Guarapirata – Receita de Café, Rum, Guaraná e Laranja

Publicado em

Este drink super diferente e cheio de personalidade é perfeito para um final de tarde, para o happy hour ou simplesmente para quem gosta de café, guaraná e rum. Se você tem o gin tônica como drink favorito, por exemplo, é porque você ainda não conhece o Guarapirata. É um ótimo substituto para quem busca um drink de preparo simples e que fique pronto rápido. Continue lendo ou assista o vídeo para aprendê-lo.

Buscamos coisas que harmonizam com o café e que juntos fazem um drink super diferente e prático, bem brasileiro e cheio de personalidade. E, já que todos os ingredientes são extremamente característicos e saborosos, o resultado não poderia ser diferente: a bebida perfeita para o fim de tarde de uma sexta-feira (ou para qualquer outro dia que você quiser).

Nessa receita, a utilização do rum envelhecido é melhor e mais indicada que o rum branco, mas fica à sua escolha. Entretanto, para a escolha do café, é essencial que ele  seja um café de especialidade e, de preferência, de torra média. Isso porque o sabor dos alimentos e bebidas em temperatura ambiente ou frias é mais perceptível ao nosso paladar e, os cafés tradicionais, extra-fortes, geralmente encontrados em supermercados, possuem um forte amargor devido a quantidade de impurezas que são moídas junto à fruta e também pela torra excessiva, o que influencia – e muito – no resultado final da bebida, trazendo um sabor indesejado ao drink.

Receita do Guarapirata

Rendimento: 1 porção

Tempo de preparo: 5 minutos

Ingredientes

100ml de refrigerante de guaraná

60ml de rum

1 dose (50ml) de café especial intenso

1 fatia de laranja bahia

gelo

Modo de preparo

Para este drink escolhemos o café Coquetel, que possui notas de rum, frutas brancas e manga, e harmoniza bem com o guaraná e com a laranja. Utilizamos a cafeteira italiana porque é um dos métodos que mais ressalta a intensidade do café. Aqui você visualiza dicas de como utilizar a Cafeteira Italiana. Mas, se você não tem uma cafeteira italiana em casa, não se preocupe! Neste link você vê dicas de como preparar um café intenso em casa. 

A montagem do drink é bem simples: basta adicionar 3 cubos de gelo ao copo – ou a quantidade de sua preferência -, uma fatia de laranja bahia, o rum e, por último, o café. É importante que o café seja fresco, recém preparado.

Depois disso é só tirar uma foto, postar nas redes sociais e marcar a gente (@coffee_and_joy), para acumular cafeínas e trocar por produtos na loja.

Enjoy!

Como Fazer Cupping em Casa – A Prova de Xícara dos Cafés

Publicado em

O café passa por diversas etapas até chegar na xícara e uma delas é o cupping ou prova de xícara. Depois que ele sai da fazenda e está pronto para ser comercializado, o café deve ser classificado sensorialmente para avaliar a qualidade da bebida, dessa maneira é possível certificar a sua qualidade. Nos cafés especiais, essa classificação é feita usando o protocolo de avaliação da SCA (Associação de Cafés Especiais). É possível fazer o cupping em casa para ter uma ideia de como todo o processo funciona, é super legal!

Assista ao vídeo de como fazer cupping em casa ou continue lendo.

Premissas para o Cupping

A SCA é uma associação internacional que dá as diretrizes para classificar o café especial. Ela criou um protocolo de avaliação para que profissionais licenciados pudessem dar notas aos cafés, de forma a categorizá-los e certificar a sua qualidade.

Neste protocolo, a SCA estipula desde o ponto de torra, a moagem do café, a qualidade da água até o recipiente que deve ser usado. 

Para a classificação técnica, a torra do café deve ser completada de 8 a 12 minutos e deve ser feita 24h antes da prova. O café deve ter pelo menos 8h de descanso depois de torrado.

Deve-se usar no cupping um recipiente de vidro temperado ou cerâmica, que tenha 150ml a 225 ml de capacidade máxima e deve-se usar 8,25g de pó de café para 150ml de água.

A prova técnica é realizada utilizando 5 amostras (5 xícaras) de cada café específico. Elas são alinhadas formando um “M” e sempre comece a prova debaixo para cima, da esquerda para a direita.

(Como aqui estamos fazendo uma prova em casa, usamos 3 xícaras, que já são suficientes para provar o café).

Formulário de Avaliação Sensorial

O formulário da SCA possui os campos de cada atributo que será avaliado, quais sejam: fragrância e aroma, sabor, finalização, acidez, corpo, uniformidade, equilíbrio, xícara limpa, doçura e visão geral.

Em cada atributo devemos preencher com uma nota de 6 a 10 em cada um dos atributos avaliados de acordo com a escala de qualidade. 

O resultado da soma de todos os atributos é a nota final do café.

Como se trata de um protocolo para cafés especiais, usa-se apenas para cafés que suspeita-se ou tem certeza de que será da categoria especial.

Aqui tem o formulário que você pode baixar para usar para fazer o cupping em casa.

Com o formulário em mãos, é hora de avaliar.

Passo 1 – Avaliação da Fragrância e Aroma (“Fragrance/Aroma”)

A moagem do café deve ser feita imediatamente antes de provar (não pode passar mais de 15 minutos) e deve ser levemente mais grossa que a moagem para o filtro – ou seja, grossa como farinha para quibe.

Para garantir a segurança da amostra, deve-se limpar o moedor entre as moagens e, logo depois de moer, tem que colocar uma tampa para preservar o aroma.

Dentro de 15 minutos após as amostras terem sido moídas, a fragrância seca das amostras deve ser avaliada, cheirando ao pó seco. Na primeira coluna vertical do protocolo, tem uma escala “dry” para colocar a intensidade da fragrância (do pó seco). 

Logo embaixo no campo “notas” (“Notes”), já podemos preencher com as notas sensoriais que aquele café remeteu. 

ATENÇÃO: A identificação das notas não precisa necessariamente ser específica. Por exemplo, se o café lhe trouxe a lembrança de um doce, mas que você não consegue identificar qual, escreva simplesmente “doce” nas notas. 

Com o tempo e na medida em que a amostra é avaliada, refinamos as percepções até chegar na nota específica que aquele café remete. Para quem está começando a provar cafés, identificar se o café é frutado, doce, chocolate, castanhas ou exótico, já está excelente. 

Aqui já tem um post ensinando a sentir as notas sensoriais dos cafés. E você pode baixar a Roda de Sabores do Provador de Café em alta resolução aqui.

Após a avaliação da fragrância, é hora de hidratar o café. Não espere mais que meia hora depois que o café foi moído para iniciar este processo. A água utilizada deve ser limpa, sem cheiro e odor. E deverá ter por volta de 93 graus celsius quando colocada no café. 

Na hora de colocar a água, coloque até a borda da xícara, certificando que está molhando todo o pó e de uma só vez, sem fazer pausas.

Depois de hidratada, a amostra tem que ficar sem interrupções por 3 a 5 minutos. Tome cuidado para não bater na mesa, para deixar a crosta intacta.

Com 4 minutos após ter colocado a água, é hora de quebrar a crosta. Faça isso agitando três vezes suavemente, permitindo que a espuma escorra nas costas da colher enquanto cheira suavemente o aroma. Anote na coluna vertical da “quebra” (“break”) no protocolo.

A nota deverá ser dada de acordo com a intensidade e agradabilidade dele. Se foi muito agradável e complexo, a nota será mais alta. Se está fraco e pouco complexo, será mais baixa.

Com base no equilíbrio da avaliação da amostra seca e úmida, marque a coluna horizontal e dê a nota final do atributo de fragrância e aroma.

Antes de passar para o próximo atributo, é hora de limpar a xícara e prepará-la para provar. Com a ajuda de 2 colheres, limpe a superfície da xícara com cuidado, removendo as espumas e eventuais partes de café que ficam flutuando por cima. Tome cuidado para apenas passar a colher pela superfície e não misturar o pó que está decantado no fundo da xícara.

Descarte as espumas e lembre sempre de limpar as colheres com água quente entre uma amostra e outra, tanto na hora de limpar, quanto na hora de provar, entre uma xícara e outra.

Passo 2 – Sabor, Finalização (retrogosto), Acidez, Corpo e Equilíbrio

A avaliação desses atributos deverá começar quando a amostra esfriar até chegar a uma temperatura por volta de 71º C, que acontece em cerca de 8-10 minutos após a infusão do item anterior.

Usando preferencialmente uma colher de cupping, que é uma pequena concha, pegue uma dose de café suficiente para sentir o gosto. Aspire bem forte o líquido na boca de forma a cobrir a maior área possível, especialmente a língua e o palato superior.

Você pode engolir a amostra ou descartar, cuspindo em um copo grande ou recipiente. (Normalmente os provadores profissionais descartam as amostras, pois na rotina desses profissionais é muito comum avaliar várias amostras em um mesmo dia – pensa na quantidade de cafeína depois de avaliar 50 xícaras? risos)

Preencha a coluna do Sabor (“Flavor”) e, da mesma forma que no passo 1, anote nas “Notas” os sabores que sentir na amostra. 

Em seguida, preencha a Finalização (“Aftertaste”), de acordo com a sensação persistente do café na boca após a ingestão da bebida. Quanto mais longa e agradável, maior será a nota.

À medida que o café vai esfriando (entre 70º C a 60º C), é a hora de avaliar os outros 3 atributos.

A Acidez (“Acidity”) é avaliada de acordo com a intensidade dela. Use a coluna vertical para orientar a intensidade e, em seguida, após uma segunda prova, confirme a agradabilidade com a intensidade e marque na coluna horizontal. Caso perceba a presença de algum tipo de acidez diferente (como a málica ou fosfórica), anote no campo de notas. 

O Corpo (“Body”) é a sensação tátil de viscosidade, oleosidade ou densidade, percebida na cavidade bucal. Quanto mais pesado for, maior será a nota. Use a coluna vertical para orientar a intensidade e, em seguida, após uma segunda prova, confirme o peso do líquido e marque na coluna horizontal. 

O equilíbrio (“Balance”) é a avaliação da combinação do Sabor, Finalização, Acidez e Corpo, ou seja, de quão bem todos esses atributos se encaixam em uma combinação sinérgica. Em outras palavras, quanto maior os atributos estiverem em harmonia entre si, maior será a nota.

Se você quer saber mais especificamente sobre o que são esses atributos sensoriais (Acidez, corpo, etc), já fizemos um conteúdo específico sobre isso que você encontra aqui.

Passo 3 – Doçura, uniformidade e limpeza da xícara

À medida que as amostras vão se aproximando da temperatura ambiente (cerca de 38º C), é o momento de avaliar a Doçura (“Sweetness”), Uniformidade (“Uniformity”) e Xícara limpa (“Clean Cup”).

Para esses atributos, damos uma avaliação de 2 pontos para cada xícara, considerando que estamos avaliando 5 xícaras, com uma pontuação máxima de 10 pontos em cada atributo.

Na Doçura, é avaliada apenas a presença ou não dela. Aqui não medimos a intensidade da presença de doçura. Lembrando que se refere ao sabor doce agradável da bebida, que é muito sutil, sendo seu oposto o sabor amargo. 

A Uniformidade está relacionada à constância de todas as amostras, se alguma delas estiver diferente entre as outras, é penalizado em 2 pontos por xícara.

A avaliação da Xícara limpa está relacionada à transparência da bebida. A nota será máxima se não houver interferência de impressões negativas no sabor das amostras, desde o início da prova até o final.

Passo 4 – Pontuação Geral e Defeitos

A avaliação do café deve acabar quando a amostra atingir 21º C. 

A Pontuação Geral (“Overall”) é o conjunto de TODOS os atributos combinados. Ou seja, dos aromas da bebida e de seu grau de intensidade, do equilíbrio e da harmonia da bebida. Este é o único momento em que o provador poderá fazer uma avaliação pessoal e não técnica.

Os defeitos serão penalizados subtraindo 2 pontos por defeito leve e 4 por defeito grave de bebida.

Passo 5 – Pontuação Total

Depois de avaliar as amostras, todas as pontuações são somadas conforme descrito na seção “Pontuação” e a pontuação final é escrita na caixa da direita, subtraindo os defeitos, se houver.

Prontinho!

Parece complexo, mas para quem quer entender mais sobre cafés, é um exercício super gostoso. Além de conhecer mais sobre, é importante para o consumidor conseguir identificar melhor se realmente aquele café que foi adquirido como especial se encaixa nessa categoria.

Para fazer essa avaliação do vídeo, nós usamos o café Doce Tango, e a avaliação completa dele está aqui:

Lembrando: essas são dicas para replicar em casa, para auxiliar consumidores de café que gostariam de conhecer mais sobre os processos técnicos para avaliar nossa bebida favorita. Caso esteja procurando fazer a avaliação sensorial técnica de um café para fins comerciais ou acadêmicos, recomendo procurar diretamente a BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais) para mais informações.

Tuttocrema Bialetti – Review Completo da Cremeira que Faz Leite Espumado em Segundos

Publicado em Tags , , ,

Quem é fã de um bom cappuccino de cafeteira com leite vaporizado, temos uma ótima notícia: testamos a Cremeira Tuttocrema da Bialetti em dois drinks – um gelado e um quente – que promete entregar um leite espumado e muito cremoso, igual os de cafeteria. Mas será que a cremeira da Bialleti é tão diferenciada assim e realmente entrega tudo que ela promete? Continue lendo ou assista o vídeo para descobrir.

Características da Tuttocrema Bialetti 

A Cremeira foi enviada numa caixinha super bem embalada, acompanhada de um card sobre como utilizá-la, instruções de limpeza e o manual de instruções gerais. Ela cumpre o papel de leiteira e de espumadora, uma vez que o recipiente pode ir ao fogo e a tampa conta com um êmbolo com dois filtros – semelhante ao da Prensa Francesa -, que vai airar o leite e dar a cremosidade e espuma esperados.

Ela é toda de alumínio e o seu interior é revestido com material antiaderente. Por isso, inclusive, é que a utilização de itens de metal no interior não é recomendada, justamente para não desgastar a anti aderência do produto.

Coffeeandjoy cremeira bialetti 330ml

Teste 1 –  Espumar o leite gelado para fazer o drink  iced latte com mel

Ingredientes

3 cubos de gelo

1 colher de sopa de mel

100 ml de leite integral ou vegetal 

100ml de café especial

Para este drink gelado, utilizamos o café Amor de Carnaval, da assinatura coffee&joy, feito numa proporção mais intensa e preparado na Prensa Francesa. É válido lembrar que o uso da Prensa Francesa não é obrigatório. Se você não possui uma Prensa Francesa, veja aqui dicas de como preparar um café intenso em casa

O Amor de Carnaval é um café com uma torra média que possui notas naturais de flor de laranjeira, framboesa, morango e chocolate, o que harmoniza bem com drinks com leite.

Como preparar

Seguindo as instruções contidas na embalagem da Cremeira, utilizamos cerca de 330ml de leite integral gelado ⅓ da capacidade dela). Depois disso, bastou tampar a Cremeira e utilizar o êmbolo, com movimentos repetidos para cima e para baixo até atingir a consistência desejada. Fizemos durante cerca de 30 segundos. 

E voilá! Deu super certo. Cremeira aprovadíssima com leite gelado! O leite ficou muuuuito cremoso e praticamente duplicou de tamanho.

Para montar o drink, adicionamos numa xícara todos os ingredientes, deixando o leite por último. E, para dar aquele charme, utilizamos o stencil para fazer uma latte art de um grão de café com cacau em pó! 

Teste 2 – Espumar o leite morno para fazer  um drink quente: café + chocolate e leite cremoso

Ingredientes

1 tablete de chocolate meio amargo

100ml de leite integral ou vegetal

100ml de café especial

Neste drink utilizamos também o Amor de Carnaval. A utilização de um café de qualidade é de extrema importância, uma vez que os cafés tradicionais, extra-fortes, geralmente encontrados em supermercados, trazem amargor à bebida devido a quantidade de impurezas que são moídas junto ao fruto e à torra carbonizada que é feita neles para disfarçar essas impurezas. Veja aqui as diferenças de cafés de supermercado e cafés especiais.

Amostra de café comum cru (esquerda) e amostra de café especial cru (direita)

Como preparar

Da mesma forma que o drink gelado, utilizamos ⅓ da capacidade da Cremeira, conforme as indicações. O manual de instruções da Tuttocrema Bialetti informa que dá pra usar no fogão elétrico e no fogão a gás, sendo que, no segundo caso, o ideal é não deixar a chama maior do que a Cremeira para não danificar. No caso dos fogões elétricos a recomendação é a utilização em fogo médio. Mas atenção: é necessário retirar o leite do fogo assim que ele esquentar e antes que ele comece a ferver, porque senão ele não vai espumar.

Como o recipiente foi levado ao fogo, é importante que você se atente e tome cuidado para não se queimar durante o processo de espumação do leite. Basta segurar na alça da Cremeira ou então na própria tampa – de preferência, com um pano -, e mexer repetidamente de baixo para cima.

O leite quente espumou tão bem quanto o leite gelado. Fica uma espuma muito gostosa e bem cremosa. 

Para completar o drink, em uma xícara, basta adicionar o café recém preparado e o chocolate e mexer durante poucos minutos, para que o chocolate derreta. Depois disso, é só adicionar cerca de 100ml do leite já espumado e misturar. Nesse drink também utilizamos o stencil com canela em pó para decorar o drink e adicionar um charme a mais para a bebida. A prova de fogo desta espuma é justamente a canela na decoração; ela não “afundou” no leite – isso comprova que a espuma é bem densa e encorpada.

É claro que a Cremeira não é a única forma de espumar leite que existe, aqui neste post você encontra outras formas que já testamos de fazer leite espumado. Mas pra quem gosta de ter um item para cada atividade, talvez ela seja indispensável. O leite fica bem mais espumado que quando feito na Prensa Francesa, por exemplo. É a Bialetti cumprindo tudo o que promete!

E para finalizar, temos uma surpresa pra te contar! Vamos sortear uma Tuttocrema da Bialetti para os nossos assinantes no dia 06 de maio de 2022! Se você faz parte do clube, corre lá no instagram para participar do sorteio! E, se você ainda não é, dá tempo de participar. Veja como assinar, receber nossos cafés fresquinhos em casa e de quebra concorrer a Cremeira.

Café para o Dia das Mães e uma Receita Simples para Surpreender Nesta Data

Publicado em Tags , ,

Não é segredo para ninguém que no dias das mães, o ato de presentear com afeto vale muito mais para ela do que o presente. Estar com a família e ter momentos compartilhados é muito mais importante do que qualquer outra coisa.

Foi pensando nisso, que compartilhamos uma dica para deixar o dia das mães muito mais especial: um café da manhã muito gostoso e fácil de fazer, combinado com um presente que toda mãe que ama café vai se apaixonar.

Assista ao vídeo ou continue lendo para ver como fazer um dia das mães diferente.

Quando eu era pequena, eu sempre fazia café na cama para dar para os meus pais nas datas especiais. Fazia com o que tinha na cozinha mesmo e já até usei uma assadeira para levar o café na cama! rsrs

E era sempre com o que tinha em casa mesmo. Juntava um pouquinho de cada coisa e ia acordar meus pais com uma surpresa. Hoje, isso me lembra como era bom juntar eu e meus irmãos na cama dos meus pais, fazendo aquela bagunça em família logo de manhã. 

Foi por isso que resolvi compartilhar aqui com vocês o que eu fazia, para servir de inspiração para você fazer com a sua mãe ou esposa, para mudar a cara do presente do dia das mães.

Usamos os acessórios do kit de dia das mães da foto abaixo e também uma tábua de madeira, veja como é fácil:

>> Acesse aqui para conhecer o kit completo para presentear no dia das mães <<

Para montar a tábua

Use uma tábua ou bandeja como suporte. Coloque em uma xícara ou pote, 1 copo de iogurte natural 🥛 e 3 colheres de sopa de granola. A dica é não misturar a granola com o iogurte, para não amolecer.

Coloque um prato pequeno ou pires na tábua e adicione pães 🥖, biscoito de polvilho ou torradas 🍞 . Adicione na beiradinha do prato, a manteiga 🧈, requeijão ou até geleia.

Adicione frutas direto na tábua ou em potes pequenos. Usei morango 🍓, que dá certo para comer puro ou até adicionar no iogurte com granola.

Em uma xícara com pires a adicione pedaços de bolo ou bolachas 🍪 no pires, para acompanhar o café.

Cappuccino Cremoso

Por fim, faça o drink de café ☕. Para fazer um cappuccino cremoso, quebre 1 barra de chocolate 🍫  no fundo da caneca e adicione o café quente por cima, e misture até que derreta o chocolate.

Usamos o café especial Carrossel, feito na Prensa Francesa. Faça o café mais intenso, para que o sabor ressalte no drink. Aqui tem dicas de como fazer um café intenso em casa.

Esquente leite integral ou vegetal e espume ele. Pode ser espumado usando uma prensa francesa, pote, mixer ou espumador. Veja aqui dicas de como fazer leite espumado em casa.

Adicione o leite por cima do café com chocolate, para formar uma espuma bem cremosa.

Para dar um charme ao drink, decore com cacau em pó, usando estêncil de café.

Agora é só surpreender a sua mãe no dia dela, com esse belíssimo café na cama. 

 

12 Benefícios do Café Para a Saúde

Publicado em Tags , , ,

O café é muito mais que “só” a cafeína. “O café é rico em antioxidantes, minerais, vitaminas e flavonoides, mesma substância encontrada no vinho”, afirma Cercato, endocrinologista do HC da USP. A gente já sabe que a bebida estimula a concentração, a disposição, a atenção, dá bem estar, bom humor, fomenta a criatividade e afasta o sono… mas e os benefícios da cafeína para a saúde física e psicológica, você já sabe quais são? 

1. café é aliado no tratamento de TDAH 

Uma publicação feita recentemente pelo jornal O Globo, sobre uma pesquisa realizada pela revista científica Nutrients, afirma que a cafeína pode ser uma aliada no tratamento de sintomas do transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). “[…] a pesquisa, conduzida por pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas da Catalunha (UOC), concluiu que um consumo da substância indicado por especialistas pode aumentar a capacidade de atenção e retenção de informações em adolescentes e adultos que sofrem do distúrbio psiquiátrico.”

2. café alivia o estresse

Através de um estudo publicado pela PNAS (publicação oficial da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos), realizado por estudantes brasileiros e americanos, pôde-se concluir que a cafeína alivia o estresse. O teste, realizado em ratos, foi constituído em submeter os animais a atividades estressantes e dividi-los em dois grupos ao longo de 3 semanas: os que bebiam água normal e os que bebiam água com cafeína. Após o período de teste, os grupos foram avaliados e o primeiro grupo apresentou níveis consideráveis ​​de estresse que eram perceptíveis no cérebro. 

3. café diminui a chance de desenvolver depressão

Um outro estudo, realizado por pesquisadores da Harvard School of Public Health (Escola de Saúde Pública de Harvard), mostrou que as mulheres que bebem quatro ou mais xícaras de café ao longo do dia possuem 20% a menos de chances de desenvolver depressão. Os pesquisadores estudaram 50.739 mulheres que participaram do Nurses’ Health Study. As mulheres, cuja idade média era de 63 anos, estavam livres de depressão quando o estudo começou em 1996. Os cientistas acompanharam prospectivamente o uso de bebidas cafeinadas e não cafeinadas e chocolate (que contém pequenas quantidades de cafeína) pelas mulheres no ano anterior até junho de 2006.

Nesta publicação, também da Harvard School of Public Health, foi descoberto que o café pode reduzir o risco de suicídio em adultos em 50%. Isso porque o café estimula o sistema nervoso central e atua como antidepressivo, o que aumenta a produção de hormônios como serotonina, dopamina e norepinefrina, levando a uma maior sensação de bem-estar. É importante ressaltar, porém, que adultos que já estão em fase de depressão não devem abusar do café para “curar” a doença: só um psiquiatra pode fornecer o melhor tratamento possível.

4. café te deixa mais inteligente

A cafeína também estimula as habilidades de pensamento e memória, bem como o estado de alerta. Isso ocorre porque suas substâncias estimulam o sistema nervoso central. É uma boa dica para quem precisa pegar a estrada ao amanhecer, por exemplo. E, de acordo com um estudo da British Medical Journal, esse fato foi comprovado numericamente. Motoristas que bebem café são 63% menos propensos a se envolver em um acidente.

5. café melhora o desempenho físico

Segundo uma publicação feita pela Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, o café melhora a performance física. “A cafeína traz benefícios ao organismo, diminui a sensação de sonolência e fadiga, aumenta o processamento mental, contribui para a irrigação coronária, melhora a concentração e memória, otimiza o tempo de reação e exerce a função de vasoconstrição da parte vascular cerebral.

Como se não bastasse, a cafeína tem propriedades analgésicas e diminui os efeitos da dor”, completa a nutricionista Bianca Sermarini. Para quem pratica atividades físicas, o café diminui as dores musculares, aumenta a disposição, estimula a concentração, funciona como suplemento muscular e proporciona o emagrecimento saudável.

6. café reduz a chance de desenvolver diversas doenças

Um estudo publicado pelo jornal O Globo afirma que “[…] o consumo [do café] agora é associado a um risco reduzido de vários tipos de doenças, incluindo Parkinson, doenças cardíacas, diabetes tipo 2, cálculos biliares, depressão, […] cirrose, câncer de fígado, melanoma e câncer de próstata.”

7. café alivia os sintomas do Mal de Parkinson 

Um outro grupo de pesquisadores, estes da Universidade de McGill, no Canadá, fez uma grande descoberta através de um estudo com um grupo de 61 pessoas com Parkinson: a cafeína ajuda a aliviar os tremores e a recuperar os movimentos de pacientes que possuem a doença. Enquanto o um grupo recebeu uma pílula placebo, o outro grupo recebeu uma dose de 100 mg de cafeína duas vezes ao dia por três semanas e depois 200 mg duas vezes ao dia por mais três semanas, o que equivalia a entre duas e quatro xícaras de café por dia. 

“As pessoas que receberam suplementos de cafeína experimentaram uma melhora em seus sintomas motores (uma melhora de cinco pontos na Escala Unificada de Avaliação da Doença de Parkinson, uma escala de avaliação usada para medir a gravidade da doença) sobre aqueles que receberam o placebo”, disse o Dr. Postuma. “Isto foi devido à melhoria na velocidade de movimento e uma redução na rigidez.” 

8. café tem oxidantes e ajuda a retardar o envelhecimento 

Também não é segredo que o café é utilizado pela indústria cosmética. Componentes químicos presentes no café, como antioxidantes (responsáveis ​​por retardar o processo de envelhecimento), são amplamente explorados pela indústria cosmética. Isso sem falar nas inúmeras receitas de esfoliantes caseiros que usam café moído nos ingredientes. 

9. café ajuda na digestão

Os benefícios não param por aí: poucas pessoas sabem que o café também ajuda na digestão. Ele estimula a função dos intestinos e do estômago e promove a mobilidade gastrointestinal; o café puro sem adição de açúcar ou leite também ajuda o metabolismo, o que consequentemente ajuda a perder peso. 

10. o café reduz o risco de desenvolvimento da diabetes 

Outro estudo da Harvard School of Public Health indica que o café pode reduzir diretamente o risco de desenvolver diabetes tipo 2. Descobriu-se que as pessoas que aumentaram a ingestão de café tiveram um risco 11% menor de desenvolver a doença. Isso porque a bebida ajuda a reduzir a glicose e a insulina.

11. café reduz o risco de desenvolvimento do câncer de fígado

Além disso, pesquisadores da Queen’s University Belfast, do Reino Unido, depois de um longo período de pesquisa – mais ou menos 7 anos e meio -, e da análise de meio milhão de pessoas, afirmam que quem bebe café tem 50% menos chances de desenvolver câncer de fígado. 

12. café reduz inflamações

Por fim, um estudo da Stanford University School of Medicine, conta que o café também contribui para o controle do sistema inflamatório, reduzindo inflamações.

muito além da cafeína…

Durante muito tempo, o café foi visto com maus olhos. Ao longo dos anos, o café foi considerado causa de uma série de doenças. Mas, beber café com moderação pode ser parte de um estilo de vida muito saudável.

É claro que o sabor, o aroma e a quantidade de cafeína do café variam de acordo com o tempo de torrefação, o tipo de moagem e a forma de preparo dos grãos, seja o expresso ou solúvel, o coado ou o descafeinado. Praticamente livre de contraindicações quando consumido puro e dentro do que os médicos chamam de “quantidade segura”, o café vai muito além da cafeína. 

É válido ressaltar que, no geral, não estamos falando dos cafés tradicionais, extra-fortes, normalmente encontrados em supermercados, que tem a torra muito intensa e que pode ter até misturas.

Esses benefícios que falamos no post, estão diretamente relacionados ao café especial, que passa por todo um processo minucioso até chegar na xícara, para garantir a qualidade e trazer bem-estar à saúde. Se você ainda não conhece os cafés especiais, este link pode te ajudar.

Café especial torrado (esquerda) e café comum torrado (direita)

REFERÊNCIAS

CRITICAL REVIEWS IN FOOD SCIENCE AND NUTRITION . Coffee consumption and disease correlations. 2017. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/319389097_Coffee_Consumption_and_Disease_Correlations>. Acesso em 18 de abril de 2022.

EXAMINE.COM. Coffee. Disponível em: <https://examine.com/supplements/coffee/>. Acesso em 18 de abril de 2022.

EXAMINE.COM. What does caffeine do?. Disponível em: <https://examine.com/supplements/caffeine/>. Acesso em 18 de abril de 2022.

INSTITUT DE RECHERCHE POUR LE DÉVELOPPEMENT (IRD), FRANCE. Achieving sustainable cultivation of coffee: Breeding and quality traits. 2018. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/322275315_Nutritional_and_health_effects_of_coffee>. Acesso em 18 de abril de 2022.

LIPTON Richard et al. Caffeine in the management of patients with headache. J Headache Pain. 18. 1; 107, 2017. Acesso em 18 de abril de 2022.

LUDWIG, I. A.; et al. Coffee: biochemistry and potential impact on health. Food Funct. 5. 8; 1695-717, 2014. Acesso em 18 de abril de 2022.

MAHONEY Caroline, GILES Grace et al. Intake of caffeine from all sources and reasons for use by college students. Clinical Nutrition. 38. 2; 668–675, 2019. Acesso em 18 de abril de 2022.
MAYO CLINIC. Does caffeine help with weight loss?. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/weight-loss/expert-answers/caffeine/faq-20058459>. Acesso em 18 de abril de 2022.

HARVARD SCHOOL OF PUBLIC HEALTH. In the news: Is coffee good or bad for your health?. Disponível em: <https://www.hsph.harvard.edu/news/hsph-in-the-news/is-coffee-good-or-bad-for-your-health/>. Acesso em 18 de abril de 2022.

HARVARD SCHOOL OF PUBLIC HEALTH. The nutrition source: caffeine. Disponível em: <https://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/caffeine/>. Acesso em 18 de abril de 2022.

Qual a Diferença do Café Feito no Coador Melitta e na Clever?

Publicado em Tags , , , ,

Quem toma café já reparou que existem diversos tipos de coadores diferentes, dos mais variados formatos, materiais e tamanhos. Mas o que será que essas características influenciam na hora de fazer o café? Para tirar essa dúvida, colocamos lado a lado dois tipos de coadores, que se parecem no formato mas que tem características diferentes: a Melitta e a Clever. O experimento é para saber se realmente tem diferença no café feito em coadores diferentes, tanto no sabor quanto na praticidade, limpeza e usabilidade. 

Continue lendo ou assista ao vídeo:

Sobre o Coador Melitta

Este porta filtros foi inventado por uma alemã, a Dona Melitta Bentz, em 1908. Ele surgiu diante de uma necessidade da dona de casa alemã para preparar um café que não ficasse com resíduos na xícara. Antes disso, era mais comum usar métodos com filtros metálicos como a prensa francesa ou cafeteira italiana e que sempre deixavam passar resíduos para a xícara, por mais fino que o filtro fosse.  

Apesar do coador com o filtro de papel ter chegado ao Brasil só em meados de 1968, ele é uma das formas de preparar café mais utilizadas por aqui. Quem nunca tomou café coado?

Um dos diferenciais da Melitta é esse formato de trapézio com fundo reto e um pequeno furo na base. Isso faz com que fique mais tempo em contato com a água e pode extrair todos os sabores com facilidade.

Ele é simples de usar, faz um bom café e hoje já existem várias versões de tamanhos, cores e materiais. É acessível, fácil de comprar e tem um custo baixo. 

Já comparamos o filtro de papel com outros coadores e métodos. No final deste post, tem link para todas as batalhas que já fizemos até hoje.

Sobre a Clever

A Clever Dripper, como o próprio nome já diz, é uma forma inteligente de preparar café. Ela foi inventada pela ABID Co (Absolutely Best Idea Development Company – ótimo nome na tradução é Absolutamente a Melhor Empresa de Desenvolvimento de Ideias), e começou a ser vista por volta dos anos 2000 (não se sabe ao certo quando foi inventada).

Ela possui o formato parecido com um trapézio, assim como o Melitta. A maior diferença é que ela possui uma válvula na base, que retém o líquido dentro dela até que essa válvula seja ativada.

Dessa forma, o pó de café fica em imersão total na água, assim como acontece com a prensa francesa e, no final, o café é filtrado pelo papel, que captura qualquer resquício de pó de café.

O interessante é que este conceito de design da Clever é semelhante ao de cupping (prova profissional de café), já que possui um controle de todas as variáveis no processo de extração e promete destacar, assim, as características reais do café. 

É possível encontrar a Clever em 2 tamanhos, o pequeno que serve até 300ml ou o grande, que serve até 500 ml. Além disso, a Clever utiliza filtro de papel comum, com a base reta. Apesar de possuir um filtro próprio, o filtro comum que encontra em qualquer supermercado, se encaixa também na Clever.

A Batalha dos Métodos

A Clever e o coador Melitta são muito parecidos no formato, mas resultam em sabores diferentes na xícara. E para comparar os dois coadores, fizemos um teste usando o mesmo café, com a mesma moagem e mesma proporção dos dois métodos.

Escolhemos o café Coquetel, da assinatura da coffee&joy para fazer a comparação. É um café exótico, que possui sabor com notas que lembram rum, frutas brancas e manga. Possui acidez málica equilibrada, corpo delicado e finalização longa e complexa.

A acidez equilibrada e as notas exóticas serão bons pontos de partida para comprar o resultado dos dois coadores, já que a Clever promete destacar mais as características reais do café e o Melitta, como já vimos em outras batalhas, evidencia mais a doçura natural do café. 

E vale lembrar que café não é tudo igual. Cafés especiais possuem maior qualidade e mais sabor do que os cafés tradicionais de supermercado. Os cafés tradicionais usam uma matéria prima de menor qualidade e possui uma torra carbonizada, enquanto os especiais possuem torra mais branda é possível encontrar notas sensoriais naturais diversas e sabores que agradam até os paladares mais exigentes. Se ainda não provou cafés especiais, que tal começar por aqui.

Para cada coador, usamos 30g de café moídos com moagem média. Se a moagem for muito fina, pode super extrair e até amargar, já que aumenta o contato do pó com a água. 

Fizemos a moagem logo antes de preparar, que fica mais gostoso e perceptível as notas do café. Por isso, se for fazer em casa, se possível, moa na hora. Mas caso não tenha moedor, não tem problema. Peça um café fresco e moído antes de ser enviado para você, com a moagem na medida certa. Acesse aqui e saiba como. 

Para preparar o café, fervemos 40oml de água para cada coador e usamos cerca de 100ml para limpar cada um, retirando impurezas e o sabor de papel do filtro e, também, para deixar tudo já aquecido. Descartamos a água da limpeza.

Na Clever, adicionamos a água toda de uma vez e mexemos o pó depois de 2 minutos. Na Melitta, fomos adicionando a água aos poucos, em 3 momentos, sendo que na segunda água, mexemos levemente o pó para extrair melhor o café.

Em 3:30 minutos acabou o preparo da Melitta e acionamos a válvula da Clever, posicionando ela na jarra, para o café extrair.

Se quiser ver mais detalhes sobre os preparos, o passo a passo e mais informações sobre os equipamentos, acesse aqui.

Veja só o resultado:

CLEVER: o que mais se destacou aqui foi o equilíbrio de todos os atributos. As notas do café ficam bem evidentes, a presença da doçura é bastante nítida, tem acidez, mas menos que no Melitta (o que já era esperado, pois o café fica um tempo sob infusão, como acontece com a prensa francesa). O corpo ficou viscoso e denso, muito gostoso de sentir. A finalização ficou sutil, mas longa e bastante prazerosa. A xícara fica bastante limpa, por conta do filtro de papel que é utilizado, que retém os óleos e o pó pulverizados. Na Clever, cafés especiais mais complexos (exóticos e frutados) são os mais indicados, pois o método deixa mais evidente as notas sensoriais do café, realçando corpo e doçura.

MELITTA: na xícara, o café ficou bem limpo e sem nenhum resquício de pó por conta do filtro de papel. Apresentou um pouco mais de acidez do que a Clever. A doçura estava presente, mesmo que menos um pouco do que no outro coador. O corpo estava mais leve. O destaque aqui é a finalização, que é bem mais intensa e perceptível, apesar de ser mais curta (acaba mais rápido). Ele trouxe um leve amargor no final, quase imperceptível, mas nada que pudesse incomodar. A percepção é que o café ficou mais intenso do que a Clever e, por isso, para quem gosta de café mais “forte”, a Melitta é mais indicada. Assim, cafés com perfis mais intensos (com notas de chocolate) e com perfil doce são uma ótima escolha na hora de preparar café na Melitta.

Um exercício legal para fazer nos dois métodos com o café Coquetel é a comparação do equilíbrio dos atributos e do peso do café na boca (corpo). O primeiro, basta concentrar para sentir o doce natural, acidez (com a salivação da língua) e a finalização (o tempo e intensidade que o gostoso permanece na boca depois de engolir). E, em seguida, sentir como estes atributos conversam entre eles. Na Melitta a intensidade prevalece enquanto na Clever, o equilíbrio entres estes atributos estão em perfeita harmonia.

Em seguida, abstraia todos estes atributos e concentre apenas no peso que o café tem na boca. É muito evidente como o café Coquetel feito na Clever possui um peso maior (envolve mais a boca) enquanto o Melitta escorre mais rápido (corpo mais leve). 

Os atributos sensoriais são bem sutis entre eles e perceptível para quem tem um bom paladar ou está treinado para fazer análise sensorial de café. Mas com um pouco de treino, qualquer pessoa consegue sentir tudo o que o café especial tem para oferecer, tem um post aqui com dicas práticas para treinar em casa.

Indo um pouco além, comparamos a diferença do café feito na Clever e no coador Melitta, levando em conta outros pontos, como limpeza, praticidade, dificuldade e versatilidade.

Pontuamos cada um deles numa escala de 1 a 5, veja só:

Vejas as outras edições da Batalha de Métodos:

– 1a edição: Diferença do Café Feito na Prensa Francesa e no Filtro de Papel.

– 2a edição: Diferença do Café Feito no Coador com Filtro de Papel e no Coador com Filtro de Inox 

– 3a edição: Qual a Diferença do Café Feito no Filtro de Pano e no Filtro de Papel?

– 4a edição: Qual a Diferença do Café Feito na Aeropress  e na Prensa Francesa?

– 5a edição: Qual a Diferença do Café Feito no Koar, na Hario V60 e na Melitta?

– 6a edição O Impacto do Material do Coador no Sabor do Café – Qual a Diferença de Coador de Plástico e Coador de Cerâmica?

Conclusão

Depois de analisar cada um dos atributos da batalha dos métodos, a minha opinião pessoal é que a Clever é mais indicada para quem gosta de se aventurar no mundo do cafés, testar diferentes tipos e ter mais clareza na percepção das notas sensoriais. É um dos métodos de preparação de café mais fáceis que você vai encontrar e oferece tanto os benefícios de um café coado como dos preparados na prensa francesa. Além disso, dá para ir alterando receitas, para obter resultados diferentes na xícara.

Já a Melitta, prepara um café mais intenso. Além disso, é prática e pode ser achada com facilidade em qualquer cidade, assim como seus filtros. Cafés mais intensos e doces ficam perfeitos na Melitta. Mas o interessante mesmo é testar e encontrar o tipo de café e forma de preparo que mais agrada e se encaixa na rotina.

Aqui na @coffee_and_joy somos fãs da Clever e usamos a Melitta todos os dias de manhã! O que importa no final de cada preparo é o café ficar saboroso para quem vai tomar.

Teve alguma dúvida sobre as diferenças entre o café feito na Clever e na Melitta? Me chama no chat online. 

Testou em casa as diferenças? Me marca nas redes sociais @coffee_and_joy para participar da sua viagem sensorial. 

Receita de Sorvete Caseiro de Banana com Café no Liquidificador 

Publicado em Tags ,

Já pensou em fazer uma sobremesa gostosa e nutritiva em poucos minutos. Esta receita de sorvete caseiro de café é exatamente isso. E o melhor é que dá para usar aquela banana sobrando ou quase perdendo na fruteira. É só congelar a banana e bater com alguns ingredientes que você terá um sorvete muito gostoso em poucos minutos.

Assista ao vídeo ou continue lendo para ver a receita completa.

O sorvete de banana com café é uma ótima opção para quem quer tomar sorvete sem muito peso na consciência. Ele é natural, nutritivo e ainda tem café pra dar aquele gás.

Não só isso, é uma ótima opção de sobremesa ou até mesmo de um lanchinho refrescante para quando precisa de um pouquinho de energia extra.

O café especial é tão gostoso e nutritivo que a gente consegue misturar ele com em receitas e aproveitar os seus benefícios (e também o sabor que praticamente todos nós amamos). No nosso canal do Youtube e no Blog, tem várias receitas práticas e gostosas com café.

Receita de Sorvete Caseiro de Banana com Café no Liquidificador 

Rendimento: 3 porções

Tempo de preparo: 5 minutos

Ingredientes:

3 bananas prata (quanto mais madura, melhor)

2 colheres de sopa de leite em pó

1 colher de sopa de cacau (ou chocolate em pó)

50ml (1 xícara pequena) de um café bem intenso (vai bem com o Alfajor da assinatura da coffee&joy)

1 colher de sopa de cobertura de chocolate (opcional)

Como fazer:

Pique a banana em rodelas, coloque em um pote com tampa ou saquinho bem fechado e leve ao congelador por 2 horas ou até congelar por completo.

Em um liquidificador, coloque a banana congelada, o leite em pó, o cacau e a dose de café feito bem intenso.

Bata tudo em velocidade média e, com ajuda de uma colher, vá mexendo para que todos os ingredientes se misturem e fique na textura de sorvete.

Sirva logo em seguida. Se quiser, adicione cobertura de chocolate (usamos o Brigadeiro de Colher A Bella Andrade, que é sem glúten, lactose e adição de açúcar).

Dica: deixe no congelador para ficar mais firme ainda.

Enjoy!

Fez na sua casa? Compartilhe com a gente o que achou no Instagram ou TikTok @coffee_and_joy

Como Usar Stencil de Barista para Café?

Publicado em Tags , , ,

Qual bom amante de café que nunca quis dar uma de barista e fazer aquelas artes no leite? O café pode ficar muito mais criativo e divertido com estes desenhos. Usando stencil próprio para café, é possível desenhar no leite e fazer o momento do café ficar ainda mais gostoso.

Veja como usar o stencil para café no vídeo, ou continue lendo:

 

O Stencil de Café

O stencil é uma técnica artística do grafite. Ele é usado para replicar uma ilustração pré definida na superfície (papel, parede, embalagem, lata, etc), onde usa-se uma lâmina metálica ou plástica cortada no formato do desenho, aplicando a tinta que vazará e formará o desenho desejado.

É muito legal e muito usado por artistas. E quem disse que não podemos usar essa mesma técnica do stencil para deixar o café mais criativo?

Café especial é uma arte e ele merece todo cuidado que a gente pode dar!

Por isso, no mês de abril, enviamos para todos os assinantes da coffee&joy um kit com 3 stencils para usar no café. E é muito fácil de usar.

Passo 1 – Leite Espumado

A primeira coisa para fazer o desenho perfeito no café, é criar a base que vamos estampar. Para que a arte fique bem nítida, a base deve ser lisa e consistente, Por isso, é importante fazer o leite espumado e cremoso, que fica mais denso e não vai deixar afundar.

Para fazer o leite espumado, o ideal é usar leite integral ou vegetal específico para barista. Quanto mais gordura o leite tiver, mais cremoso fica.

Bata o leite gelado ou morno em um pote, liquidificador, mixer, espumador, etc. Até que ele fique bem cremoso. Aqui tem um post completo com dicas para espumar o leite em casa.

Passo 2 – Monte o Drink

Em uma xícara, coloque o café e o que mais desejar (pode colocar chocolate ou doce de leite, como quiser fazer o seu drink – veja no blog como fazer drinks com café). O mais importante é que o leite espumado seja o último ingrediente a ser colocado, para garantir a base para receber a arte.

Coloque o leite até quase na borda do copo. Se ultrapassar, a espuma vai encostar no stencil e o desenho pode ficar deformado. Se colocar pouco leite, também pode deformar, já que o pó é muito fino e pode deslocar para os lados vazios entre o stencil e a espuma.

Neste exemplo, fizemos um cappuccino tradicional. Usamos o café espresso sul da assinatura da coffee&joy, feito na cafeteira italiana. Colocamos uma parte dele numa xícara e, em seguida, 2 partes do leite espumado que fizemos usando o espumador da Pressca

Coloque o leite devagar, sem misturar muito com o café, para a base de cima ficar bem densa.

Passo 3 – Estampando o Desenho no Café

Escolha o pó que deseja usar (canela, cacau em pó, achocolatado, etc.). Posicione o stencil em cima da xícara, para ficar bem reto.

Com a ajuda de uma peneira fina ou polvilhador, coloque o pó e faça movimentos de batidinhas bem leves, colocando a peneira ou polvilhador bem rente ao stencil. Não faça movimentos bruscos, ou o pó pode se espalhar entre as linhas e o desenho não ficará tão nítido.

Depois, é só tirar com cuidado o stencil, usando as duas mãos e pegando ele na lateral, para não borrar o desenho.

Prontinho! Agora é só aproveitar o café!

Café especial tem que ter torra fresca? E o que a borra do café diz sobre ela?

Publicado em Tags , ,

O café é uma fruta e o que a gente consome é a semente dela torrada, moída e infusionada com água. Se essa fruta for bem plantada, colhida, tratada e preparada, o resultado é incrível. Disso eu e você já sabemos, né? Mas você sabe o que a borra do seu café diz sobre ele? E qual a importância da torra fresca do café? Continue lendo o post ou assista o vídeo para entender.

Você já deve ter ouvido falar que café de torra fresca e moído na hora é bem melhor. Mas você sabe por que isso é importante e como identificamos tudo isso?

Sabores e Aromas dos Cafés Especiais

A primeira coisa que é importante saber sobre os cafés especiais é sobre o processo que ele passa para chegar na nossa xícara.

Se todas as etapas de produção do café forem feitas de forma cuidadosa (da colheita ao pós colheita e da torra ao preparo), é possível ter um café muito mais gostoso. 

Já falamos desse assunto em um outro post. Veja aqui.

Ao contrário de outras frutas que é só colher e comer, o grão de café fica pronto para consumir apenas depois de torrado, que é a etapa em que ele vai liberar todos os seus sabores e aromas. E, antes dele ser moído, este grão torrado funciona basicamente como uma cápsula que armazena os aromas e sabores do café. Assim que ele é moído e essa cápsula é rompida, ele já vai liberando tudo pro ar. Por isso que café moído na hora dá aquele cheirão no ambiente.

Esse é justamente um dos pontos que influenciam no sabor e é bem perceptível. 

A Torra dos Cafés Especiais

Além do tratamento do café na lavoura, o perfil e data da torra diz muito sobre ele. Mesmo o café estando em grãos (antes de moer), logo após a torra o café já começa o seu processo de oxidação. Isso quer dizer que quanto mais tempo se passa da data que o café foi torrado, mais ele perde potencial de sabor e aroma. 

Logo que o café é torrado, ele ainda possui um percentual de gás natural, que vem do próprio processo de torra e que é liberado lentamente com o tempo. 

Este gás é perceptível na hora de preparar o café e a gente vê logo na borra: quando ela sobe e “incha” . Esse inchaço do café fresco ocorre por causa da liberação dos gases do café depois da torra e, quanto mais próximo do dia que ele foi torrado, mais gás ele libera. 

Café especial C&J sendo resfriado logo após a torra

Para comparar como isso é perceptível, fizemos um experimento e colocamos lado a lado 2 cafés: um com 1 semana de torra e outro que foi comprado no supermercado com a data de fabricação de 4 meses atrás.

No primeiro, é possível ver já imediatamente que a bossa do café se expande e libera bolinhas, indicativa que o café ainda possui os gases da torra. No segundo, o café fica estático, não sobe de tamanho e até afunda levemente. Veja só na foto abaixo, o coador do lado esquerdo é com uma café de torra fresca, enquanto o segundo é de um café que tinha a informação de fabricação de 4 meses atrás:

Esse processo de expansão da borra é um indicador de que o café foi torrado recentemente e que é de qualidade. Mas porque isso é importante? Depois que o café especial é torrado, o indicado para ter um maior potencial de sabor da xícara, é consumi-lo de 7 dias a 3 meses. Até mesmo o café torrado no dia precisa ter um descansinho para ficar no melhor potencial dele. 

Entretanto, isso não quer dizer que um café que tem uma data de torra mais antiga está estragado. Se estiver dentro da data de validade, está tudo bem consumi-lo. O ponto é que quanto maior o tempo da data de torra, menor o potencial de sabor e aroma.

Embalagem e Armazenamento do Café Especial

Café especial é tão incrível que a gente quer sentir tudo que ele tem de bom. É por isso que a gente torra café pelo menos duas vezes na semana por aqui na coffee&joy. Isso garante sempre grãos fresquinhos para os nossos assinantes em casa e com o melhor potencial do café. 

Na parte de trás da embalagem dos cafés da nossa assinatura você encontra uma válvula. Ela serve exatamente para manter o gás dentro da embalagem e não explodi-la. Como os cafés por aqui são embalados muito próximo da data da torra, a válvula não deixa o ar de fora entrar e oxidar o café. 

Por isso, o ideal é manter o café armazenado dentro da própria embalagem, bem fechado. Não coloque em pote transparente ou dentro da geladeira. Assim, você garante um café mais fresco, por mais tempo.

 

Chegou a hora de extrair do seu café o maior potencial dele. Se você ainda não conhece nossos cafés especiais, clique aqui para receber cafés fresquinhos em casa.

Compartilhe com seus amigos e amantes de café e marque a gente nas redes sociais: @coffee_and_joy

 

Como Sentir as Notas Sensoriais dos Cafés Especiais?

Publicado em Tags , , , ,

Você já se perguntou o que são essas tais “notas sensoriais” que existem nos cafés especiais? Porque nestes tipos de café vem escrito por exemplo: sabor com notas de chocolate, frutas, etc.? Mais do que isso, como que estes sabores foram parar ali e como que faz para sentir essas notas sensoriais dos cafés especiais? Continue lendo ou assista ao vídeo que vamos responder todas essas dúvidas.

Que a gente ama café especial, não é segredo para ninguém. Mas conhecer e entender o que tem por trás deste grão tão pequenino, torna o momento do café mais especial ainda. E a gente vai te provar!

Aqui, queremos te mostrar que o café especial pode ser simples e descomplicado. Mas também que o seu café pode ficar ainda mais saboroso, se conseguir desvendar tudo de melhor que ele traz na xícara. E uma dessas coisas são as notas sensoriais que eles têm.

Como as notas sensoriais aparecem no café?

Para entender sobre as notas sensoriais, precisamos ter em mente que o café é uma bebida extraída de uma fruta, assim como o vinho – que também apresenta notas sensoriais e, consequentemente, possui características singulares que se alteram de acordo com a variedade da uva utilizada, o lugar em que ela foi cultivada, o processamento escolhido, entre outros. 

foto: coffee&joy

Ao contrário do que muita gente acha, as notas sensoriais não são adicionadas ao café, elas já “nascem” ali. Ou seja, o café de especialidade apresenta essas características normalmente, mas elas mudam e se potencializam de acordo com a forma em que o grão é plantado, tratado na lavoura, colhido, processado, torrado e preparado em casa.

Quando todos esses processos do café são feitos com excelência, o resultado não tem como ser diferente. Por isso, se os passos do café forem cuidadosos, a soma disso tudo será o melhor potencial do fruto, com um sabor e aroma de extrema qualidade na xícara.

Para entender melhor esses passos que o café passa na fazenda até chegar na xícara, veja esse post aqui.

Qual o primeiro passo para identificar as notas sensoriais do café especial?

As notas sensoriais são extremamente sutis e delicadas e elas aparecem no café naturalmente na hora que ele é torrado. Antes disso, o café não tem o sabor e aroma que conhecemos.

O ponto primordial e inicial para entendermos melhor sobre a identificação dessas notas está na nossa própria memória gustativa – ou seja, as lembranças que se evocam quando sentimos cheiros e gostos de comidas e bebidas específicas.

É como se fosse uma biblioteca gustativa. Se você nunca comeu uma fruta vermelha, por exemplo, vai ser mais difícil identificar essa nota sensorial e sentir o cheiro e o sabor dela num café que tem notas de frutas vermelhas, como é o caso do Rubi Silvestre da assinatura coffee&joy. Por isso, é essencial conseguir memorizar o aroma e sabor dos alimentos. 

Uma dica para exercitar a nossa memória gustativa é procurar sentir o cheiro das coisas no nosso dia a dia, por mais que a rotina seja corrida. Antes de comer algo, procure cheirar o alimento para sentir de verdade e perceber o que aquele cheiro te remete. Isso pode ser feito não só quando o assunto é a alimentação; você pode parar e sentir o cheiro de uma flor, de um perfume ou qualquer coisa que te chame a atenção. 

Quando começamos a prestar atenção nos gostos e sabores que temos contato ao longo do tempo, o cérebro armazena essas informações e isso influencia e facilita muito a experiência com as notas sensoriais. O importante é trabalhar a memória, o olfato e, quando possível, o paladar. 

Nos cursos técnicos de degustadores e provadores de café, por exemplo, um dos exercícios mais comuns são os testes cegos de alimentos. Onde a pessoa tem que descobrir o alimento apenas sentindo a fragrância, com os olhos fechados..

Quer aprofundar no assunto? Aqui tem um Guia Prático Para Desvendar As Notas Sensoriais dos Cafés Especiais.

Um breve exercício para ver como funciona a percepção de sabor

A percepção do sabor diminui muito quando o olfato não está cem por cento. Você já percebeu que quando estamos gripados é mais difícil perceber o sabor das coisas? É exatamente por isso. O olfato influencia – e muito – no paladar.

Para trabalhar o olfato, você pode fazer o seguinte exercício: quando for comer qualquer alimento ou beber algo, tampe o seu nariz, coloque o alimento ou a bebida na boca durante alguns segundos e antes de engolir, tire a mão do nariz. O sabor do alimento aparece imediatamente e a sua absorção será muito maior. Se quiser aprimorar o exercício, experimente fazê-lo às cegas e tentar identificar o que é. Gostamos de fazer com mel e frutas secas. É incrível conhecer o poder do nosso paladar.

E como começar a sentir as notas sensoriais do café na xícara?

Agora é colocar o nariz e a boca para trabalhar. Com a memória gustativa bem completa, basta se esforçar para, toda vez que for tomar o café especial, sentir com calma o que aquele café te remete, começando no pó antes de hidratar, depois ele hidratado e, por fim, no café já pronto.

Uma dica para aplicar isso na hora de tomar o café especial é fazer um comparativo do alimento em si com o café. Tente comer um chocolate antes de tomar um café que tem notas achocolatadas, como o Espresso Sul da assinatura coffee&joy, por exemplo, ou saborear uma fruta que esteja presente nas notas sensoriais do café. Depois, é só tentar identificar aquele chocolate ou aquela fruta que você acabou de comer no seu café especial. 

O paladar não consegue sentir o gosto dos alimentos se eles estiverem em uma temperatura muito alta. Por isso, outra dica importante é aproveitar que o café especial fica ótimo quando em temperaturas mais baixas e esperar ele esfriar um pouquinho antes de ingerir. Quando em temperatura ambiente ou até mesmo levemente gelado, fica mais fácil ainda perceber as notas sensoriais do café. 

As notas sensoriais podem nos remeter um momento, uma lembrança ou até mesmo uma categoria de alimentos. Não é necessário relacionar as notas sensoriais do café diretamente a uma fruta específica, por exemplo, no caso dos cafés frutados. Conseguir categorizar essa relação já é um grande passo. É mais importante no começo identificar o perfil ou categoria do café do que relacioná-lo à origem da nota sensorial em si.

Para te auxiliar neste caminho da percepção das notas sensoriais, criamos um kit exclusivo de degustação! Cada café do kit possui um perfil sensorial diferente – do mais intenso ao mais exótico, servindo como guia para uma viagem sensorial incrível e esclarecedora. Acesse aqui.

Coffeeandjoy kit de cafe especial para presentear

Como é feita a classificação técnica das notas sensoriais dos cafés?

A SCA (Specialty Coffee Association, em português: Associação de Cafés Especiais) é a responsável por criar um protocolo técnico de avaliação sensorial de cafés, que é usado para guiar a classificação dos cafés especiais. Além do protocolo, ela possui uma roda de sabores para guiar a classificação das notas de sabor e facilitar a categorização do café – a Roda de Sabores do Provador de Café. 

Roda de Sabores SCA

Você consegue fazer o download da roda de sabores em alta definição aqui.

Vale lembrar que a Roda de Sabores não possui todos os sabores que são possíveis de serem identificados. Existem diversas frutas, flores e outros alimentos, por exemplo, que são possíveis de serem encontrados nos cafés e que não são contemplados pela roda, principalmente aqueles regionais, como a carambola, fruta do conde, etc.

Além desta parte, a SCA também regula quem são os técnicos responsáveis por fazer a avaliação sensorial do café – os chamados Q-Graders. Eles possuem qualificação técnica e fazem calibragem periodicamente para poder avaliar o café, definir uma nota de acordo com o protocolo da associação e qualificar as notas sensoriais que o café tem. 

foto: coffee&joy (Centro de provas de Cafés Especiais coffee&joy)

Tudo isso é importante para que, principalmente, não haja fraude ou invenção de notas sensoriais ou pontuação de café. Por isso, é sempre importante comprar cafés especiais de torrefações que levam tudo isso a sério.

E é claro que saber essas coisas não são obrigatórias para gostar e consumir cafés especiais, mas, se você quiser conhecer um pouco mais e se aprofundar nesse mundo cheio de possibilidades e experiências este é um ótimo ponto de partida, uma vez que isso vai mudar a forma como você vê não somente o café, mas outros alimentos também.

>> Se está procurando cafés de qualidade, com notas sensoriais naturais, acesse aqui.<<