em cada equipamento para escaldar,  garantindo a retirada de impurezas e o sabor de papel do filtro da Aeropress e para deixar tudo na temperatura ideal para receber o café. 

Descartamos a água do escalde, adicionamos o pó de café e 200 ml de água de uma vez em cada um e deixamos por 3:30 minutos. Usamos um mexedor para misturar tudo e garantir que está tudo hidratado. Passado o tempo, descemos  primeiro o êmbolo da prensa francesa, para que o pózinho do café decantasse para garantir uma xícara mais limpa.

Invertemos a Aeropress em uma jarra e apertamos a seringa para extrair todo o café.

Se quiser ver mais detalhes sobre os preparos, o passo a passo e mais informações sobre os equipamentos, acesse aqui.

O resultado na xícara foi um fenômeno!

Veja só o resultado:

AEROPRESS: Mesmo utilizando a infusão a bebida ficou mais ácida comparada a prensa francesa e menos turva. A xícara fica bastante limpa, por conta do filtro de papel que é utilizado. Além disso, o diferencial da aeropress é a adição da pressão no preparo do café, o que traz mais acidez e, consequentemente, mais complexidade ao café. O café ficou bem doce e com uma acidez agradável na boca, lembrando muito limão. Até parece que esprememos um pouquinho de limão no meio do café. Por este motivo, cafés especiais mais frutados são os mais indicados para fazer aqui, pois realça mais características como a acidez e doçura.

PRENSA FRANCESA: o que mais se destacou foi o corpo do café, ou seja, o peso da bebida na boca. O café ficou bem oleoso e suculento. Na xícara, o café ficou mais turvo e com uma textura diferenciada na boca por conta dos pozinhos do café que passam pelo filtro. Mas isso já era esperado, já que a Prensa Francesa usa um filtro de metal mais grosso que o de papel, o que permite a passagem dos óleos e de partículas mais finas de café. Em relação a acidez, se comparada a Aeropress ela não é evidenciada. Cafés com perfis sensoriais mais achocolatados e doces, que lembram caramelo, castanhas e especiarias são os mais indicados para o preparo da prensa francesa, já que o que mais se destaca aqui é o corpo.

Se quiser aprofundar mais no assunto, veja aqui o que são as notas sensoriais dos cafés e como identificá-las no café.

Indo um pouco além, comparamos a diferença da Prensa Francesa e da Aeropress, levando em conta outros pontos, como limpeza, praticidade, dificuldade e versatilidade.

Pontuamos cada um deles numa escala de 1 a 5, veja só:

Vejas as outras edições da Batalha de Métodos:

– Qual a Diferença do Café Feito no Filtro de Pano e no Filtro de Papel?

– Qual a Diferença do Café Feito no Coador com Filtro de Papel e no Coador com Filtro de Inox?

– Qual a Diferença do Café Feito na Prensa Francesa e no Filtro de Papel?


Conclusão

Depois de analisar cada um dos atributos da batalha dos métodos, a minha opinião pessoal é que a Aeropress é mais indicada  para quem gosta de se aventurar no mundo do cafés e testar diferentes tipos, dos achocolatados e doces aos mais ácidos e exóticos. Ela é muito fácil de limpar e tem como alterar as receitas para ter resultados diferentes na xícara. E pode ser uma ótima companheira para pessoas que gostam de viajar e não abrem mão do cafezinho diário.

A Prensa Francesa é uma boa escolha para quem gosta de um café mais encorpado, por conta dos óleos. Seu preparo é bem prático e fácil, mas a limpeza requer mais atenção e precisa sempre de limpar na torneira. Como pode ser encontrada em vários tamanhos, é ideal tanto para quem faz muito café quanto para quem faz doses menores. 

Gostamos de ambas! O que importa no final é o café ficar saboroso para quem vai tomar.

Teve alguma dúvida sobre as diferenças entre o café feito na Aeropress e na Prensa Francesa? Me chama no chat online.

Chocolate Quente com Café – Super Fácil, Feito no Microondas e sem Amido de Milho

Publicado em Tags , ,

É só fazer um friozinho que a gente quer logo tomar um chocolate quente bem gostoso. E se der para juntar o chocolate com o café, fica ainda melhor. Criamos uma receita fácil, prática e gostosa de chocolate quente com café para o inverno. Continue lendo para ver a receita completa ou assista ao vídeo.

 

Chocolate quente é uma das bebidas mais afetivas que existe. Traz conforto e as propriedades do chocolate trazem uma sensação de bem estar para o nosso corpo. Quem nunca comeu um chocolate para se sentir melhor?

Agora junta tudo isso com os benefícios do café? Que traz energia e muita disposição? É quase uma poção mágica. Perfeita para tomar nos dias frios para trabalhar ou até para os fins de semana, para maratonar a série favorita.

Sabe o que é o mais legal dessa receita? Ela não usa amido de milho para engrossar o leite e é tão prática que dá para fazer até no microondas. Fica pronta em menos de 5 minutos. 

Como é uma receita muito simples, o segredo está na escolha dos ingredientes. Use um chocolate de qualidade e que você goste. Pode usar ao leite, 50%, 70% ou 85% cacau, desde que seja um bom chocolate.

O leite pode ser integral ou vegetal específico para café – quanto mais gorduroso, mais cremoso vai ficar. Para ele ficar muito cremoso, usamos as dicas de espumar leite em casa, que estão neste post aqui.

Aqui, usamos o café Pampa da assinatura da coffee&joy. Como ele tem notas de chocolate ao leite e especiarias, harmoniza perfeitamente com o chocolate e o leite. Preparamos ele no filtro de pano, porque é bem prático para fazer uma dose única para usar no drink, mas dá para fazer o café usando o que tem em casa. A dica é fazer um café mais intenso para que o gosto dele apareça no chocolate e crie a harmonização perfeita.

>> Para medir as proporções do leite e café, usamos medidores de vidro, que estão disponíveis aqui << 

Vamos à receita?

Rendimento: 1 porção

Tempo de preparo: 3 minutos 

Ingredientes:

1 dose (50ml) de café coffee&joy já pronto

1/2 barra de chocolate (cerca de 40g – 1 colher de sopa bem cheia)

1 colher de sopa de chocolate em pó (cerca de 10g)

1 copo (120ml) de leite integral ou vegetal gelado

Opcionais: Chantilly ou marshmallow a gosto e raspas de chocolate para decorar

Modo de preparo:

Prepare o café como de costume. O ideal é fazer o café um pouco mais intenso. Para essa receita, usamos 1 colher de sopa de pó de café para 50 ml de água. Usamos o coador de pano para fazer apenas uma dose, mas pode usar o que tiver em casa. Aqui tem dicas de como fazer em casa.

Leve 120ml de leite direto da geladeira para o fogão ou microondas. No fogo, esquente até que comece a borbulhar e no microondas leve por 50 segundos em potência máxima e vá observando. É muito importante não deixar o leite ferver, pois ele perde textura e cremosidade quando ferve.

Bata o leite quente em um espumador, com o mixer ou então coloque ele em uma garrafinha com tampa e balance bem, até ele dobrar de tamanho. Aqui tem um post completo ensinando a fazer leite cremoso em casa.

Pique o chocolate em pedacinhos bem pequenos. Use uma faca e vá cortando em lasquinhas, aproveite também os pózinhos que vão saindo quando corta a barra.

Em um copo, adicione o chocolate picado e o chocolate em pó. Coloque um pouco do leite cremoso e misture até ficar bem homogêneo. Adicione o café e, novamente, misture para incorporar.

Por fim, adicione o restante do leite bem rápido para misturar tudo.

Se quiser, pode adicionar chantilly ou marshmallow, mas é opcional. Também pode enfeitar com chocolate ralado ou em pó em cima.

Misture tudo antes de tomar e aproveite!

Enjoy!!!

Qual a Diferença do Café Feito no Filtro de Pano e no Filtro de Papel?

Publicado em Tags

O filtro de pano e o de papel são as formas mais populares de fazer café no Brasil. Eles são práticos, baratos, fáceis de usar e ambos preparam um bom café. Testamos um mesmo café especial nos dois filtros e, neste post, falamos sobre qual a diferença do café feito no filtro de papel e no filtro de pano, tanto no sabor quanto na praticidade de limpeza e usabilidade. Continue lendo para saber ou assista ao vídeo.

 

Sobre o Filtro de Pano

O filtro de pano é uma das formas mais populares de preparar café no Brasil, é simples de usar e faz um café muito saboroso.

A estrutura dos coadores com filtro de pano é bem simples, conta com um tecido de algodão pouco poroso e, normalmente, vem com um suporte circular de metal, madeira e outros materiais. Também é encontrado nos formatos dos filtros de papel convencionais e até com uma haste circular para ser apoiado nos suportes de filtros (coadores) comuns de plástico.

E é isso que o torna tão especial: a sua simplicidade mas que é capaz de unir várias qualidades desejáveis em um só café.

Um detalhe importante sobre o filtro de pano é a limpeza e o armazenamento. Por ser feito de tecido e usado diariamente, o filtro de pano retém muitos resíduos que afetam a qualidade e sabor do café com o tempo. O ideal é trocar o filtro de pano por um novo pelo menos uma vez no mês.

Antes de cada uso, é importante sempre escaldar o tecido, jogando água fervida nele para limpar. Após o uso, o coador deve ser higienizado com água quente, pode usar sabão ou detergente neutro. Ele deve ser guardado em um pote ou vasilha com água e tampado na geladeira para evitar a proliferação de bactérias.

Apesar do coador de pano não durar tanto tempo como o filtro de metal, é uma boa alternativa para quem quer reduzir a utilização de filtros de papel.

Sobre o Filtro de Papel

O porta-filtros que conhecemos hoje foi inventado em 1908 por uma dona de casa alemã, a Dona Melitta Bentz. Ela estava em busca de um café gostoso que não ficasse com resíduos do pó na xícara e foi a precursora do coador mais famoso do planeta, que até hoje leva o seu nome.

Aqui no Brasil, o coador e o filtro de papel chegaram por volta do ano de 1968. Hoje, ele é uma das formas de preparar café mais utilizada pelos brasileiros, junto com o tradicional coador de pano. 

Com o passar dos anos, o suporte de filtro foi evoluindo e hoje se encontra versões com diversas cores e materiais, como porcelana e vidro. Também é possível encontrar o coador com curvaturas e ângulos diferentes, como por exemplo o cônico ou o de base achatada, que trazem resultados diferentes na xícara para todos os gostos. 

Uma coisa é certa: a grande diversidade de coadores de papel anima qualquer barista e entusiasta dos cafés especiais.

A Batalha dos Métodos

Para fazer uma comparação entre as diferenças do café feito no filtro de pano e no filtro de papel, usamos o mesmo café especial: o Havaí. Ele é um café marcante que possui notas naturais de cereja, framboesa, lima e abacaxi. A acidez é complexa málica e cítrica. O corpo do café Havaí é denso e possui uma finalização que é ao mesmo tempo doce e ácida. Uma explosão de sabores.

Escolhemos este café pois ele tem acidez complexa e notas frutadas bem marcantes e, por isso, é excelente para fazer a comparação nos dois tipos de filtro. Os cafés especiais tem melhor qualidade, notas sensoriais naturais e são bem mais agradáveis que os tradicionais. Por isso, para fazer este teste, faz muito mais sentido usar este tipo de café. Se você ainda não conhece cafés especiais, sugiro começar por aqui.

Para o preparo em cada filtro, usamos 15g do café Havaí na mesma moagem: a média. Se a moagem for muito grossa, a água irá passar muito rápido sobre o café ele ficará sub-extraído. Por outro lado, se a moagem for muito fina, o café terá uma super-extração, porque tem uma maior superfície de contato com o pó.

Quer ver outras batalhas de métodos?

– 1a edição: Diferença do Café Feito na Prensa Francesa e no Filtro de Papel.

– 2a edição: Diferença do Café Feito no Coador com Filtro de Papel e no Coador com Filtro de Inox

Fervemos 150ml de água para usar em cada filtro. Mas antes, escaldamos os dois para tirar quaisquer resquícios de impurezas, o gosto de papel e do pano dos filtros e também para já deixar tudo na mesma temperatura.

Fizemos os cafés da mesma forma conforme as indicações de preparo. Colocamos um pouco da água para fazer a pré infusão, aguardamos 30 segundos e colocamos o restante em movimentos circulares e constantes. O tempo total de cada preparo foi de 3 minutos. Aqui tem os passo a passo completos de como fazer cafés nestes e em outros métodos.

O resultado final na xícara foi surpreendente!

Veja só o resultado:

FILTRO DE PANO : o que mais se destacou aqui foi o corpo, ou seja, o peso do líquido dentro da boca. Ficou bem mais oleoso e suculento se comparado com o café do filtro de papel. Na xícara, o líquido fica levemente mais turvo, alguns poucos pozinhos de café passam para a xícara e o café também fica com mais óleos. Isso era esperado, já que o filtro de pano tem menos barreira para passar o café que o de papel, o que permite a passagem dos óleos e um pouco dos resíduos de pó de café. Com relação a acidez, não fica tão evidente como a do filtro de papel e, por isso, fica mais doce. A minha conclusão é de utilizar aqui cafés com perfis sensoriais mais voltados para frutas brancas, chocolates, doces, caramelo, castanhas e especiarias, já que é a doçura e o corpo que mais vão realçar no filtro de pano. 

FILTRO DE PAPEL : o café ficou perceptivelmente mais limpo na xícara, sem nenhum resíduo de pó. A bebida teve um equilíbrio entre os sabores do café, a acidez ficou mais evidente, comparado com o café no filtro de pano. O peso do café na boca (corpo), também fica mais sutil e mais leve. Senti a doçura do café facilmente. A minha conclusão é que, para o filtro de papel, usar cafés mais frutados e com mais acidez é melhor, já que são estes os atributos que mais são identificados neste método.

Se quiser aprofundar no assunto e entender melhor o que são os atributos sensoriais do café que falamos aqui, como acidez, corpo e sabor, tem um ebook aqui completo explicando o que é cada um deles. 

Agora, indo um pouco mais adiante, comparamos a diferença dos filtros de pano e de papel, considerando outros pontos, como limpeza, praticidade, dificuldade e versatilidade.

Pontuamos cada um deles numa escala de 1 a 5, veja só:

Conclusão

Depois de fazer os testes e analisar todos os atributos sensoriais, de limpeza e praticidade, a minha opinião pessoal é que o filtro de papel deve ser usado por quem gosta de cafés mais frutados com uma xícara mais limpa. Ele é muito fácil de limpar e tem como alterar as receitas para ter resultados diferentes na xícara.

O filtro de pano traz uma bebida com mais corpo e óleos, então para quem gosta de café mais intenso, é uma boa opção. Além disso, não utilizar filtros de papel é um excelente método para quem se preocupa com a sustentabilidade e o futuro do planeta. E também há economia, por dispensar qualquer acessório extra. Mas é necessário trocar o filtro de pano pelo menos uma vez por mês e guardar ele na geladeira.

E você, o que acha de cada um deles? Me conte nos comentários qual o seu preferido e se tem mais alguma dúvida sobre eles. Deixe também sugestões de batalhas que você gostaria de ver por aqui.

O mais importante de tudo, é que o café tem que ficar gostoso para quem vai tomar e escolher o tipo de café e a forma que vai preparar é muito importante para chegar na fórmula do café que cabe no seu dia a dia.

Como Fazer Cappuccino Com Paçoca de Amendoim – Receita de Festa Junina que Combina com o Ano Todo

Publicado em Tags , , ,

A paçoca de amendoim é um doce tradicional do Brasil, que tem uma história muito interessante. Além de ser acessível, gostosa e fácil de encontrar, ela combina (e muito) com outro queridinho brasileiro: o café. Continue lendo ou assista ao vídeo para saber como fazer um café com leite cremoso com paçoca.

 

Origem da Paçoca e Seus Benefícios

Antes de fazer a receita, vou te contar uma curiosidade muito interessante sobre um dos doces mais brasileiros que existem. Muita gente não sabe, mas a paçoca é um prato típico indígena e seu nome se origina de um termo tupi que significa esmigalhar, se referindo ao processo de preparo antigo em que esmagavam-se os ingredientes com as mãos ou com um pilão. 

A paçoca, na verdade, foi originada a partir de uma receita salgada indígena, feita à base de farinha e carne. Essa receita salgada é tão prática e nutritiva, que acompanhou também os tropeiros nas suas longas jornadas. 

Atualmente, o formato mais comum é a paçoca doce, feita com amendoim. Um doce que acompanha os brasileiros tanto nas festas juninas como nos outros meses do ano. 

O interessante é que o amendoim, que obviamente é o ingrediente principal da paçoca, tem vários benefícios para a saúde. Assim como castanhas e nozes, de acordo com o Ministério da Saúde, o amendoim é rico em fibras, vitaminas, minerais e gorduras saudáveis, possuindo compostos antioxidantes e, por causa disso, um potencial preventivo de doenças.

Nesta receita, juntamos a paçoca com o café, que também possui vários benefícios para a saúde. Aqui tem um post completo com alguns destes benefícios. O mais importante, para que essa receita fique muito gostosa, é escolher ingredientes de qualidade e gostosos. 

Aqui você encontra cafés de qualidade e origem, entregues na sua casa de forma fácil e descomplicada.

Agora, vamos à receita?

Tempo de preparo: 5 minutos

Porções: 1

Ingredientes

– 50ml de café coffee&joy já pronto

– 100ml de leite integral ou vegetal

– 20g de paçoca (1 barra pequena)

– 1 colher de café de doce de leite (opcional)

Como Preparar

Prepare o café em casa como de costume. Use, de preferência, um café especial, de qualidade e mais intenso. Usamos café de torra média escura, feito no filtro de papel que você encontra aqui. Para deixar ele mais intenso, usamos 2 colheres de sopa bem cheias para um copo americano de água. Dessa forma, o gosto do café fica mais presente e na intensidade perfeita para a receita. Aqui tem dicas de como preparar café em casa no filtro de papel, mas também em outras formas de preparo como a prensa francesa, cafeteira italiana e muito mais.

Esfarele a paçoca com os dedos dentro da caneca, de forma que ela fique como uma farofa.

Esquente o leite, mas sem deixar ferver. Depois bata ele usando o espumador ou um mini mixer, até ficar bem cremoso. Aqui tem um vídeo completo ensinando a espumar e deixar o leite cremoso de várias formas.

Adicione um pouco de leite em cima da paçoca e misture até ficar homogêneo, adicione o restante do leite e, por fim, o café. 

Misture tudo antes de beber e aproveite.

Bônus: Se quiser, esfarele um pouco de paçoca no final, por cima do leite para decorar. Também pode colocar um pouco de doce de leite na borda, para dar um toque especial (não é essencial, já fica gostosa só com os ingredientes acima).

Enjoy!

Receita de Café Cremoso com Gosto de Churros

Publicado em Tags , ,

Você não precisa de ir na festa junina para matar a vontade de churros. O doce mais famoso das festas de inverno no Brasil, tem uma versão diferente e super fácil de fazer que virou bebida. Continue lendo ou assista ao vídeo no final para saber como fazer um café cremoso com sabor de churros.

Os churros são doces que tiveram sua origem na Europa, mais precisamente, na Espanha e Portugal. Eles são muito comuns nos países latinos desde o México até a Argentina. Cada região tem a sua própria variação do doce e dos recheios.

Aqui no Brasil, os mais comuns são os churros fritos no óleo vegetal. Eles são feitos a base de água e farinha de trigo, com uma camada gostosa de açúcar com canela e finalizados com um delicioso recheio de chocolate ou doce de leite.

Para unir a paixão pelos churros com a do café, criamos uma receita de café cremoso, com gostinho de churros. É bem fácil de fazer e a harmonização é incrivelmente deliciosa. 

Vamos à receita?

>> o café especial, os utensílios e caneca utilizados para fazer esta receita estão disponíveis aqui<<

Ingredientes:

– 100ml de leite integral ou vegetal

– 50ml de café coffee&joy já pronto

– 1 colher de doce de leite

– 1 colher de café de canela em pó

– Chantilly (opcional)

Modo de preparo:

Prepare o café em casa como de costume. Use, de preferência, um café especial, de qualidade e mais intenso. Usamos café de torra média escura, feito no filtro de papel que você encontra aqui. Para deixar ele mais intenso, usamos 4 colheres de sopa bem cheias para um copo americano de água. Dessa forma, o gosto do café fica mais presente e na intensidade perfeita para a receita. Aqui tem dicas de como preparar café em casa no filtro de papel, mas também em outras formas de preparo como a prensa francesa, cafeteira italiana e muito mais.

Esquente o leite, mas sem deixar ferver. Depois bata ele usando o espumador ou um mini mixer, até ficar bem cremoso. Aqui tem um vídeo completo ensinando a espumar e deixar o leite cremoso de várias formas.

Em um copo ou caneca, espalhe o doce de leite usando as costas da colher por todo corpo interno do copo. Polvilhe uma parte da canela sobre o doce de leite, para ficar dessa forma aqui:

Em seguida, adicione o leite cremoso e o café. 

Se quiser, adicione chantilly por cima.

Finalize polvilhando um pouco da canela por cima. Misture tudo e aproveite!

Veja o vídeo completo de como fazer em casa:

 

Qual a Diferença entre Cappuccino, Caffè Latte e Flat White?

Publicado em Tags , , ,

O café com leite é um clássico mundial e uma das harmonizações mais perfeitas que existem. Por conta da sua popularidade, baristas e amantes de café criaram suas próprias versões da mistura ao longo dos anos, como o cappuccino, latte e o flat white. E mesmo que sejam muito parecidas, essas variações de café com leite que são encontradas nos cardápios das cafeterias, ainda geram dúvidas sobre quais são as diferenças de cada uma delas.

Fizemos um vídeo completo explicando as diferenças, para você encontrar a que mais gosta e te ajudar na hora de fazer estes drinks em casa ou de pedir na sua cafeteria favorita. Assista ao vídeo ou continue lendo para ver o post completo.

 

Vaporização do leite

Antes de entrar nos detalhes sobre as diferenças entre os tipos de drinks, é importante entender como é feita a vaporização do leite em cafeterias.

No processo de vaporização em máquinas de espresso, se adiciona calor, ar e água ao leite gelado. Este processo forma reações que mudam as características do leite e ele ganha volume, temperatura, elasticidade, doçura e gera uma espuma bem cremosa.

Aqui tem um post completo explicando como funciona essas reações e como replicar a receita do leite vaporizado de cafeteria em casa. 

Dependendo da forma que se vaporiza o leite ele vai gerar mais ou menos espuma, vai ficar mais cremoso ou mais fino, como na foto a seguir:

Da esquerda para a direita: espuma de leite, leite vaporizado com 1/3 de espuma, leite vaporizado com pouca espuma

Tanto o cappuccino, como o latte e o flat white são drinks que, essencialmente, levam apenas leite vaporizado (cremoso e com espuma) e café espresso. O que vai mudar em cada um deles, na verdade, é a proporção de café espresso e leite, bem como a quantidade de espuma do leite que será utilizada na receita.

A seguir, veja como cada um deles é feito. Lembrando que essas são as receitas mais usadas, mas podem variar de cafeteria em cafeteria. Portanto, antes de fazer o seu pedido, entenda com o barista como ele faz a receita.

Da esquerda para a direita: cappuccino, flat white e caffè latte.


O que é Cappuccino?

O Cappuccino surgiu na Itália e possui apenas dois ingredientes em sua receita original: uma dose de espresso e leite vaporizado. 

A versão mais clássica, e geralmente encontrada nas cafeterias de todo o mundo, consiste em 1/3 de café espresso, 1/3 de leite vaporizado e 1/3 de espuma de leite vaporizado. Porém, é comum achar variações com acréscimo de chocolate, canela ou cacau em pó e até chantilly.

Normalmente, um cappuccino tem cerca de 150ml. Mas pode variar nas cafeterias, dependendo da xícara que vai ser usada, já que ele é feito para completar ela até a boca.

O Cappuccino é uma ótima opção para quem gosta de café com leite bem cremoso, com uma presença sutil do gosto do café. Como só usa um terço de café, o adocicado do leite é o que mais prevalece aqui.

Em cafeterias, o cappuccino é feito por baristas e que utilizam máquinas profissionais de espresso, mas é possível replicar a receita em casa, usando equipamentos simples e com muita facilidade. Veja o post  Como Fazer Cappuccino de Cafeteria em Casa.

CAPPUCCINO

Origem: Itália
Vaporização: A textura e temperatura do leite são de fundamental importância na sua preparação. O leite deve ter uma espuma com textura aveludada, brilhante e cremosa. Além disso, o espresso deve ser extraído perfeitamente.

Sensação tátil na boca: Muito cremoso, harmonizando perfeitamente com o café espresso, prevalecendo o sabor do leite.

Proporção: 1 parte de café espresso (média de 30ml) + 1 parte de leite vaporizado + 1 parte de camada espessa de espuma de leite.


O que é Flat White?

Flat White é uma bebida feita a partir da mistura de café espresso e leite vaporizado, com uma camada bem fina de espuma por cima. É um drink que tem uma possível origem na Austrália ou Nova Zelândia. O seu nome está relacionado à fina camada de espuma de leite vaporizado encontrada no topo da bebida.

Normalmente, ele é servido em xícaras de 150 a 180ml, composto por 2 partes de espresso, 2 partes de leite e só uma pequena parte de espuma, formando uma camada bem fina em cima da xícara. 

Por isso, o Flat White é uma ótima opção para quem gosta de sentir o sabor do café mais presente na bebida, já que possui uma proporção maior de espresso e destaca mais o seu sabor do que no Cappuccino.

O Flat White é um drink que vem se destacando para quem gosta muito de cafés especiais e frequenta as cafeterias super especializadas que oferecem cafés de qualidade e origem (também chamadas de cafeterias da terceira onda do café).

FLAT WHITE

Origem: Austrália ou Nova Zelândia

Vaporização: tempo de desenvolvimento menor do que o latte. Textura mais líquida e pouco cremosa em comparação com o leite usado no preparo do cappuccino.

Sensação tátil na boca: Levemente cremoso mas não como o cappuccino ou latte. Prevalece o sabor do café.
Montagem: 2 partes de café espresso (média de 60ml) + 2 partes de leite vaporizado + 1 camada fina de espuma de leite.


O que é Caffè Latte?

O Caffè Latte (ou simplesmente Latte) é um drink cafeinado encontrado com facilidade em cafeterias de todo o mundo, inclusive na versão gelada e com outros acompanhamentos como o caramelo e chocolate, e outras que substituem o café espresso, como é o caso do matcha latte feito com chá verde em pó e leite vaporizado. 

É muito popular nos Estados Unidos e nas cafeterias de segunda onda, como a Starbucks. Normalmente é servido em copos ou xícaras finas e altas, de 200 a 300 ml. 

É composto por 1 parte de café espresso, 2 partes de leite vaporizado e 1 parte (ou menos) de espuma de leite. Em questão de cremosidade e sabor, ele realça mais o leite do que o café e é tem a textura mais fina que o cappuccino. É indicado para quem gosta de um drink mais leve, com sabor sutil do café e textura mais fina.

Os europeus misturam café e leite desde o século 17 e acredita-se que o termo “caffè latte” foi usado pela primeira pelo escritor William Dean Howell, em “Italian Journeys”, publicado em 1867. A ele é dado o crédito de criar ou pelo menos de trazer ao público o termo que hoje é comumente chamado simplesmente de latte.

Uma das variações mais comuns do Latte é o gelado com xarope de açúcar. Aqui tem uma receita de como fazer o Latte gelado em casa, usando leite condensado. 

CAFFÈ LATTE

Origem: Itália

Vaporização: A textura e temperatura do leite são de fundamental importância na sua preparação. O leite deve ter uma espuma com textura mais “fina”, brilhante e levemente cremosa, ideal para o processo de latte art. Além disso, o espresso deve ser extraído perfeitamente para que ocorra uma boa harmonização.

Sensação tátil na boca: Cremoso, mas não tanto como o Cappuccino. Aqui prevalece o sabor do leite.

Montagem: 1 parte de café espresso (média de 30ml) + 2 a 3 partes de leite vaporizado + 1 camada de espuma de leite vaporizado + adicionais como calda de chocolate, caramelo, xarope de açúcar etc (opcional) 

>> Quer cafés de qualidade para fazer drinks na sua casa ou cafeteria? Acesse aqui.<<

Como Escolher entre Cappuccino, Flat White ou Caffè Latte?

A primeira coisa antes de escolher entre o Cappuccino, Flat White e Caffè Latte, é importante saber que cada cafeteria e lugar tem uma tradição e releitura para cada um dos drinks. Então, antes de pedir em uma cafeteria, pergunte ao barista como ele faz cada um. 

Se for fazer em casa, use a receita e proporção que mais te agrada. Você pode até inventar um novo drink para você.

Depois de conhecer cada um dos tipos de drinks mais famosos da cafeteria, qual o seu preferido?

Ficou com alguma dúvida? Me mande uma mensagem.

Como Fazer Leite Cremoso com Espuma em Casa – O Leite Vaporizado de Cafeteria para usar nas Receitas com Café

Publicado em Tags , , ,

Quem é fã de cappuccino de cafeteria já sabe qual a sensação de tomar aquele leite cremoso, adocicado e quentinho na medida certa. E se eu te falar que é possível fazer esse leite vaporizado de cafeteria, com espuma e cremoso em casa? E o melhor: é muito mais fácil do que você imagina! 

Aqui tem um vídeo explicando como transformar o leite comum em um leite muito cremoso e com espuma. Se preferir, continue lendo para ver a explicação completa e receitas muito fáceis para deixar o seu café em casa mais cremoso.

 

Leite Aerado, vaporizado ou espumado?

Quando procurar por leite para fazer cappuccino italiano por aí, você encontrará algumas expressões diferentes para falar dele.

Como o próprio nome já diz, leite aerado é aquele em que será agitado para que as moléculas do leite se expandam com a ajuda do ar para ficar cremoso e com espuma. Para fazer leite aerado, é possível usar equipamentos específicos como aerador, mixer, espumador ou até mesmo utensílios que todo mundo tem em casa, como o liquidificador ou um potinho com tampa que fique bem vedado.

O leite vaporizado, por sua vez, é aquele que vai ganhar cremosidade e espuma por conta da ação do vapor (que é calor, água e ar). Para fazer o leite vaporizado, é necessário usar equipamento específico, como o bico vaporizador que tem nas máquinas de espresso profissionais e caseiras. 

Independentemente da técnica, o resultado que se busca na hora de fazer leite para colocar junto com o café é o mesmo: um leite cremoso, mais adocicado e com uma espuma bem gostosa.

 

Porque o leite fica mais doce e mais cremoso?

O leite, quando sofre ações como agitação, aumento de temperatura e adição de água, altera a sua característica. Na foto abaixo colocamos a mesma quantidade do mesmo tipo de leite em recipientes idênticos. O da foto da esquerda é o leite gelado que saiu da caixinha e foi colocado direto no copo. O da foto da direita foi aquecido no microondas e batido usando um espumador de leite. Veja a diferença de textura e volume.

100 ml de leite gelado (esquerda) e 100ml de leite espumado (direita)

O motivo porque isso acontece é puramente químico. Os principais componentes do leite são: água, proteína, gordura, açúcar (carboidratos) e também vitaminas, minerais e sais.

A proteína presente no leite vai agir formando espuma quando vaporizado ou aerado. Isso ocorre porque ao adicionar ar e calor, as cadeias quebram expelindo água que envolve as bolhas de ar, criando a espuma do leite.

O papel da gordura no leite está ligada à sensação tátil e ao sabor. Alimentos gordurosos em geral têm um sabor mais gostoso e a sensação dele na boca é mais prazerosa. A gordura também tem a característica de roubar o sabor de alguns alimentos. Por isso, um leite mais gorduroso vai roubar um pouquinho mais o sabor do café. Se usar um leite desnatado com café, por exemplo, o sabor do café vai ficar mais evidente.

A lactose é classificada como um açúcar, apesar de não ser tão doce como o açúcar normal. Como a doçura está ligada à lactose, os leites com maior teor serão mais doces.

A temperatura mais quente do leite também vai dar uma percepção mais doce. Isso porque o paladar humano tem mais sensibilidade ao doce quando o alimento está mais quente.

Todavia, não se deve  ferver o leite, porque se ele queimar sua consistência será afetada (não a doçura), deixando-o mais ralo e menos cremoso. A temperatura ideal para aproveitar o leite cremoso e quentinho é entre 65 e 68 graus celsius. Se for ferver na panela, retire quando ele começar a soltar as primeiras bolhas de ar. No microondas, é bom aquecer aos poucos até que ele fique morno quase quente, sem ferver, é claro.

 

Qual é o melhor leite? Posso usar bebida vegetal?

Com base nos fundamentos químicos do leite, os que darão um melhor resultado tecnicamente são aqueles com maior teor de lactose e gordura. Por este motivo, é muito comum que as cafeterias especializadas usem os leites integrais, pois eles têm um melhor resultado na hora de vaporizar no que se refere à doçura, cremosidade e espuma.

As bebidas vegetais (soja, castanha, aveia, coco, etc), apesar de não possuírem lactose e terem menor teor de gordura, podem ser usadas para fazer um leite cremoso. Hoje já existem no mercado leites específicos para café e que já são amplamente usados em cafeteria e que possuem um resultado bom para ser usado para fazer leite cremoso.

Clique aqui e veja como fazer uma receita de leite vegetal cremoso, paçoca doce de leite e café. 

Assim como as bebidas vegetais, os leites desnatados também podem ser utilizados para fazer leite espumado e cremoso. Todavia, para estas duas opções, a consistência do leite será mais fina do que se usar leite integral, por exemplo. O sabor do café também ficará mais evidente, por conta do teor de gordura.

Leite Vegetal (esquerda) Leite Integral (direita)

O mais importante, no entanto, é que o sabor do leite tem que agradar quem vai tomar. Por isso, a escolha do melhor leite vai depender de quem está tomando em casa.

Por aqui, fazemos vários drinks com bebida vegetal e amamos! Mas também usamos leite integral ou desnatado para os mais fits. Veja aqui as nossas receitas exclusivas.

 

6 Formas de Fazer Leite Cremoso em Casa

Para fazer o leite ficar bem cremoso é importante usar o leite gelado, já que a proteína do leite se estende mais quando está gelado para frio. Ou seja, quanto mais gelado, mais ele cresce. Por isso, independente da forma que for espumar o leite, coloque o leite gelado direto para aquecer.

No fogão, adicione o leite em fogo baixo e fique observando e retire do fogo assim que ele começar a expandir e sair as primeiras bolhas. Para quem usa termômetro culinário, coloque na leiteira em fogo baixo e retire quando alcançar uma temperatura entre 65-68°C.

Se for aquecer no microondas, coloque aos poucos. Para uma dose única de 100 ml, por exemplo, normalmente 30 segundos na potência máxima, já é o suficiente para aquecer sem ferver.

  1. Espumador de Leite da Pressca

Despeje o leite quente até a primeira marca do copo. Se preferir, coloque o leite gelado no microondas por cerca de 30 segundos na potência máxima, até que fique na temperatura certa. Encaixe a tampa com o êmbolo e o movimente para cima e para baixo até dobrar de tamanho e ficar com uma textura cremosa.

 

  1. Prensa Francesa

Coloque o leite quente no copo da prensa francesa, não ultrapassando o limite da metade do copo de vidro dela, para não derramar. Movimente o êmbolo para cima e para baixo, fazendo movimentos rápidos para agitar o leite. Faça quantos movimentos forem necessários para o leite ficar bem cremoso e espumado.

 

  1. Mixer

Coloque o leite em um copo, não passando da metade, para não derramar. Ligue o mixer e bata até que o leite quase dobre de tamanho.

 

  1. Liquidificador

Coloque o leite quente e coloque para bater na opção mais rápida, até que ele dobre de tamanho.

 

  1. Pote ou garrafa com tampa

Coloque o leite quente e feche bem o pote ou garrafa. Chacoalhe muito, sacudindo o potinho rapidamente para cima e para baixo, batendo o leite, até que dobre de tamanho e fique com uma textura cremosa.

 

  1. Máquina de espresso

Claro que dá também para usar o vaporizador das máquinas de espresso. Aqui temos um vídeo completo  ensinando a vaporizar o leite e fazer o cappuccino em máquinas de espresso caseiro.

Depois de deixar o leite bem cremoso, agora é a hora de usar a criatividade. Adicione o leite direto na xícara com o café. Pode adicionar barras de chocolate ou calda de caramelo, por exemplo, e fazer o seu drink preferido.

Se quiser um drink gelado, é só adicionar bastante gelo depois de espumar o leite conforme as nossas orientações acima. 

No nosso blog tem várias receitas de café com leite cremoso para fazer em casa. Acesse este link e veja todas as possibilidades.

Receita de Vitamina de Banana com Café – para o Café da Manhã, Café da Tarde ou Pré Treino

Publicado em Tags , , , ,

O café pode ser uma refeição completa por si só. Tem combinações geladas, gostosas e fáceis. Uma delas, é a vitamina de banana com café. É uma receita simples que fica muito nutritiva e gostosa.

A vitamina de banana com café é tão completa que pode até substituir uma refeição, como o café da manhã ou da tarde. Também, por ter ingredientes proteicos e estimulantes, é uma ótima opção de refeição antes da atividade física.

Veja o vídeo completo aqui ou continue lendo o post.

 

O bom dessa receita é que para ficar bem refrescante e prática, usamos cubos de gelo de café. Sabe aquele café que às vezes sobra na garrafa? É só despejar ele direto na forminha de gelo e levar ao congelador por 3 horas ou até ele ficar consistente. Veja aqui outra receita simples com gelo de café.

O mais importante é usar um café de qualidade. O café especial é o mais indicado para essa receita, já que tem sabores e aromas mais adocicados e é bem diferente dos cafés tradicionais. Apesar de muita gente chamar esse tipo de café de “chafé”, a verdade é que a qualidade e o sabor do café especial são muito melhores do que os dos cafés extra-fortes. Para saber mais sobre a diferença entre café forte e “chafé”, tem um post aqui.

Além do café, essa receita leva banana e o leite, que pode ser leite integral, desnatado ou vegetal de sua preferência. Para deixar a vitamina mais interessante ainda, não tenha medo de adicionar ingredientes para compor o sabor e a qualidade nutritiva dela. Ela vai bem com aveia, mel, melado, leite de coco e até pedaços de chocolate e chocolate em pó.

Agora, vamos à receita?

Ingredientes

– 1 xícara (100 ml) de café especial coffee&joy já pronto

– 2 xícaras (200ml) de leite (pode ser integral, desnatado ou vegetal)

– 1 banana 

– opcionais: adicione a gosto aveia, mel, melado, chocolate em pó, nibs de cacau, chocolate em barra

Como preparar

Faça o seu café especial, como de costume. Aqui tem várias dicas de como preparar café em casa e lembre-se de usar café de qualidade. (se preferir, pode usar o café que sobrou na garrafa). Coloque o café pronto em forminhas de gelo e leve ao congelador por 3 horas ou até que fique bem consistente.

Em um liquidificador, coloque o gelo de café e os demais ingredientes e bata por 30 segundos ou até que a vitamina fique homogênea.

Sirva no seu copo preferido. *Para dar um charme a mais, use um canudo sustentável e coloque um pouco de cacau em pó por cima!

Enjoy!